E3 2017: FIFA 18 para Nintendo Switch é o que sempre sonhamos em um portátil. Comparamos com a versão de console do jogo.

Neste primeiro dia de EA Play e inauguração de toda a experiência E3 2017 para o Última Ficha, tivemos a oportunidade de jogar alguns jogos bastante aguardados da empresa. Obviamente, FIFA 18 está nessa lista e nesse ano temos um motivo a mais para dar nossa opinião na sequência do jogo: Nintendo Switch.  Como vocês sabem, FIFA 18 será lançado para o mais novo portátil/console da Nintendo. Ainda não se sabia qual seria a qualidade real da versão, já que ela está sendo desenvolvida de forma separada das versões de PS4, Xbox One e PC, mas já adiantamos aqui, ela está simplesmente fantástica!

Por motivos de comparação, jogamos FIFA 18 algumas vezes na versão normal de console e mais outras vezes na versão de Nintendo Switch. Assim que iniciamos o jogo, tivemos uma incrível e agradável surpresa. O título está maravilhosamente lindo! É impressionante não somente a capacidade do console da Nintendo de rodar os gráficos incríveis de FIFA 18, mas também o carinho da EA de fazer o jogo o mais parecido possível com as versões regulares. Claro, há sim alguns retoques para fazer com que o título rode bem no Nintendo Switch, o que significa que alguns efeitos foram enxugados, mas nada que estrague a beleza do jogo. A ausência da poderosa engine Frostbite da EA não fez com que o jogo se tornasse uma versão modificada à la Nintendo Wii, o que é uma grande felicidade. Aliás, uma coisa deve ser dita sobre FIFA 18 (agora não estou falando sobre a versão de Switch), que jogo lindo! As animações e os gráficos estão algo de fora desse mundo. Os detalhes dos jogadores foram melhorados ainda mais, e os cortes de câmera durante o jogo para os técnicos (também muito bem feitos) reclamando ou vibrando com as jogadas são um baita toque de mestre. Ainda, uma das maiores diferenças de FIFA 18 para seus antecessores é o fato de que a movimentação de alguns jogadores (como Cristiano Ronaldo) foi feita utilizando uma nova tecnologia de motion-capture que reproduz frame por frame os gestos de cada um deles. O resultado disso é um dos melhores trabalhos de animação já feitos em jogos de esporte (NBA 2K16 ainda está nos nossos corações).

rsz_fifa_18_3 (1)

No que tange ao que mais importa em FIFA 18,  sua jogabilidade, não temos do que reclamar. A mecânica do jogo está extremamente fiel às versões de console. A sequência desse ano está com uma movimentação bastante corporal. O controle do corpo dos jogadores está bastante responsivo e o peso dos jogadores faz total diferença tanto nas divididas de bola quanto nas corridas e dribles. Se o controle de bola foi algo que a EA deu bastante atenção nas versões anteriores do jogo, esse ano temos uma clara melhoria nos controles sem a bola. É natural, então, que o jogo esteja mais realista do que nunca, já que uma das maiores características do futebol atual é a marcação e as disputas corpo-a-corpo. A reação dos jogadores para responder as ações nos controles depende muito da real habilidade de cada um. Logo, zagueiros naturalmente serão MUITO mais lentos do que meios de campo ou atacantes. Outra consequência disso é que o jogo se torna muito mais estratégico do que de habilidade, pois as disputas são mais truncadas e é mais difícil de driblar. Infelizmente, não era possível testar a maior funcionalidade do Nintendo Switch, a sua flexibilidade e a possibilidade de jogar com os joy-cons separados, mas a ideia de utilizar os pequenos controles é um tanto quanto estranha. Pelo que pudemos ver, há uma configuração de botões simplificada para esta funcionalidade do Nintendo Switch, mas a empresa não fez comentários sobre este ponto. Além disso, com relação aos controles complementares, o modo touch parece estar desabilitado para FIFA 18 no Switch, já que nos nossos testes não tivemos qualquer tipo de resposta na tela.

rsz_fifa_18_1 (1)

Por fim e mais importante diferença entre as versões do FIFA 18, o modo jornada não estará presente para Nintendo Switch. Ainda não se sabe o porquê da EA ter optado por retirar essa funcionalidade do console, mas é uma pena que não possamos continuar nossa história com Alex Hunter (ainda mais com a atuação do incrível Mahershala Ali).  No entanto, o modo Ultimate Team estará presente para a felicidade dos fãs da série. Em resumo, FIFA 18 é muito, mas MUITO melhor do que esperávamos e é simplesmente a melhor experiência portátil já feita para um jogo de esportes. Apesar de termos jogado em uma versão não acabada do jogo, podemos dizer sem sombra de dúvidas que a EA está extremamente focada em trazer a melhor experiência possível para os donos do Nintendo Switch.

Quer saber mais sobre tudo da E3 2017 e seus bastidores? Não se esqueçam de nos acompanhar em todas as redes sociais!

Bernardo Cortez

Formado em Relações Internacionais, Bernardo aproveitou o dom de escrever para algo útil. Músico, viajante, cronista e amante de qualquer coisa que seja relacionada a jogos, seu sonho é ser jornalista na área. Tem um carinho especial por jogos que tragam o melhor de todas as formas de arte que os englobam.
Botão Voltar ao topo
Fechar