Análise: Danganronpa V3: Killing Harmony é o novo inicio do killing game

Danganronpa é uma série de visual novel que se iniciou no saudoso PSP com o intuito de trazer uma história inovadora que conseguisse quebrar alguns clichês, principalmente por conta da violência psicodélica que é envolvida na série. Resumidamente o jogo se baseia em 16 alunos presos numa escola onde o diretor é um urso de pelúcia maligno que os obrigará a se matarem.

UM NOVO ÍNICIO

Danganronpa V3: Killing Harmony carrega este “v” em seu nome justamente para não representar o terceiro título da franquia e sim uma nova versão. Os dois primeiros jogos tiveram a sua continuação direta sendo o anime Danganronpa 3: The End of Hope’s Peak High School. Enquanto isto o V3 acaba sendo um tipo de reboot da série, regastando a tensão colocada no primeiro jogo onde não temos nenhum tipo de norte para saber o que vai acontecer. O jogador está apenas entregue ao destino e, além disso, o jogo não obriga que você tenha conhecido os títulos anteriores mesmo que seja de suma importância para se ambientar melhor.

A história tem inicio quando, a protagonista, Akamatsu Kaede desperta numa estranha escola onde outros quinze alunos também estão presos. Todos foram raptados sem nem mesmo imaginar a causa, contudo, ursos estranhos surgem para mencionar que eles esqueceram os seus verdadeiros dons como “Ultimate Students”. Em outras palavras, eles são estudantes que se destacam em alguma “habilidade especial”. A partir deste ponto o destino dos jovens estudantes é entregue ao maior killing game que já ocorreu na história da série.

UMA SUPER DUPER VISUAL NOVEL

É costumeiro o preconceito envolvendo visual novel por muitos acreditarem que é apenas algo que deve ser lido sem parar e ter nenhum pingo de interação, porém, Danganronpa sempre conseguiu se destacar em apresentar vários mini-games em meio da sua história juntamente dos fantásticos “Class Trial” onde é necessário descobrir quem é o assassino da vez. Além disso, o jogo também apresenta características de point and click.

Danganronpa V3: Killing Harmony consegue refinar ainda mais esse dinamismo ao trazer mini-games em meio as longas sessões de conversação, sendo que um dos primeiros lembra muitíssimo um jogo de plataforma onde devemos levar os alunos até o final de um túnel, porém, vários perigos estão no caminho.

Também podemos citar a adição do Psyche Taxi que é um mini-game onde devemos pilotar um carro para ir coletando palavras no meio da estrada e, com isso, formar uma argumentação. Se acaso o motorista for dirigir da mesma forma que faz no GTA, perderá pontos e a argumentação será falha. Este mini-game entrou no lugar do joguinho do skate que está presente nos antecessores.

Falei tanto de Class Trial, mas o que seria isso? Antes de explicar vamos fazer um breve resumo para quem é marinheiro de primeira viagem se sentir ambientado.

O Killing game proposto em Danganronpa é que um aluno só será liberado da escola no momento em que matar outro, passar por um julgamento no qual acusem a pessoa errada. O assassino é liberado e os outros morrem. Se, porventura, o assassino for descoberto acontecerá de ele ser morto e os outros continuarem vivos para manter esse jogo de assassinato.

Quando um corpo é descoberto é iniciada uma investigação na cena do crime para descobrir provas e argumentos que podem ser utilizados neste julgamento conhecido por “Class Trial”. Só então o verdadeiro show do jogo iniciará, onde os alunos deverão desvendar quem é o culpado. A protagonista poderá rebater argumentos, indicar contradições e agora também foi adicionada a opção de mentir para realizar o famoso “jogar verde”. Chegando ao final, terá que apontar quem é o culpado.

PERSONAGENS

É de suma importância abrir um tópico só para comentar sobre esses estudantes extremamente carismáticos e singulares. Danganronpa sempre se destacou por seus personagens totalmente fora do clichê e, a cada jogo, podíamos notar que esta qualidade apenas aumentava. A diferença que vemos do 1 para o 2 chega a ser algo absurdo e que eu sinceramente acreditava que o novo cast não conseguiria superar. Enganei-me totalmente, pois as características e personalidades que cada um dos estudantes do V3 possui acabam possuindo uma qualidade similar ou até mesmo superior. Eles são doidos, são carismáticos, são únicos e conseguem se encaixar perfeitamente na obra.

2017-09-17-225219

CONCLUSÃO

Danganronpa V3: Killing Harmony consegue realmente trazer um novo começo com grande qualidade e novas melhorias que a série merece. É uma obra de qualidade que consegue potencializar a diversão existente em visual novel para os fãs do estilo e consegue realizar a difícil missão em continuar apresentando uma história de qualidade mantendo a essência proposta no primeiro game e ter um fechamento redondo com possibilidade de novas continuações sem que precise mexer com o plot apresentado. E não posso ficar sem citar a excelente OST (trilha sonora) que o game possui, mantendo também a qualidade dos áudios musicais e de dublagem.

2017-10-25-230048

notas

Anderson Mussulino

Publicitário louco por toda a cultura geek. Redator do Última Ficha e apaixonado por jogos que vem da terra do sol nascente.
Botão Voltar ao topo
Fechar