E3 2018 Preview: Battlefield V te coloca em um campo selvagem de guerra

Durante nossa passagem na EA Play 2018, tive a oportunidade de jogar Battlefield V (na realidade estava entre os primeiros da fila e estive no primeiro grupo a jogá-lo no evento, também conhecido como #first). Como sou um perna de pau em jogos de tiro, eu certamente morri que nem um pobre coitado pego em fogo cruzado, mas felizmente pude avaliar muitas coisas, em especial a tela de morte….

Antes de mais nada, vale dizer que esse não era o modo Battle Royale que foi anunciado na conferência. O modo que jogamos era uma espécie de conquest (Edit: o modo foi o Grand Operations) onde os times (cada um com 32 jogadores) tinham que atacar e defender um mapa dividido em bases e ele se dividia em 2 partes, ambas passadas na terra gélida da Noruega. Inclusive esse cenário já explicou uma implicância que muitas pessoas tiveram com o jogo. Por se passar em uma terra mais ao norte em um período com muita neve, é natural que a palheta de cores tenda a ser mais clara por causa do efeito do sol no gelo. Dito isso, eu achei bem representativo o mapa e também o cenário contava com muitos detalhes, fumaça, a clássica destruição do ambiente com tanques quebrando as casas, granadas explodindo paredes e por ai vai. Era um amplo complexo cheio de pontos para se esconder, casas e muitas elevações. Vale pontuar que estávamos jogando em um PC ultra bombado e o jogo estava rodando no Plus Ultra.

Agora já indo para a parte do gameplay, temos o Battlefield que conhecemos e amamos com poucas modificações. Os grupos e times poderão escolher entre as classes como Assault, Médico, Engenheiro, etc e cada um terá seu loadout de armas. O que ficou bem evidente é que o recoil da arma está bem forte dependendo da sua classe. Enquanto eu joguei com a médica e com o engenheiro eu tinha uma certa precisão, quando eu joguei com o Assault, parecia metralhadora na mão do macaco. Eu não acertaria nem um elefante se aparecesse na minha frente. (Lembrando que este que vos escreve não chega nem perto de ser bom em jogos de tiro haha)

Por fim, vamos falar das novidades. A ideia deste modo é que seja uma guerra de dois dias. Em uma dia você irá atacar a base dos inimigos enquanto no segundo você irá se defender dele e suas bases. O que pude ver claramente em Battlefield V, é que ele está bem mais cadenciado, vou explicar: O intuito dele é ter uma pegada um pouco mais estratégica e de atacar em grupo e não sozinho. Não só isso, sua munição e vida acaba mais rapidamente e precisará de seus amigos para repor tudo. Entra também como uma novidade a possibilidade de fazer loot sobre os corpos dos inimigos.

Confira um gameplay deste modo lançado pelo Canal jackfrags:

E para finalizar este preview, tenho que pontuar os dois maiores destaques ao meu ver. O primeiro é a possibilidade de poder fazer construções on the go em diversos pontos do mapa. Isso não só lhe dará uma cobertura quase que imediata, mas será possível construir fortificações ao longo de um ponto específico auxiliando todo o time. Outra característica é na parte da defesa. Você ficará de certa forma encurralado, pois o time de ataque sempre irá pressionar para tomar uma certa região e, infelizmente, não será possível você se locomover fora dessa região de combate para surpreender o inimigo. Caso tente fazer isso, você simplesmente morrerá. Isso não só aconteceu comigo, mas vi muitas pessoas morrendo do mesmo jeito porque “saiu do limite do campo”.

Um Campo de Batalha muito mais cooperativo

No geral achei bem bom o novo Battlefield V e ele impressiona graficamente, assim como sua engenharia de som e gameplay. A ideia de ser mais realista, faz com que os jogadores tenham que cooperar muito mais do que em qualquer outro Battlefield já lançado. Battlefield V será lançado no dia 19 de Outubro para PC, PS4, e Xbox One.

Publicado
Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.