Análise: Hakuoki Edo Blossoms traz a continuação dos contos de Kyoto.

Sendo a continuação de Hakuoki Kyoto Winds, em Hakuoki Edo Blossoms temos o próximo arco da história de Chizuru Yukimura e também o clímax deste conto. Enquanto na versão original lançada para PSP e PS3, este seria o ponto principal do enredo, onde realmente o prólogo conclui e a história juntamente do romance começa a desenrolar. Atenção! Teremos spoiler de Kyoto Winds.

ABANDONANDO KYOTO EM BUSCA DE NOVOS VENTOS

Primeiramente devo citar que Hakuouki originalmente era um único jogo, mas seu remake acabou recebendo duas versões distintas, por conta da adição de 6 rotas que não existiam no game original, sendo que três delas apresenta mnovos personagens, enquanto as outras é para personagens que não receberam a devida atenção em Hakuoki: Stories of the Shinsengumi.

Em Hakuoki Kyoto Winds vemos a garota Chizuru Yukimura em busca de seu pai e entrando para a Shinsengumi, tendo que conviver com os segredos obscuros existentes nesta região como a existência de onis (demônios japoneses) e um suposto remédio capaz de curar enfermidades, mas transformando aquele que o toma em algo próximo de um oni, conhecido por furies. Enquanto isto, em Hakuoki Edo Blossoms, temos que encarar a crise que caiu sobre a Shinsengumi diante do confronto contra seus inimigos e a necessidade de fugir para sobreviverem.

Por ser uma visual novel voltada para o público feminino, é costumeira a existência de um romance. Porém, em Kyoto Winds não tivemos a conclusão dos romances, ou seja, o famigerado “Love ending”. Fazendo com que Edo Blossoms também tivesse a responsabilidade de entregar esta conclusão.

Diferente do primeiro jogo onde você cai de forma semialeatória numa das rotas, nesta sequência você pode escolher por qual delas irá acompanhar. Isto acaba auxiliando bastante quem estiver jogando, já que cada história é deveras longa e deste jeito pode escolher de maneira imediata qual das conclusões verá primeiro.

Por fim, se você não jogou Kyoto Winds, e não tem vontade de jogá-lo, mas quer sente-se curioso em saber o que acontece em Edo Blossoms, saiba que não é 100% necessário jogar o primeiro, pois aqui temos um resumo de cada rota para facilitar a vida de todo mundo.

TEREM DIVIDIDO O JOGO EM DOIS VALEU APENA?

O capitalismo é algo lindo, não? Mas tirando as brincadeiras de lado posso confirmar que em certo ponto valeu a pena. O portátil da Sony teria capacidade de rodar um Hakuouki com a história completa, porém, a adição que Kyoto Winds recebeu ao ter mais seis rotas com material inédito acabou prolongando muito a vida útil desta visual novel. Se o ambos fossem o mesmo título certamente ficaria um prato cheio, mas ao menos a divisão auxiliou para não ficar maçante, pois como um todo o jogo seria bastante longo.

2018-04-07-182648

CONCLUSÃO

Hakuoki Edo Blossoms consegue ser uma boa conclusão para a história iniciada em Kyoto Winds. Quem já conheceu a história por meio da visão de PSP e PS3, terá como adição as seis rotas adicionais ou a opção de matar a saudade desta narrativa épica que se passa num Japão feudal. É a definitiva volta do melhor trabalho da Idea Factory em questões de Otome Game.

notas

Publicado
Futuro publicitário louco por toda a cultura nerd e geek. Redator do Última Ficha e apaixonado por jogos. Principalmente aqueles que vem da terra do sol nascente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *