Análise: Steep te coloca nos Alpes e te dá multiplas possibilidades radicais de explorá-lo

Steep significa íngreme e traduz exatamente o que faz dos Alpes o lugar perfeito para um mundo aberto com tantas possibilidades e tão pouca responsabilidade. Steep não possui uma narrativa, não possui linearidade e não segura sua mão a cada escorregada e cada pico visitado. E isso é exatamente o que faz dele uma bela surpresa de fim de ano!

Steep oferece um mundo aberto de cair o queixo, retratando os Alpes de maneira magnífica e, pelo que a equipe de desenvolvimento diz, da maneira mais fiel possível. Os picos são simplesmente impressionantes e seja descendo de snowboard ou voando de wingsuit cada pedaço do mapa te dá uma nova oportunidade de admirar o lindo cenário. A falta de objetivos concretos aliada às muitas possibilidades de exploração do mundo através dos quatro esportes disponíveis torna Steep o próximo passo na evolução dos jogos que se propõem a oferecer liberdade e um mundo definitivamente aberto.

Pelo chão ou pelo céu o foco é em e você… e nos Alpes!

Steep foi desenvolvido pelo estúdio francês da Ubisoft, localizado próximo aos Alpes. Isso talvez tenha sido a chave para que eles tivessem a paixão necessária para trazer a nós um mundo tão detalhado. Os picos e montanhas divididos por grande parte da cordilheira dos Alpes, retratando pontos famosos das montanhas geladas como o Monte Rosa, Ortles e Tyrol são absolutamente majestosos. E parece que a equipe de desenvolvimento estava contando justamente com que os jogadores também apreciassem isso, pois o que não falta em Steep são recursos para que você possa compartilhar as belas paisagens e seus feitos como grande atleta dos esportes radicais.

O foco em Steep é justamente aquilo que você é capaz de fazer nas montanhas e aquilo que você vai ter oportunidade de admirar enquanto faz isso. São quatro os esportes disponíveis e é possível alternar entre eles a qualquer momento e de maneira instantânea. E cada parte da montanha parece abraçar um tipo de experiência diferente com cada um deles. Com o Snowboard e os skis a emoção fica por conta das descidas radicais, dos pulos absurdos e das manobras, que por sinal são simples de realizar e bastante plásticas. De Wingsuit a loucura é certa com “missões” nas quais você deve passar rente ao chão ou no meio de anéis de pedra naturais, tudo em altíssima velocidade e com risco de morte quase certo – nessas horas a gente dá até valor para aqueles avisos de “não repita isso em casa”. Já com o parapente a radicalidade fica um pouco de lado, dando lugar a correntes de ar e vôos que, se você souber planejar, podem durar tanto tempo quanto você quiser contemplar as inúmeras paisagens oferecidas. Pores e nasceres do sol, lagos e picos se tornam ainda mais bonitos quando você está planando levemente pelos Alpes.

Steep é de fato um mundo aberto que te dá a liberdade de explorá-lo da maneira que preferir. Não há obrigações nem narrativas a seguir. Tudo acontece de acordo com a sua vontade e a sua disposição. O que não significa que não hajam objetivos. Há muito o que fazer em Steep.

Zero obrigações, mil possibilidades

O mundo aberto de Steep é, talvez, o próximo passo na direção de dar liberdade aos jogadores. A Ubisoft vem progredindo muito nesse campo, desde Assassin’s Creed até o recente Watch Dogs 2 – humildemente analisado por esse que vos fala – os mundos criados pela desenvolvedora oferecem cada vez mais possibilidades e liberdade. Só que em Steep a liberdade do jogador ganha um novo contorno e talvez o foco nos esportes radicais tenha sido a chave para que essa formula desse certo.

Os Alpes oferecem muito o que fazer e muito pouco que você deve fazer. Das corridas contra o tempo no snowboard aos ensandecidos pulos de wingsuit a única coisa que realmente te move é a sua própria vontade. Antes de mais nada vale a pena explicar um ponto chave do jogo: é possível acessar o mapa e viajar para qualquer pico dele de maneira instantânea, sem tempos de carregamento nenhum. O único detalhe é que é preciso atingir níveis de habilidade específicos para abrir a viagem rápida a cada um dos lugares.

Há literalmente centenas de eventos a se participar em cada região do jogo. Corridas de snowboard e esquis podem ser de vários tipos. Há objetivos envolvendo manobras, tempo de descida, passagem por pedras, pulos e mais. Já quando a parada é o wingsuit a emoção é certa. E a morte também. Um dos achievements do jogo se chama colecionador de ossos e ele existe principalmente para coroar os memoráveis estabacos e quedas do wingsuit. Os eventos do esporte também são variados mas têm algo em comum. Todos eles envolvem muito risco. Passar por dentro de anéis de rocha ou o mais próximo possível do chão, tudo isso no menor tempo possível são alguns exemplos da criatividade radical dos desenvolvedores. E o parapente vem pra destacar um dos aspectos mais incríveis do jogo: o belo cenário. Os eventos de parapente envolvem menos emoção, mais contemplação, buscar correntes de ar, seguir outros atletas e, principalmente, admirar as montanhas em todo seu esplendor.

Seja um de muitos em Steep

A Ubisoft entendeu como poucas a importância do multiplayer online ao longo dos anos. E isso se faz presente em Steep. Os Alpes são repletos de outros atletas com os quais você pode jogar e competir. As sessões de jogo estão cheias de outros jogadores reais, fazendo cada um a sua história com a montanha. E por isso mesmo a customização não poderia ser deixada de lado. É possível personalizar cada detalhe do seu atleta, o que quer dizer que você vai poder escolher gorros, cachecóis, capacetes, jaquetas, calças, botas, esquis, pranchas, mochilas e tudo mais que for utilizado de acordo com seu gosto dentro da extensa gama de opções presente. Os itens são adquiridos com uma moeda interna do game que é conseguida à medida que você vai explorando os Alpes e realizando as proezas.

E quando se fala em esportes radicais hoje em dia, nada mais natural do que lembrar dos inúmeros clipes e vídeos de atletas fazendo suas próprias loucuras por aí. Steep acerta em cheio nessa visão e oferece uma ferramenta fantástica de edição e visualização de seus próprios replays, te possibilitando rever suas descidas, manobras, pulos, paisagens e quedas preferidas e compartilha-las da maneira que quiser por aí. Dá pra fazer replay em câmera lenta dos momentos mais irados, ver cada pequena parte do percurso novamente e uma série de outras coisas. E o mais incrível dessa ferramenta é que você pode desafiar os outros jogadores a repetir qualquer coisa que você tenha feito, seja um descida muito rápida num ponto qualquer da montanha ou um pulo muito difícil pelas rochas dos Alpes, criando assim seu próprio evento e expandindo ainda mais as possibilidades de diversão no jogo.

Steep é íngreme mas acerta em cheio na descida

Ao não obrigar os jogadores a realizarem quase nada, Steep oferece um verdadeiro parque de diversões para os jogadores, expandindo o conceito de jogos de mundo aberto e liberdade. Os Alpes são repletos de possibilidades e coisas a se fazer e os aspectos sociais do jogo ajudam a reforçar ainda mais esse conceito. Liberdade demais pode não agradar tanto alguns estilos de gamers mas para um jogo focado em esportes radicais acredito que a pegada tenha sido perfeita e afirmo que caso o jogo limitasse o jogador a seguir algum tipo de linearidade ou mecânica mais presa Steep não seria tão bom quanto é.

No fim das contas, apesar de arriscar expandindo um pouco uma fórmula já tão consolidada, o foco nos esportes permite a Steep dar esse passo adiante em direção à liberdade sem que isso comprometa o jogo. Pelo contrário. Se você é fã de esportes radicais e de neve Steep vai te dar a sensação de estar nos Alpes como nunca antes em jogo algum. Mesmo que não haja nada de absurdamente indispensável sobre Steep a verdade é que recomendo ele para qualquer pessoa que se interesse por jogos, mas principalmente para os fãs de esporte.

notas

2 thoughts on “Análise: Steep te coloca nos Alpes e te dá multiplas possibilidades radicais de explorá-lo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *