Eu não queria ter que torcer pelo Flamengo

Equipe representa o Brasil no mundial de LOL a partir do dia 2 de outubro

De todas as equipes possíveis do CbLoL, e até mesmo do Circuitão, a que eu menos queria ver no Worlds (mundial de LoL) era o Flamengo. Nada contra nenhum dos jogadores da line-up, inclusive acompanho bastante o Robo, Flanalista (te amo) e o brTT. Meu problema é com a instituição Flamengo.

*Este é um artigo de opinião cedido pessoalmente por seu autor, Igor Pontes (ex Gamespot Brasil), clique aqui para ler o artigo original

 

Não me entenda mal, ou entenda (vai de você), mas minha antipatia pelo Flamengo vem desde criança e por causa do Futebol. Sendo torcedor do Fluminense, sempre desgostei do time da Gávea e não consigo suportar a personalidade marrenta do Flamenguista fanático.

Acredite em mim, eu lido com uma Flamenguista desde que nasci (minha mãe). E por mais que ela não acompanhasse futebol ou só tivesse visto alguma coisa na época que o Zico jogava, ela sempre fazia questão de atormentar tanto meu pai quanto eu em qualquer Fla x Flu decisivo. Desse jeito é difícil ter qualquer simpatia pelo Rubro Negro.

VEJA MAIS

E se você acha que eu vou chegar aqui e te falar que o Flamengo eSports me encantou e por isso eu sou 100% vai mengão, pode esquecer amigo.

Mas nem por isso, eu vou deixar de torcer que o cenário brasileiro de LoL cresça. Nesse momento o mais importante é que mesmo que eu prefira mergulhar minha cara em ácido a torcer pelo Flamengo, que o brTT coloque pra Rexpeitar e fique 15/0 de Draven. Que o Shrimp roube 3 Barons contra a Dawmon e que o Goku carregue contra a Royal Youth.

Arena do mundial de LOL em 2016
Imagem da arena do mundial em 2016

Por mais que eu ache completamente errada a forma que o Flamengo aparenta (ou não demonstra com clareza) estar lidando com a preparação do Mundial, não é hora de ficar querendo apontar dedinho e falar besteira por que não é um time que eu torço lá.

“Ah mas fizeram isso com a INTZ! Fizeram isso com a Kabum! Fizeram isso com tal time!”

Sim, eu sei. Mas é nesse momento que temos que separar críticas construtivas de hate gratuito no time. E acredite, também serei o primeiríssimo a cobrar caso o Flamengo jogue mal.

Também não estou falando que você tem que comprar uma camisa do Flamengo e tatuar “REXPEITA O PAI” no seu peito. Eu seria a última pessoa do mundo a te dizer isso.

Mas num cenário tão imaturo e que precisa de amadurecimento urgente por mais dos variados motivos que deixariam esse texto do tamanho da bíblia, o crescimento tem que vir de algum lugar.

Que seja da torcida.

*Igor Pontes é Jornalista e videomaker e ex-integrante da Gamespot Brasil. Você pode encontrá-los nas suas redes pessoais:

Mostrar mais

Ricardo Carvalho

Ricardo Carvalho é escritor, desenhista, filósofo de sofá, cineasta frustrado e ativista pela aceitação mundial de que videogame é arte. Redes: twitter.com/perfilricardoc, instagram.com/perfilricardoc.
Botão Voltar ao topo
Fechar