BGS 2016: Inspirado em Megaman e Metroid Prime, Recore é uma grata surpresa

Matéria feita por nosso colaborador Paulo Macedo

Advindo do criador de Megaman, Keiji Inafune, e de parte da equipe de produção de Metroid, a Armature Studios, Recore traz aquele sentimento confortável de algo que você já conhece (e gosta), mas que ao mesmo tempo é revigorantemente novo.

A demonstração disponível na Brasil Game Show começa sem muitas explicações. Você controla Joule Adams, uma garota que, após passar centenas de anos dormente como voluntário em um projeto de criogenia, acordou em Far Eden e viu que algo não tinha dado muito certo. Sendo um dos poucos humanos restantes no mundo, ela busca uma forma de salvar a espécie. É importante dizer que só sabemos disso porque foi divulgado no material promocional do game. Os detalhes da história de Recore ainda são um mistério.

Na demo, Joule conta com ajuda de dois robôs amigáveis (na versão final serão três): Mack, que tem a aparência de um cachorro e Seth, de visual aracnídeo. Cada um tem suas funções específicas, que falaremos mais em breve.

Recore é um jogo de aventura/tiro em terceira pessoa. E o modo como Joule atira, somado ao tiro carregado e armas diferentes são os principais fatores que fazem lembrar os já citados Megaman e Metroid.

O jogador já começa com quatro tipos de tiros diferentes, cada um representado por uma cor. Esses possuem um bônus de ataque se forem utilizados contra inimigos que possuem o mesmo tipo de coloração, criando a estratégia base do jogo. Parece simples, mas essa impressão logo fica para trás conforme as batalhas vão aumentando de intensidade.

No começo, as batalhas são contra inimigos simples, de cor azul. Após isso, logo são introduzidos inimigos de outras cores. Em seguida, eles são mesclados nas batalhas que, misturadas com armadilhas do próprio cenário, ganham um tom frenético. A diferença dos inimigos não está somente na sua tonalidade, entretanto. Cada cor possui habilidades únicas. Por exemplo, o vermelho, mais perigoso, usa ataques de área de fogo, que causam alto dano. Os amarelos, usam ataques que podem paralisar a heroína, além de serem capazes de recuperar a própria energia.

Para enfrentá-los, além dos seus tiros diferentes, Joule conta com um dash para esquivar, o tradicional “pulo duplo” e, é claro, seus robôs companheiros. Eles também possuem cores e habilidades diferentes para serem utilizadas dentro e fora das batalhas. Seth, por exemplo, pode escalar determinadas estruturas, levando a heroína a alcançar lugares impossíveis sem ele. Só um companheiro robótico pode ser utilizado por vez, porém, a troca pode ser feita ao pressionar apenas um botão.

Dado às poucas notícias e revelações sobre o game, Recore foi uma das gratas surpresas da Brasil Game Show. Não deve ter potencial para ser “System Seller”, mas é um jogo que todo dono de Xbox One vai ter em sua biblioteca.

Recore tem lançamento previsto para 13 de setembro de 2016, para Xbox One e PC.

Publicado
Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *