Análise: Katana Zero vai te desafiar, te divertir e te frustar de forma viciante

Dessa vez a nossa querida Devolver Digital se uniu a desenvolvedora askiisoft para trazer mais um excelente jogo indie, o Katana Zero. Nele você deverá assumir o protagonismo de um espadachim solitário que sofre com distúrbios e deverá encarar dezenas de desafios.

Confira abaixo nossa análise.

Já foi ao psicólogo hoje?

Katana Zero começa (após um breve tutorial) com nosso herói, sem nome, chamado apenas de Dragão, em uma sessão com seu psicólogo. Em todos os diálogos você poderá sempre escolher opções de resposta ou então simplesmente cortar as pessoas com que está falando. Isso fará com que cada vez entenda o que está acontecendo.

Ao final de cada sessão, você recebe seu remédio e receberá uma missão para assassinar um alvo (baita psicólogo este, viu?!). Ao longo do jogo você encontrará diversos personagens que variam entre um perigoso mafioso russo até uma simpática criança que será sua vizinha.

Com o passar do jogo você matará cada vez mais pessoas que irão mexer com o mundo e deixará seu psicólogo revoltado, não somente isso, mas você será terá sonhos estranhos e sempre estará tentando buscar respostas. A trama é complexa e nunca fica clara o que aconteceu com seu passado ou quem é seu empregador. Porém, os personagens são interessantes e sempre te instigam ir um pouco mais a frente para entender o que está acontecendo.

Tente de novo e de novo

Como falei, o Dragão recebe um remédio, certo? Pois bem, esse não é um remédio normal e dá poderes de reduzir a velocidade do tempo. Não somente isso, mas caso morra, você poderá rebobinar a fase e tentar novamente. A ideia é que você esteja vendo um vídeo em VHS e teria a habilidade de rebobinar a fita para rever um lance/evento.

E é aí onde o jogo vai te deixar louco em todos os sentidos, ele é difícil demais! A ideia é que caso leve um tiro você morrerá (alô Hotline Miami). E ao morrer, você voltará para o início do setor (cada fase é dividida em diversos setores). Ele tem uma visão 2D e é como se fosse um jogo de plataforma. É possível pular, atacar com a espada, pegar um item e tacar nos inimigos, “lerdar” o tempo e repelir balas com sua espada.

Por mais que ele tenha comando simples, você tem que ser super técnico, pois ficará difícil a cada novo setor/fase. Em alguns casos eu morria cerca de 20 vezes até fazer a run perfeita. Era uma mistura de sofrimento com satisfação. E por mais que o jogo seja simples, ele conta com um game design muito bom que irá sempre te surpreender. Por exemplo, em uma fase você terá que driblar câmeras de segurança, em outra andará em um carrinho de mina no melhor estilo Donkey Kong, em outra terá que usar fumaça para se esconder e por ai vai.

As surpresas ao longo do jogo, evolução na dificuldade e possibilidades nunca acaba!

Aplausos para o visual e a trilha sonora

Por fim tenho que aplaudir o belo trabalho feito em cima do visual do jogo e em sua trilha sonora. Feito através do pixle art, ele tem uma temática neo-noir que combina um mundo com visual futurista e com elementos da década de 90. Não somente ele apresenta diversos belos visuais, mas também é muito interessante o decorrer das fases. O exemplo mais claro é o rastro de sangue no chão e na parede após matar os inimigos (nunca disse que era um jogo de família).

Além disso, antes de cada fase iniciar, o Dragão coloca sempre uma excelente música que compões muito bem com o estilo de ação do jogo em seu toca-fitas. Sim, eu disse, TOCA-FITAS! Existem outras referências no jogo a década de 90 como TV de tubo, VHS e mais. É possível ver diversas vezes um filtro no jogo como se fosse uma fita falhando/velha.

Conclusão

Katana Zero foi um jogo que me surpreendeu. Sua execução é impecável e me deixou vidrado por horas com visuais muito interessantes, uma ótima trilha sonora e diversas surpresas a medida que eu avançava no jogo.

Realmente não tenho nenhuma sugestão para melhorar o jogo ou então tecer qualquer tipo de crítica. Somente compre-o e seja feliz.

Caso vá comprar no Nintendo Switch, saiba que o jogo encontra-se disponível na Loja Nintendo por menos de R$ 30,00 totalmente em português.

notas

Publicado
Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *