Análise: Panzer Dragoon Remake deixa a desejar

Jogo moderniza gráficos, mas gameplay não convence

Panzer Dragoon foi originalmente lançado em 1995 para Sega Saturn e 25 anos depois ele é trazido de volta com um remake do jogo clássico. Esse Remake foi feito pela desenvolvedora Mega Pixel e tendo a Forever Enterntainment como distribuidora.

Será que eles conseguiram manter o sentimento de 25 anos atrás? Confiram em nossa análise abaixo.

Não te conheço, nunca te vi, mas sobe ai e bora destruir o império!

Em 1995 história não era importante

A história de Panzer Dragoon Remake não poderia ser mais simples. Você é uma espécie de andarilho do deserto que acaba se encontrando com duas pessoas montados em seus dragões que estão lutando entre si. Uma das pessoas é abatida e você magicamente é escolhido para ser o “piloto” do dragão azul.

A ideia do jogo não é nem te apresentar uma boa história como personagens marcantes, mas te botar de cara na ação. O jogo é no estilo “shooting on rails”, ou seja, você não guiará seu dragão e deverá ficar atirando em seus inimigos, antes que eles acertem você. Ele é um arcade clássico que inclusive conta com fichas de continue! Acabaram as fichas? Comece tudo de novo.

De certa forma ele lembra jogos como Star Fox, onde tem uma mobilidade limitada e deve utilizar suas armas (importante dizer que Star Fox tinha muito mais mobilidade e recursos). Aqui, temos somente duas armas. Existe a possibilidade tanto de atirar compulsivamente, como segurar o botão de tiro que da um auto-lock em todos os inimigos. É importante saber quando utilizar cada modalidade de tiro.

Algo inovador que o jogo trazia para a época era a possibilidade de olhar para os lados e para trás e atingir os inimigos que te perseguiam. Isso logicamente foi mantido para o Remake.

O jogo conta com 7 fases no total e pode ser terminado entre uma a duas horas de jogo.

Novidades

A grande novidade vai para a melhora gráfica de Panzer Dragoon Remake onde tudo foi refeito. Todas as fases estão cheias de detalhes e o cenário está muito mais rico. Os inimigos também estão detalhados e foram refeitos. Um dos que mais me impressionaram foi a centopeia gigantes na segunda fase que fica escavando o chão.

Admito, essas centopeias são legais!

Uma outra novidade é que que é possível usar controles modernos. No Panzer Dragoon original assim como no Star Fox, conforme mencionei acima, era possível mover sua nave ao mesmo tempo que movia sua mira e atirava. Agora é possível colocar um controle moderno onde um analógico mexe o dragão e o outro move a mira, enquanto atira no gatilho.

Ainda está por vir para o jogo, exclusivo temporário de Nintendo Switch, uma versão remasterizada da trilha sonora. A atual é do jogo de 1995 que ainda é muito boa. Adicionalmente está por vir um controle via sensor/giroscópio para que possa usar os Joy-Con livremente.

Para fechar as novidades, foi adicionado um modo de fotografia no jogo. Basta parar no momento que achar mais bonito e tirar a foto perfeita.

Alguns inimigos são simples demais

O que faltou em Panzer Dragoon Remake

A grande verdade é que o jogo por mais que esteja bonito, ele ainda foi feito usando o projeto de 1995 que era extremamente limitado. Não existe uma evolução ou uma grande diferença de inimigos. Tirando os chefões, tudo segue praticamente a mesma lógica.

A experiência de Panzer Dragoon Remake como um todo é fraca. Não é tão simples poder mirar nele e muitas vezes era uma batalha desviar dos ataques inimigos e revidar o tiro. Simplesmente parecia que o gameplay não encaixava junto com a mira,o que não é satisfatório.

Outra coisa que me incomodou é que ao trocar de visão, só era possível atirar e não era mais possível desviar o dragão (pelo menos com o comando moderno). Não faz sentido poder desviar olhando para a frente e olhando para o lado e para trás o dragão ficar paralisado.

E por fim, algo que também me chamou atenção foi a velocidade e perspectiva do jogo. Além do fato dele estar em 30 FPS no Switch, ele parece que é um jogo mais lento que o original. Aliado a isso, a movimentação do inimigo é um tanto confusa e diversas vezes eles ficam colados em você destruindo qualquer tipo de estratégia – inclusive sobrepondo um ao outro.

Panzer Dragoon Remake pode ser comprado na Loja da Nintendo Brasil por R$89,99.

Panzer Dragoon Remake

Visual, ambientação e gráficos - 6
Jogabilidade - 4.5
Diversão - 4.5
Áudio e trilha-sonora - 7

5.5

Fraco

Panzer Dragoon pode ter sido um clássico para quem teve um Sega Saturn há 25 anos atrás, porém seu gameplay não envelheceu bem. Embora o jogo tenha uma trilha sonora muito boa e seus gráficos sejam agradáveis, sua jogabilidade simplesmente não vicia e parece que falta polimento, trazendo uma experiência geral fraca para o jogador. Claro, os fãs do jogo clássico irão achar valor nesse Remake, mas ele não se sustenta sozinho nos dias de hoje.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar