Jogos Digitais – Como eles podem auxiliar o seu negócio

Se alguém disser para você que a presença online é hoje o combustível que move um negócio, essa pessoa não está errada. É fato que estar na internet ajuda muito qualquer tipo de negócio, seja uma sapataria ou uma loja virtual de produtos de maquiagem.

Por isso, questões como a hospedagem de site e um registro de domínio devem estar entre as prioridades de um empreendedor. A hospedagem melhora o desempenho do seu site, além de conferir mais segurança para ele.

Por outro lado, registrar um domínio transmite a credibilidade e o profissionalismo necessário para fazer com que os clientes tenham a confiança para retornarem mais vezes.  

E se você ainda não tem o seu registrado saiba mais!

No entanto, além da hospedagem de site e do domínio é necessário ter à disposição métodos para assegurar uma boa estratégia de marketing. É preciso saber como se aproximar e interagir com os seus leads.

Sendo assim, para cumprir tais objetivos é que a utilização dos jogos digitais pode ser uma aliada importante nesse processo.

A grande influência dos games nos dias de hoje

Se formos mergulhar na história dos games, vamos acabar voltando lá para a segunda metade do século XX. Foi nessa época, no final da década de 50, que o jogo Tennis for Two (uma simulação bem simplória do tênis de mesa) foi desenvolvido.

O tal jogo, na prática, nunca foi comercializado. Porém, alguns anos mais tarde, mais precisamente em 1961, foi desenvolvido o game eletrônico Space War, com a temática de naves de guerras.

Depois disso foi um pulo para que, nas décadas de 70 e 80, a Atari se tornasse a gigante do mercado de games e desse ao mundo clássicos como Pac-Man e Space Invaders.

Não custa salientar que na década de 80 o avanço da tecnologia permitiu que a indústria de games desse um passo gigantesco batendo de frente com outros setores do entretenimento, tais como as indústrias cinematográficas e fonográficas.

Uma prova disso foi o personagem Mario Bros, criado em 1983 pela Nintendo. O fato é que esse personagem bigodudo aos poucos iria rivalizar em popularidade com Mickey, Pernalonga e outros ícones. Isso apenas reforçou a crescente influência dos games no dia a dia.

Nos anos 90 a indústria dos games – como se diz no próprio universo dos jogos – “avançou uma fase”. E foi então que surgiram jogos famosos. 

Nesse período praticamente não havia adolescente no planeta que não conhecesse o Street Fighter (desenvolvido pela Capcom) e o Mortal kombat (cria da Midway). O Sonic, por exemplo, foi uma resposta da Sega ao Mario, famoso personagem da rival Nintendo.

Depois disso o avanço dos games continuou em ritmo vertiginoso. Os jogos se tornaram uma grande mídia. Sendo assim, grandes empresas, como Marvel, DC e Warner, começaram aproveitar ao máximo esse nicho.

Foi aí que personagens como Homem-Aranha e Indiana Jones migraram das telas do cinema e das páginas das revistas em quadrinhos para as telas dos fliperamas e videogames. A indústria dos jogos eletrônicos cada vez mais acumulava pontos.

Além disso, jogos dos mais variados, como Sonic, Top Gear e outros, também seduziam adultos, o que fez vários empreendedores abrirem os olhos para o universo dos games.

Desse modo, percebendo que os games podem auxiliar um empreendimento das mais variadas maneiras, aos poucos o termo “advergames” se tornou pauta nas reuniões de estratégia de Marketing.

Advergames – Quando publicidade e jogos digitais unem forças

Jogos digitais possuem uma narrativa imersiva. Eis aí o que faz adultos e crianças olharem para eles de forma apaixonada. Os jogos digitais ensinam, estimulam a criatividade, trabalham a coordenação e também são excelentes formas para vender e divulgar um produto.

A razão disso se deve ao fato de que os jogos digitais são um festival de calls-to-action insistindo para o usuário continuar avançando na narrativa. Eles são divertidos, desafiadores e unem várias práticas de storytelling de maneira interativa. 

Entretanto, é com base em tais características que os advergames entram no empreendedorismo trazendo um elemento que casa perfeitamente com o atual momento do Marketing Digital: a busca pela interatividade.

Eles consistem na utilização de jogos digital para anunciar um produto ou serviço. Um exemplo disso foi em 1983, quando a Atari e a Mattel lançaram o jogo Kool-Aid Man para divulgar a bebida Kool-Aid.

Advergames podem ser jogos concebidos com o intuito de se encaixarem em torno de conceitos voltados para um determinado produto. Por outro lado, eles podem ser mais discretos, como, por exemplo, outdoors inseridos no jogo. 

Apesar de existirem desde a época em que o Space Invaders era a febre dos game-maníacos, o termo “Advergames” veio à tona mesmo no início dos anos 90, em um artigo da revista Wired.

Nesse artigo, redigido por Anthony Giallourakis, a junção das palavras “jogos” (em inglês “games) e publicidade (em inglês “advertising”) foi o neologismo perfeito para expressar o quanto um game pode auxiliar um determinado empreendimento.

Os jogos são desenvolvidos baseados na marca ou no produto. Além disso, eles se tornam disponíveis ao público por meio de diferentes canais. 

Nos dias de hoje, em que a internet traz uma diversidade de canais, é possível utilizar advergames nos sites ou mídias sociais da companhia. Em alguns casos eles podem ser disponibilizados para download em computadores ou nos dispositivos móveis dos clientes. 

Em determinadas situações, algumas empresas podem patrocinar jogos de prestígio entre o público justamente para terem anúncios inseridos neles. Essa prática recebe o nome de in-game advertising.

Um exemplo disso pode ser nos jogos digitais de futebol em que, aparecem ao redor do campo, placas contendo o nome e a marca de produtos conhecidos do grande público.

Outdoor em jogos pela cidade é bem comum

Hora do jogo, hora dos nossos comerciais 

Que os jogos digitais e a publicidade podem ser aliados importantes de um negócio não há dúvidas, mas, afinal, como e quando o empreendedor deve usar esse recurso?

O fato é que, assim como um personagem de um jogo deve utilizar a sua principal arma com sabedoria, o mesmo vale para os advergames.

O advergame utilizado de forma inteligente em um negócio permite que os valores da marca atinjam o público por meio das dinâmicas do próprio jogo. 

Como assim? Simples, se o objetivo é criar engajamento para uma marca de refrigerante, um cenário praiano onde os power-ups (objetos coletáveis que beneficiam o usuário) representam os produtos dessa marca não se tornam uma propaganda invasiva.

Ou seja, o objetivo é ter em mente que o game é uma narrativa que necessita da imersão total do jogador. Sendo assim, inserir a marca do negócio de maneira inteligente sem atrapalhar a experiência do usuário já é meio caminho andado.

Outro detalhe a ser levado em conta é o fato de que games não seduzem apenas nerds adolescentes do sexo masculino. A ideia de que jogos digitais se resumem a jogos de tiro e pancadaria atrapalha a boa utilização dos advergames.

O “Paciência”, aquele mesmo que tem no seu Windows, é um dos games mais jogados do planeta e atinge todas as esferas de público. O mesmo vale para milhares de jogos e aplicativos de celular. 

Sendo assim, na hora de utilizar os jogos digitais para o seu negócio, é importante pensar nos diferentes tipos de público, nas diversas plataformas que esses consumidores utilizam para jogar e como o seu produto ou marca estará inserido nisso tudo.

Não há uma receita de bolo

Quando o assunto é utilizar os jogos digitais no seu negócio, a grande recomendação é saber aliar a sua marca com a narrativa e a dinâmica do game. Esse é o “baú do tesouro” que se busca no final do arco-íris: tornar a sua marca visível, sem ser inconveniente.

Na teoria é fácil, mas na prática a situação não é bem assim. É necessário ter planejamento, um bom conhecimento da persona, das mídias utilizadas e das diversas dinâmicas de jogos digitais.

Sendo assim, não há uma receita de bolo definindo quais são as regras para que um advergame obtenha resultados com 100% de sucesso. Contudo, há algumas dicas que podem auxiliar muito nesse processo. Vamos ver?

Saiba a hora de ser discreto

Não há a necessidade de esfregar na cara do jogador a marca do seu produto. A marca “berrando” no cenário pode atrapalhar a experiência do jogador. 

De uma forma geral, o ideal é ser sutil em sua estratégia, pois um jogo basicamente é uma história e ela é o foco central da narrativa.

Torne o seu game acessível

Encontrar maneiras para viralizar o seu jogo é fundamental, pois é importante que mais pessoas do seu público-alvo tenham acesso a ele. 

Sendo assim, possibilite que os usuários tenham condições de inseri-lo em sites de terceiros e proporcione a eles as ferramentas aptas para fazer isso possível. 

Caso estejamos falando de um game para computadores ou consoles, permita que o game integre uma campanha maior. Uma alternativa é distribuir cópias para gamers especializados efetuarem resenhas a respeito dele.

Estimule o jogador a avançar

O game que não traz atrativos para o jogador avançar as etapas, ou desenvolver ainda mais as suas habilidades estão fadados ao fracasso. 

Se um dos grandes objetivos dos advergames é criar engajamento do público com a marca do seu negócio, é fundamental criar no jogo uma dinâmica que valorize ainda mais a experiência.

Uma alternativa para isso é estabelecer um sistema de pontuação que ofereça benefícios para o usuário que obter o maior número de pontos.

Exemplos práticos dos games utilizados para ajudar um negócio

Não é de hoje que podemos ver o quanto uma marca pode explorar o potencial imersivo dos games. Vamos ver abaixo alguns exemplos dessa utilização. 

Pegadinha

Lançado em 2016, esse jogo desenvolvido pelo estúdio Aquiris, no Rio Grande do Sul, foi concebido de divulgar o “Apenas um Show”, desenho animado criado pelo Cartoon Network.

O game segue aquela dinâmica conhecida como “Tower Defense”, em que o usuário arca com a responsabilidade de defender uma fortaleza. O jogo foi desenvolvido para ser utilizado em dispositivos móveis.

Chester Cheetah

Lançado em 1992, no ápice de jogos como Sonic e Mario, a Elma Chips uniu forças com a Nintendo e criou um jogo protagonizado pelo mascote Chester Cheetah. 

A dinâmica não é muito diferente dos já citados Sonic, Mario e demais congêneres, mas é muito divertido e, o mais interessante: em nenhum momento o jogo faz menciona a marca da empresa.

Crazy Taxi

Esse game lançado em 1999 tem uma dinâmica bem humorada envolvendo peripécias no trânsito. Porém, de vez em quando, o jogador se depara com a presença de algumas marcas famosas estampando outdoors e placas no cenário.

Contudo, eis aí uma alternativa interativa e divertida que gigantes como a Pizza Hut e a Levi’s encontraram para impactar o seu público-alvo.

Pizza Hut no Crazy Taxi, um clássico

Chex Quest

Foi no ano de 1996 que a marca de cereal Chex aderiu ao lado “advergame” da força. O jogo em questão nada mais é do que uma espécie de Doom (famoso jogo de tiro) adaptado para a temática do produto.

Se o Doom original é um game famoso pela sanguinolência e por monstrengos nada amigáveis, o Chex Quest optou pelo caminho inverso e acertou em cheio o público infantil.

O resultado dessa empreita: as vendas do cereal tiveram um significativo aumento de vendas em meados da década de 90.

Os benefícios dos games aliados ao seu negócio

A indústria dos jogos digitais movimenta anualmente oceanos de dinheiro. Isso não é surpresa, pois vale destacar que existem mais de 2,5 bilhões de jogadores habitando em nosso planeta. 

Os videogames, na verdade, já apresentam uma faixa de lucro considerada maior do que a produção cinematográfica que, convenhamos, já é gigantesca. 

O fato dos games digitais cutucarem os calcanhares da poderosa indústria hollywoodiana também não é surpresa. Afinal, se as pessoas apreciam histórias e cinema é a arte de narrar histórias, a interatividades dos jogos amplia essa capacidade.

A possibilidade do jogador estar dentro da história e adquirir personalidade ativa no desenvolvimento da trama é o que caracteriza os jogos digitais, os tornando excelentes canais de comunicação e divulgação de ideias.

O efeito imersivo dos jogos digitas também possui um enorme valor, pois ao invés de ficar exposto a um anúncio de 30 segundos, a atenção do jogador é capturada de um modo mais intenso e por um tempo mais prolongado. 

Diante disso, o usuário tem totais condições de interagir com o produto ou com o mascote da marca, ser impactado por anúncios inseridos no cenário ou, quem sabe, visualizar anúncios ao redor da tela de jogo. 

A mídia e muitos empreendedores, de uma forma geral, olham com interesse essa mina de dinheiro que é o universo dos jogos digitais. A prova disso são os campeonatos de games cada vez mais famosos.

A popularização também dos ciberatletas é outra prova de que os games estão cada vez mais inseridos na nossa cultura. Inclusive, para muitos apreciadores dos jogos digitais, ser um “ciberatleta” já é uma profissão rentável.

Com tanto apelo popular, é impossível que um empreendedor ignore a importância dos jogos digitais. Por isso, investir em advergames traz algumas vantagens bem evidentes. 

Proporciona mais visibilidade para sua marca

A utilização dos jogos tem tudo para tornar melhor a percepção que a persona tem da sua marca. As razões para isso residem no fato de que são divertidos, interativos e, na maioria dos casos, desafiadores. 

Repare que desafios, interatividade e entretenimento são ingredientes importantes para a obtenção de um sólido elo entre negócio e público-alvo. 

Atinge diferentes nichos de público

A noção de que o universo dos jogos digitais é um terreno majoritariamente masculino é ultrapassada. Outro erro clássico é a crença de que apenas a parcela nerd da população se interessa por games.

Os ditos nerds talvez tenham um conhecimento mais aprofundado sobre o assunto e podem passar horas e horas conversando sobre como destruir uma nave do império Shiar. 

No entanto, não é apenas de ficção científica e aventura que se vive o universo dos games. Há espaço para os mais variados jogos digitais e, consequentemente, mais nichos de público se interessam por eles.

Sendo assim, uma loja de roupas femininas pode muito bem elaborar um game destinado para esse tipo específico de público. Basta conhecer os interesses, os desejos e as dores dessa persona e criar um game com uma dinâmica adequada.

Público dos e-sports já ultrapassa muitos esportes tradicionais

Possui um custo baixo

Quando colocado lado a lado com alguns canais mais tradicionais de marketing e propaganda, como, por exemplo, a televisão e mídia impressa, os jogos digitais se revelam como uma mídia de custo mais em conta. 

Diferente dos comerciais de 30 segundos para TV que podem custar valores exorbitantes, um game digital pode ser desenvolvido sem obrigar o empreendedor a rapar o seu cofre.

A marca se torna mais exposta

Outro benefício dos jogos digitais está relacionado com o tempo de visualização que a marca pode ter. 

Se em um comercial de 30 segundos na TV a marca pode passar despercebida, assim como em anúncios impressos e online, os games digitais agarram a atenção do jogador com maestria. O segredo disso está na capacidade de imersão que essa mídia apresenta.

Além disso, os games podem jogar em horários estipulados por eles mesmos, o que colabora para aumentar ainda mais o tempo de exposição.


Ajude o ÚltimaFicha de forma gratuita, clique aqui e inscreva-se no nosso canal do Youtube


A capacidade da viralização

O público gamer, de uma forma geral, é caracterizado pela exigência de qualidade. Fatores como jogabilidade, gráficos bem feitos e capacidade de imersão são alguns dos critérios que eles levam em consideração para determinar se um jogo é bom ou não.

Jogos que passam pelo crivo dos jogadores mais experientes e exigentes podem se tornar conhecidos em pouco tempo. A divulgação se torna grande e a capacidade de se tornar viral é real.

Por isso, investir na produção de um game digital bem feito e capaz de atender as expectativas do público é uma boa maneira de tornar a sua marca mais exposta.

Boa capacidade de avaliação

Não se faz um bom Marketing Digital sem analisar as métricas do processo. Por isso, não é à toa que o Google Analytics é tão importante. 

No entanto, é fundamental saber qual é a origem do tráfego, qual o vídeo causou mais engajamento, quanto tempo as pessoas ficam na sua postagem.

No caso dos games, é possível inserir ferramentas de rastreamento dentro dos jogos. Com isso, você obtém dados importantes sobre o andamento da sua campanha.

Os diferentes tipos de inserção nos advergames

A maneira como os jogos digitais são utilizados para divulgar o seu negócio deve ser muito bem planejada, sempre pensando no tipo de público e também na jogabilidade. É importante divulgar a sua marca sem atrapalhar a diversão.

Com isso, elencamos abaixo alguns dos tipos de publicidades que são mais eficientes nos jogos digitais. 

Dynamic-in game

Acontece quando os detalhes de publicidade colocados no game podem ser alterados de forma dinâmica dentro da narrativa do game. Esse formato permite que seja possível incluir ou excluir a integração de uma marca inserida nele. 

Game Skinning 

Este formato de propaganda em games ocorre a partir do momento em que é inserido qualquer tipo de marca no próprio jogo.

Lata de Red Bull no jogo Worms

Inter-Level

Acontece quando há a exibição de vídeos de publicidade digital no decorrer das partidas ou das fases do jogo. O Inter-Level é eficiente em jogos destinados para os dispositivos móveis. 

Conclusão

Do Space Invaders ao mais recente lançamento da franquia Mortal Kombat a diferença é enorme. Porém, o fascínio que ambos exercem em seus respectivos tipos de público é também muito grande.

Se sozinhos os jogos digitais possuem um poder de fascínio digno de rivalizar com outras produções midiáticas, como o cinema e a literatura, unidos então com a publicidade esse poder aumenta na hora de conquistar o público.

Os Advergames, essa união dos games com os negócios é um belo exemplo da arte de unir o útil ao agradável. Os advergames são válidos caminhos para o empreendedor associar a marca do seu negócio com algo que os seus clientes utilizam para diversão e descanso. 

Por essa razão, os advergames podem ter um perfil educacional e estimulante, auxiliando as personas em suas dores e trazendo a ideia de que o seu negócio é a melhor solução.

Mostrar mais

Bruno Degering

Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.
Botão Voltar ao topo
Fechar