Análise: Replay – seu guia definitivo sobre a história dos games

‘Replay: The History of Video Games’, livro escrito por Tristan Donovan, um inglês veterano da indústria, cobre cerca de 70 anos da história dos videogames. A ambiciosa obra abarca desde antes dos primeiros movimentos de Spacewar! até a geração do X360 e PS3 (2010). Para compor cada capítulo dessa enciclopédia dos games, Donovan usou centenas de entrevistas, milhares de horas de jogo, diversos artigos, registros comerciais, acadêmicos e cartas pessoais. O intenso trabalho deu resultado porque Replay é sem dúvida o mais completo livro sobre a história dos videogames da atualidade.

Existem dois grandes focos nesta obra: os jogos e os desenvolvedores individuais que trabalharam nestes games. As escolhas de cada tem a ver com a influência do jogo e da pessoa para a história e o desenvolvimento da indústria de games no mundo. Portanto, alguns jogos de grande impacto no mercado sequer são mencionados, pois apesar de seus respectivos sucessos, pouco agregaram para o setor como um todo. Até mesmo falei sobre algo parecido em artigo recente sobre porque acho The Witcher 3 o jogo desta geração (clique aqui).

Cada capítulo é uma fatia pequena da evolução do mundo dos games. Começando desde os primeiros testes com inteligência artificial, passando pelo surgimento dos PCs, consoles, portáteis, 3D e jogos online. Além disso, também cobre as idas e vindas das principais empresas, o surgimentos de gigantes e o tombo de colossos. As brigas jurídicas, as cruzadas morais, a criação da classificação etária e a chegada da internet. Tudo que envolve os jogos está escrito de forma resumida neste não tão pequeno livro.

A linguagem é bastante acessível para a quantidade de conteúdo técnico que o livro abarca, principalmente no começo. Na primeira parte, quando os games eram meros programas de computador para testarem a capacidade de “raciocínio” das máquinas, não há outra maneira de tratar se não em falar sobre códigos e nomenclaturas técnicas mesmo. Apesar disso, Donovan consegue fazer um texto corrido e de boa leitura que não engasga em tecnicidade exagerada que deixaria de fora o interesse de muitos leigos. Por outro lado, essa tentativa não significa que eu não tive problema em ler. Justamente o início do texto é mais pesado e demora um pouco para engatar.

Outro ponto negativo foi a pouca quantidade de imagens. Para um livro que trata de um período de tempo tão grande e que seu início data de 70 anos atrás, seria muito importante ter mais do que uma ou duas imagens por capítulo. Eu tive que recorrer com certa frequência à internet para buscar uma foto ou outra de um equipamento ou de alguma pessoa da época. Sem falar no fato de que o livo fala nada do mercado brasileiro de games e, como deu para perceber pelo título, só está disponível em Inglês.

Mas no geral, o livro é uma excelente porta de entrada para estudos na área dos games e um magnífico compêndio para qualquer jornalista da área ter bastante conteúdo para usar de comparação e para incrementar seus textos. Para o público em geral, é apenas indicado aos curiosos que realmente gostam de conhecer o terreno onde estão pisando, pois as partes mais técnicas vão ser bem trabalhosas de se ler.

Quer entender de onde surgiu as rivalidades mais quentes do mundo dos games? Aqui você encontra. Se você prefere entender de onde surgiu tamanho alarde por causa do jogo Doom, esse também é o seu livro. Alguns procuram entender por que pessoas como Shigeru Myamoto são tão importantes para o mundo dos games. Outros querem saber como World of Warcraft é até hoje um grande sucesso. Tudo isso você encontra nestas páginas. Quem sabe o pessoal do Última Ficha não trabalha em uma tradução da obra?

O livro pode ser comprado em versão digital por cerca de R$20,00 ou importado, chegando aos R$80 ou R$100 com frete. Não é barato.

Publicado
Ricardo Carvalho é escritor, político e filósofo de sofá, cineasta frustrado e ativista pela aceitação mundial de que videogame é arte. facebook.com/oficialricardoc, twitter.com/oficialricardoc, instagram.com/oficialricardoc

One thought on “Análise: Replay – seu guia definitivo sobre a história dos games

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *