Análise: Dungeon of the Endless

Tower Defense com um temperinho a mais

Eu já tinha ouvido falar em Dungeon of the Endless, afinal é um game de 2014, mas eu nunca tinha tido a oportunidade de jogar, tudo o que eu sabia sobre o game era extremamente superficial. Sabia por exemplo, que era, que era um Tower defense com a adição de heróis, só.

Mas foi jogando que eu descobri um jogo intenso e envolvente de sobrevivência, que te desafia a cada fase assim como te instiga a querer progredir um pouco mais a cada passo, embarque comigo nessa análise que me surpreendeu.

Ambientação

Você, junto alguns presos condenados, são os tripulantes de uma nave espacial abatida que voa em direção ao sistema Auriga. Para os condenados a história é que será a chance deles serem re-introduzidos á sociedade, através de seu trabalho em Auriga. A realidade é que eles serviriam de escravos, afim de colonizar o planeta inexplorado.

Auriga, foi um planeta muito bem militarizado num distante e longínquo passado e seu sistema defensivo continua ativo, e ao detectar sua nave orbitando, ataca. Sua nave é pulverizada em segundos e você consegue se salvar usando um Pod de fuga, junto um dos criminosos.

Seu Pod cai em Auriga, sem sorte, o local de queda é uma masmorra e você está no andar mais inferior. Agora vai de você e seu parceiro subir até a superfície, isso é se existe…

Mecânicas

Como falei acima, eu havia ouvido falar superficialmente que Dungeon of the Endless era um tower defense, e assim, não está totalmente errado, mas eu devo dizer que encontrei um jogo muito mais profundo que isso.

A premissa é o seguinte, o core de energia do seu Pod de fuga está intacto, sendo ele uma fonte de energia. Cabe a você administrar os recursos que serão lhe dado para subir até a superfície e salvar sua pele.

Mas como funciona o esquema de defesa? É o seguinte, ao começar o jogo serão conferidos a você alguns recursos, que são pontos de Industria, pontos de Ciência, Poeira e Comida e serão providos mais alguns por turno.

Estes pontos serão gastos para a construção de módulos, que servirão para 2 propósitos, primeiro, gerar mais recursos e em segundo criar defesas. Tanto para os módulos de geração de recursos como para o seu Gerador de Energia.

Falando em Gerador de Energia, ele é o seu principal objetivo, você deve proteger ele enquanto explora o andar em que se encontra, e quando encontrar a saída, deve carregar o gerador até ela. Mas cuidado, assim que o gerador for removido do seu ponto inicial no mapa, uma horda infinita de monstros virá a seu encontro.

Sobre Hordas, Dungeon of the Endless é turn based, mas pera, como assim turn based?!?!?!?! Sim, é um jogo de turnos, e os turnos são baseados em portas, os labirintos são procedurais, ou seja cada vez que você entrar nela, será um labirinto diferente cheio de portas e caminhos.

Cada porta aberta, dá o direito de uma horda de inimigos atacar, e eles sempre irão direto para o Gerador de Energia, e aí que entra a estratégia de alocação dos módulos. Como dito acima os módulos podem ser geradores de recursos ou defesas.

Geradores de recursos aumentam os pontos recebidos por turnos, contudo ocupam um espaço considerável e não podem ser colocados em qualquer sala, assim como não se defendem sozinhos, precisando de módulos de defesa junto a eles. Já os módulos de defesa ocupam um slot pequeno e geralmente cada sala possui 2 ou 3.

Além desses recursos, tem outros totens que você encontra nas salas que garantem vantagens e desvantagens para seus personagens, um totem pode por exemplo aumentar a velocidade de todas as unidades em 100%, assim como reduzir sua armadura a 0, estes totens ficam ativados por poucos turnos e sempre é possível visitar a sala que eles se encontram para relembrar o que o totem faz e quanto tempo ainda fica ativado.

Outra coisa que é possível encontrar no mapa são as estações de desenvolvimento onde gastamos pontos de ciência para garantir melhorias aos módulos e mesmo criar novos. Há também mercadores que trocam itens por comida e mercenários que podem entrar para sua equipe por comida também.

E para finalizar tenho de citar os personagens. Cada personagem é único e possui habilidades distintas que podem ser ofensivas ou de suporte. Cada personagem pode ainda equipar 3 itens que também podem garantir habilidades extras.

Conclusão

Um belo game que envelheceu bem, eu já gosto muito de pixelart e quando bem executada é ainda mais emocionante, não sabia que eu ia gostar tanto desse game e me divertir tanto.

Um contraponto a diversão é que os tutoriais do game não são tão amigáveis nem intuitivos, o que pode assustar alguns players, mas para mim foi apenas uma camada extra no desafio que eu estava determinado a superar, e valeu a pena.

Cada nível o desafio aumenta e te testa ainda mais, e claro, sempre com aquele gostinho de quero mais, pois tem muita coisa para desbloquear, personagens, módulos, itens, e a melhor parte, que nenhum deles requer DLC (sim eu sinto falta de jogos com desbloqueáveis gratuitos).

Eu diria que todo fã de Tower Defense tem que dar uma chance para Dungeon of the Endless, pois o desafio é bom e entretêm fácil. E agora ele estará disponível para todas plataformas, incluindo todos consoles.

Cambio, desligo!

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Tower Defense com um temperinho a mais

Visual, ambientação e gráficos - 8
Jogabilidade - 9
Diversão - 9
Áudio e trilha-sonora - 6
Replay - 9

8.2

Ótimo

Sobreviva em um mundo desconhecido com recursos escassos e garanta uma rota de fuga para sua única salvação, seu Gerador de Energia!

User Rating: Be the first one !

Paulo Everton

Gamer, Gaymer e muito orgulhoso! Descobri os videojogos com 7 anos de idade, de lá para cá foi uma ladeira sem fim, horas gastas em frente a televisão e muita, mas muita mesmo, história para contar, vivi tantas vidas quanto consigo me lembrar, e quer saber? É muito bom não ser a si mesmo!
Botão Voltar ao topo
Fechar