Rocket League cria novas regras de ‘ban’ e o que a Sony tem a ver com isso

No post oficial (você confere clicando aqui), a Psyonix revelou a necessidade de se adaptar à sua crescente comunidade, que hoje já conta com mais de 34 milhões de jogadores após dois anos do lançamento. Para isso destacaram a necessidade de manter Rocket League em um ambiente saudável para todos os jogadores, de todas as idades.

Para tal, a empresa adotou um sistema de auto-ban para determinadas palavras. Apesar de não sabermos quais são elas (a própria disse que não tornará essa lista pública), todas são ligadas a preconceitos – raciais, gênero etc. – relatados por jogadores assediados. Cada palavra vai ter uma espécie de limite de uso bem limitado, tipo uma margem tolerância, e que a partir de então o jogador poderá ser banido automaticamente por 24, 48, 72 horas, uma semana e, então, um ban eterno, dependendo da reincidência.

A Psyonix afirmou que eles tentam manter seus sistemas de penalidades em dia e com uma boa lógica, mas que não existe nada melhor do que o retorno da própria comunidade para que o ambiente de Rocket League seja o mais inclusivo possível. Aliás, eles falaram para que você, caso veja algum jogador faltando com respeito ou sendo abusivo, reporte, denuncie com uma foto e deixe que eles façam o resto do trabalho. Legal, não é?


Tá, mas o que isso tem a ver com a SONY?

Em junho, postei uma matéria que falava sobre a postura contrária da Sony quanto à possibilidade de cross-play total para Rocket League (para ler a matéria, clique aqui). A desculpa dada pela gigante do PS4 era sua preocupação com o ambiente online, no sentido de cuidar de seus jogadores, principalmente os mais novos. A Sony afirmou que ela poderia agir de forma a garantir um ambiente seguro dentro do escopo do seu próprio console, mas que isso não seria tão fácil de ser feito quando outros jogadores de outros disposivitos se encontram.

Pois bem, parece que o cerco está fechando. Se depender da incrível (opinião pessoal) Psyonix, desenvolvedora do game, essa desculpa não vai se sustentar por muito tempo. Será que em breve teremos um jogo com cross-play total? Será algo histórico e muito saudável.

Até lá!

Publicado
Ricardo Carvalho é escritor, político e filósofo de sofá, cineasta frustrado e ativista pela aceitação mundial de que videogame é arte. Quer saber mais? facebook.com/OficialRicardoCarvalho