Top 10 jogos da E3 2017 por Ricardo Carvalho

Fala, galera, vim correndo aqui falar sobre os dez jogos que mais me agradaram nessa E3 antes que as matérias de preview da equipe in loco sejam divulgadas e influenciem em minha opinião. Trago aqui o Top10 jogos que eu mais gostei desses dias bombásticos de E3 2017 com uma breve explicação das razões que me levaram à escolha:

Pokémon Switch

Apesar de não termos nem mesmo uma imagem, a reveleção de que um jogo de RPG de Pokémon está em desenvolvimento para o Nintendo Switch me deixou de pentelho cabelo em pé! É um sonho de infância, um sonho de uma geração inteira, desde que o Nintendo 64 chegou ao mercado. A imaginação do pessoal sempre rolou fértil quanto à possibilidade dos consoles trazerem uma experiência bem imersiva de uma aventura Pokémon.

The Last Night

Cyberpunk. Opinião pessoal, muito pessoal: eu amo ambientações cyberpunk. Adoro esse futuro distópico, sujo, criminoso e cheio de estilo sombrio, além disso o jogo traz uma mistura interessante com uma estética pixelada, puxando para a nostalgia mesmo se tratando do futuro… Putz, foi demais para mim! Estou super ansioso por esse título, já que não temos previsão concreta sobre Cyberpunk 2077 da CD Projekt Red, vou me contentar com esse mesmo.

Super Mario Odyssey

É preciso dizer mais alguma coisa além do próprio nome Mario? Não há um jogo do mascote da Nintendo que não me deixa com as expectativas nas alturas. Além disso a proposta de se apoderar de corpos através do seu cap foi muito interessante. Por fim, ver o Mario caminhando por lugares como o nosso “mundo real” e até com dinossauros “reais” é loucura, loucura.

Skull and Bones

Assim como Cyberpunk, a ambientação na época das grandes navegações é uma paixão desde criança. Infelizmente nunca foi uma ambientação forte nos videogames, poucos foram os títulos de piratas que realmente me agradaram, portanto a cada lançamento do tipo eu fico na esperança de ver, enfim, um jogo emocionante com essa temática. Apesar de ser um pouco cético com a Ubisoft devido às decepções recentes, o amor pelo tema está superando o ceticismo.

Metroid 4

Metroid é uma das franquias que o mundo deve sempre jogar. Assim como Mario, é um dos títulos da Nintendo que sempre vou me debruçar sobre. Apesar de não ter apresentado nada concreto, a simples possibilidade da franquia voltar aos radares já me deixa animado. Um clássico que influenciou diversos outros clássicos da indústria é, e sempre será, um must have.

Spider-Man

Confesso que não acredito muito em jogos de super-herói. Sempre achei a maioria decepcionante, mas recentemente, principalmente por conta da série Arkham do Batman e Injustice, essa minha visão vem mudando um pouco. Para melhorar, o gameplay de Spider-Man exibido na E3 foi incrível, mostrando um jogo mais maduro com uma jogabilidade aparentemente boa e divertida.

Anthem

Ok, a Bioware vacilou recentemente com Mass Effect Andromeda. Inclusive, se não fosse por isso esse Anthem estaria ali em cima na lista, porém ainda merece destaque, sem dúvidas. Não vamos crucificar o histórico excelente da desenvolvedora por um deslize, muito pelo contrário, vamos lembrar que ela sempre foi referência de excelência. Além disso, o vídeo de gameplay de Anthem exibido na conferência da Microsoft foi de cair o cu da bunda o queixo. Gráficos estonteantes, gameplay sólido e flúido, além de diversas possibilidades.

Metro Exodus

Eu arrisco a dizer que a série Metro é uma das melhores séries de tiro em primeira pessoa de todos os tempos. Ela conta com títulos muito bem escritos, uma dificuldade de dar gosto aos hardcore gamers, gráficos sempre de ponta, muita tensão e diversão, não há como deixar de fora mais um jogo da franquia, ainda mais com o poderio do avanço da geração e todas as possibilidades que temos em mãos agora.

Assassin’s Creed Origins

Ok, mais um jogo da Ubisoft, mas é uma boa razão. Eu sempre fui um crítico das franquias anuais, como fora Assassin’s Creed até o ano retrasado, pois tendem a perder muita qualidade em favorecimento de quantidade. Inclusive já escrevi neste mesmo site elogiando a Ubisoft quando a empresa ouviu as críticas e decidiu não lançar um título ano passado para reformular a série e trazer a qualidade de volta. Portanto, apesar de cético, acho muito válido ver o que a Ubisoft trouxe depis desse intervalo valioso. Será que Assassin’s Creed vai retornar aos seus tempos de glória?

Mostrar mais

Ricardo Carvalho

Ricardo Carvalho é escritor, desenhista, filósofo de sofá, cineasta frustrado e ativista pela aceitação mundial de que videogame é arte. Redes: twitter.com/perfilricardoc, instagram.com/perfilricardoc.
Botão Voltar ao topo
Fechar