Preview: Jogamos 3 horas de Assassin’s Creed Valhalla

O próximo capítulo da franquia está aqui!

Nós tivemos a oportunidade de jogar remotamente Assassin’s Creed Valhalla durante 3 horas devido ao evento digital Ubisoft Forward e podemos trazer para vocês em primeira mão nossas impressões desse jogo que é a mais nova entrada, da tão famosa e amada franquia, onde estaremos no mundo brutal dos vikings.

Assassin’s Creed Valhalla será lançado no dia 17 de Novembro para Playstation 4, Xbox One, Stadia, PC via Epic Games Store, Ubisoft Store e Uplay+ para os países que possuírem o serviço. A Ubisoft já confirmou que quem comprar as versões para PS4 e Xbox One, receberão um upgrade gratuito para Xbox Series X e PS5 assim como o jogo será 100% dublado em PT-BR.

Confiram também nosso preview de Watch Dogs Legion clicando aqui.

Explorando East Anglia (Ânglia Oriental)

Na demo que nos foi apresentada tivemos a oportunidade de explorar o mapa de Ânglia Oriental e fazer uma grande missão de um pouco mais de uma hora. Nela, Evoir (nome tanto para o personagem masculino ou feminino) está buscando vingança pelos Dinamarqueses, onde um exército dissidente matou o rei Oswald – que tinha a visão e missão de unir o povo nórdico e os saxões.

A missão, que começa em um estado de vingança incluindo uma grande raid para derrotar esse exército traidor, acaba em festa ao saber que o rei está vivo e podem proceder com a união dos povos ao celebrar o casamento entre Oswald (Saxão) e Valdis (Dinamarquesa).

Além dessa missão principal era possível explorar toda a Ânglia Oriental matando ladrões, explorando acampamentos inimigos, sincronizando com torres (uma marca registrada da franquia), buscando side-quests e muitas atividades.

Dentre as atividades que foram disponibilizadas, duas me chamaram a atenção: a primeira foi uma brincadeira de troca de palavras. Nós brasileiros temos essa atividade conhecida como repente e essa brincadeira viking serve da mesma forma, mas sem a música por trás. A segunda atividade foi um campeonato de beber cerveja com uma multidão atrás gritando. É muito engraçado beber com um competidor, ir ficando bêbado e perder o equilíbrio.

Também será possível interagir com outros personagens, buscar itens escondidos, coletar matéria-prima pelo mundo e muito mais atividades que já estamos acostumados na franquia. E pode parecer bobeira, mas é possível fazer carinho em cachorros e gatos e a animação está muito boa!

Muita coisa mudou em Assassin’s Creed Valhalla

A mais óbvia mudança é que passaremos por uma aventura viking. As vilas estão típicas de sua tradição, as pessoas são mais brutas e gostam de se enfrentar e temos uma típica região inglesa com uma palheta de cor mais sóbria.

Uma grande novidade que o jogo traz, por causa da brutalidade viking e sua sede de conquista, são as raids que funcionam de duas maneiras (sem contar as obrigatórias da história): você pode navegar nos rios ingleses e ao se aproximar de uma vila pode iniciar uma raid onde todos entrarão pela porta da frente destruindo o que passar por eles. Já o segundo modo é uma espécie de mini-raid, onde é a possível utilizar seu berrante para convocar um pequeno exército e te ajudar. Quanto maiores as raids, mais complexas elas ficam com portões mais pesados, inimigos mais capazes, ataques estratégicos e mais.

A segunda grande novidade do jogo é a barra de energia (ou stamina). Ao atacar, defender ou esquivar você irá gastar uma parte da sua energia e deve ser bem mais técnico na luta.  Além disso, é possível tentar tirar a energia de seus inimigos. Isso fará com que eles fiquem suscetíveis a um ataque crítico e visceral.

Ainda no combate, temos uma pequena mudança no assassinato. Quando vamos tentar assassinar um comandante, na hora do ataque aparecerá um mini-game que você deverá apertar o botão no timing correto para que tenha sucesso e uma força extra na investida. Caso erre, irá perder a oportunidade.

Diferente das águias de Assassin’s Creed Origins e Odyssey, em Valhalla seu corvo não marca os inimigos. É possível utilizá-lo para ver o campo e marcar manualmente pontos de interesse. Mas para ver os colecionáveis e inimigos, é necessário apertar o analógico direito.

A árvore de habilidade no jogo não é uma novidade, porém seu tamanho é. Ao invés de ter habilidades fixas a serem conquistadas, foi colocado um grande mapa onde você pode distribuir os pontos entre os nodos de habilidade, assim como era em Final Fantasy X (fui longe). Pela temática Viking, será provido três caminhos: Lobo, Urso e Corvo. Embora as melhorias sejam similares nos status (aumento de vida,ataque, defesa, etc), as habilidades principais irão ser diferentes. Além disso, quanto mais forte for um de seus caminhos, mais forte serão os efeitos com armaduras desse tipo.

E por falar em armaduras, agora é possível evoluir suas armas e armaduras on the fly, ou seja, caso tenha a matéria prima para evoluir seu equipamento, poderá fazer isso na hora. Essa possibilidade, juntamente com esse extenso mapa de habilidades, removeu o esquema de level do último jogo trocando por um poder total, assim como poder individual das armas.

Existem algumas outras pequenas e interessantes novidades como poder colocar o capuz. Essa “habilidade” ajuda na camuflagem e retornou a série depois de muito tempo. O seu cavalo não somente irá andar na água como nadará! E por fim, é possível ativar a câmera cinemática quando andar de cavalo.

O que não mudou?

Assassin’s Creed Valhalla utiliza de forma acertada o esqueleto de seus últimos dois jogos e veremos muitas semelhanças. A primeira é que ele continua sendo um grande RPG e suas ações irão impactar no jogo. Darei dois exemplos. O primeiro foi quando resgatei o rei Oswald, ele pediu para ter misericórdia de seu sequestrador e não matá-lo. Eu atendi o desejo do rei, mas isso fez com ele voltasse para desafiá-lo no dia de seu casamento. E ai mais uma escolha, deixo o rei enfrentá-lo ou tomo seu lugar na luta?

E o segundo exemplo vai quando na festa de casamento eu aceitei ter relações com um dos convidados. Porém, ele era complexado com seu irmão e assim que acabamos de nos “divertir”  eu o chamei pelo nome do irmão. Ele ficou frustrado e ficou uns 15 minutos reclamando. Felizmente eu estava bêbado e botei a culpa na cerveja.

Embora eu já tenha comentado a adição da barra de energia que muda a estratégia da luta, quase todo o resto permanece o mesmo. O personagem poderá equipar 4 habilidades para os botões direito e 4 habilidades de flecha no D-pad. Será possível utilizar tanto o ataque forte como o fraco, se defender dos ataques ou tentar o parry que, tendo sucesso, abre espaço para um ataque fulminante e etc.

Mas nem tudo no combate é igual

Falando de ataques, temos as armas que podem ser equipadas. Em Valhalla teremos machado grande, machado pequeno, lança, escudo e flail (a bola com espinho). Cada uma tem seu estilo de ataque e seu campo de alcance. Particularmente preferi o clássico machado e escudo para ter uma gameplay equilibrada. Uma combinação que me agradou também é a possibilidade de equipar 2 machados e ter foco total no ataque. Isso é uma pequena novidade que o jogo traz.

Dentre as muitas atividades que teremos para fazer em Assassin’s Creed Valhalla, poderemos desafiar oponentes e bestas lendárias. Essas serão lutas técnicas com diversos chefões espalhados pelo mundo que são muito animadoras e trarão uma grande recompensa além de serem bem difíceis. Durante a demo eu só morri para esses desafios.

Assassin’s Creed Valhalla nos animou

Assassin’s Creed Valhalla é uma evolução do jogo que nos foi apresentado há 2 anos atrás pegando a temática viking e se adaptando a sua brutalidade e histórias de conquistas. Infelizmente não estava presente na demo a mecânica de montar sua vila nem foi possível mudar seu equipamento.

No geral o jogo me agradou muito e esperarei ansiosamente para experimentar o jogo completo!

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar