Confira trailer de lançamento de Kingdom Hearts 3 e nossas impressões iniciais.

Depois de muitos anos esperando a conclusão da saga de Sora e seus amigos, Kingdom Hearts 3 já foi lançado para PS4 e Xbox One e recebeu um trailer de lançamento que pode conferir abaixo.

E ontem com seu lançamento, nós recebemos a nossa cópia de review e já consegui a proeza de jogar 8 horas ontem e destacarei os pontos principais:

  • Gráficos: É inquestionável que o jogo está muito bonito com o uso da Unreal Engine 4. O destaque vai para as CG’s e para o show de luzes que acontece quando damos um especial. E vale apontar que eles utilizaram muitas CG’s do jogo de PS2, então não estranhe alguns gráficos “feios” quando rolar um flashback.
  • Música: A trilha sonora de Kingdom Hearts 3 faz jus a toda franquia e continua com o nível altíssimo.
  • História (não darei nenhum spoiler aqui). Todos sabem que a história de Kingdom Hearts é confusa, em especial por ter sido lançado em diversos consoles. Em KH3, a história começa logo após os eventos de Kingdom Hearts Dream Drop Distance (de 3DS), onde Sora tenta buscar seus poderes que perdeu nesta última aventura e Riku e Mickey estão a procura dos outros portadores de Keyblade. Até o momento estou gostando bastante da história e é muito nostálgico ver os personagens de tantos jogos que foram lançados nesses mais de 10 anos. E claro, ainda aguardando ansiosamente a interação com personagens de Final Fantasy.
  • Gummi ship: Bem…. O meio de transporte da franquia ainda existe e está mais robusto do que nunca. A grande pergunta é: Ele precisava estar aí? Agora temos um modo livre de exploração que lembra um pouco de Star Fox e com luta contra Heartless que lembra jogos de nave da década de 80. Inicialmente ele é legal, mas cansa rápido.
  • Combate: O combate continua fluido como nunca e ele abraça muito o que foi desenvolvido na série como, por exemplo, a possibilidade de interagir com postes, parede (esse é novo) e galho de árvore que veio do Dream Drop Distance. O que impressiona (pro bem e pro mal) é a quantidade de interações possíveis em uma luta. Após acertar 3 a 4 sequencias completas com sua keyblade, bem uma enxurrada de interações como a evolução da sua arma, interagir com o Pateta e/ou Donald e fazer o summon de alguma atração da Disney. É sim muito legal isso, mas em alguns momentos pode ficar sendo confuso. Vale pontuar que a transformação da arma é muito legal e útil.
  • Problemas: Não, Kingdom Hearts 3 não é perfeito! Duas coisas que pude notar foram paredes invisíveis em certos pontos do jogo (o que é triste) e que em ambientes fechados, a câmera não ajuda em nada. Fica uma confusão insana. Inclusive, fazer um summon em um lugar apertado não é uma boa ideia, pois a tela da TV vira uma grande confusão. Felizmente, esses problemas iniciais não atrapalham o jogo, somente incomodam em alguns pontos.

Bem, isso é somente um gostinho do que experimentamos nessas 8 horas inicias do jogo. Até o momento eu digo que sim, vale a pena comprar e jogar Kingdom Hearts 3. Assim que zerarmos o jogo (que tem mais de 30 horas de gameplay) iremos colocar nosso review completo no site.

E abaixo vocês poderão ver em 1080p 60 FPS nossa live de ontem que ficamos mais de 2 horas jogando Kingdom Hearts 3 e completamos o mundo de Enrolados.

Mostrar mais

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar