Análise: Record of Agarest War Mariage mantém a mesma estrutura do PSP

Agarest conta a história do herói Rain que, desde o seu nascimento, recebeu a tarefa de de derrotar o vilão Archdemon e empunhando a “Ciel Blade” ele deve evitar a destruição do mundo. Rain é ajudado por 3 “maidens” que irão estar ao lado dele durante toda a trama do jogo, Felicia, Kunka e Panina, cada uma delas possui uma habilidade diferente que serão muito úteis em batalha. Esse port, que originalmente foi lançado para a PSP em 2012 apenas em japonês, dessa vez chega ao PC este ano com legendas em inglês, japonês e mandarim.

O JOGO

Durante a jornada você irá controlar as ações de Rain que possui como sua principal habilidade o ataque, mas será ajudado em batalha pelas suas ajudantes, Kunka (defesa), Felicia (healer) e Panina (suporte). As habilidades de cada personagem combadas durante os confrontos de turnos dão a tônica do jogo, entretanto, algo muito importante no jogo e a relação do Herói Rain com as outras personagens, dependendo do nível de afetividade gerado entre ele e as suas “maidens”  afeta diretamente a gameplay.

Ainda há outras maneiras de desenvolver os seus personagens sem ser pela relação de afetividade entre eles, a cada missão e batalha que você participa você ganha pontos de experiência e itens que podem ser craftados para melhorar as habilidades de todos. Além disso itens como armaduras podem também ser utilizados e, de acordo com a dungeon em que você está, podem fazer toda diferença.

Desbrave as diferentes áreas do reino para enfrentar novos inimigos e descobrir novas cidades, mas não se esqueça de passar nas guildas para conseguir missões e garantir dinheiro para a sua sobrevivência, assim como novos itens para craftar habilidades.

Outro ponto a ser citado sobre esse jogo são as falas dos personagens que são muitas! As interações são uma parte extremamente importante do jogo mas confesso que isso deixa o jogo um pouco parado demais e por isso ao passar as falas dos personagens rápido demais, o som da fala de Rain e companhia simplesmente buga e desaparece, porém isso não me incomodou muito já que as pitadas de erotismo japonês na fala dos mesmo me incomodavam um pouco e podiam ser facilmente percebidas durante as “cutscenes” e na respiração e também nas falas do personagens.

CONCLUSÃO

Mesmo sendo um port o jogo cumpre seu papel, vale a pena para os fãs que gostam desse estilo de jogo e que não puderam joga-lo no PSP ou para aqueles que estão procurando algo novo do gênero para jogar. Mesmo a interação de personagens sendo algo necessário para o andamento da história, algumas cenas com uma pitada de erotismo japonês se mostram completamente desnecessárias, porém as cenas não afetam em nada a mecânica do jogo.

notas

Publicado
Um grande pinador dos FPS que acompanha eSports e finge saber das coisas. Saudosista dos consoles da Sega, formado em Adminsitração e com curso Pokémon de inglês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *