Análise: Kirby Extra Epic Yarn dá linha na pipa da portabilidade

Kirby é amado por muitos fãs de jogos da Nintendo, enquanto outros gamers mais novos nem sabe da sua existência e até o confundem com um Pokémon. Querendo mudar a cabeça de alguns, Kirby chegou ao Super Smash Bros Ultimate como o grande herói da campanha do game, chamada de World of Light. Há algo nele que é cativante, um certo charme que lhe rendeu fãs leais, que aguardam ansiosamente sua próxima aventura – após conhece-lo melhor e ter visto que ele é roubado pra cacete e chuta bundas no SSBU.

Enquanto uma aventura digna de seu poder não chega, a Nintendo lançou uma versão “mais robusta” de Kirby Epic Yarn (Wii) para o 3DS. Fique agora com a nossa análise de Kirby Extra Epic Yarn!

Um port “justo” para o portátil de sucesso da Nintendo

A experiência base de Kirby’s Epic Yarn foi passada de forma completa para o 3DS – nada ficou para trás. Para quem não conhece o jogo original, nosso protagonista rosa favorito une forças com o Príncipe Fluff para salvar seu Patch Land do mal de Yin-Yarn. Assim como o original, a famosa capacidade de Kirby de engolir inimigos e assumir suas características foi removida e substituída pela capacidade de mudar seu formato à vontade, graças ao seu novo corpo de corda/lã/fio/barbante/linha 10. Kirby não engole mais seus inimigos mas ainda consegue ganhar novas habilidade quando captura itens específicos que podem lhe dar a habilidade de dar chicotadas com explosivos, atirar projeteis em seus inimigos e até mesmo sua clássica espada.

As transformações vão desde carro para correr mais rápido através da terra, ou um submarino para ajudar no movimento abaixo da água. O ponto alto fica por conta das transformações em objetos especiais em alguns momentos especiais do nível. Aqui temos Kirby se transformando em um trem, uma nave alienígena e etc. Todas as formas muito bem humoradas e com uma nova dinâmica de jogabilidade sempre que aparecem.

No geral, o jogo possui uma bela animação, apesar de ter uma resolução bem mais baixa no 3DS, e uma trilha sonora que irá ficar em sua mente e será lembrada assim como os clássicos de antigamente. É um bom jogo de plataforma old school que consegue ser infinitamente gratificante e ótimo para momentos de relaxamento. Considero o jogo um dos melhores lançados para Wii.

Novidades na versão Extra

Kirby Extra Epic Yarn tem duas grandes adições. A primeira é uma tentativa de resolver a questão da dificuldade que é sempre levantada em jogos de Kirby. Para tentar agradar algumas pessoas que não conseguem aceitar isso e gostaria de um desafio maior, um novo modo chamado “Devilish” foi adicionado a cada nível. Qualquer fase jogada neste modo é exatamente igual ao normal, exceto por uma pequena diferença, uma pequena criatura roxa aparece e segue você ao redor do nível tentando soltar bolas de espinho em você (tipo um Lakitu do Mário). Você pode dar uma porrada nele e dar um stun por algum tempo mas logo logo ele vai voltar e continuar seu trabalho até o fim da fase. Ps: Além da bola de espinho eles também podem dar uma investida contra você ou tentar te acertar com o rabo – mas a dinâmica é a mesma no final das contas. Além disso Kirby para de tomar dano igual o Sonic ganha uma barra de vida, ao invés de perder moedas e tesouros sempre que toma um dano.

A ideia é que, se você conseguir sobreviver ao nível sem ser atingido, você ganha até cinco peças de vida para sua coleção. Cada acerto em um nível reduz o número que você leva para casa em um. Como contamos com 50 níveis no jogo, podemos conseguir 250 peças. Isso deixa o jogo mais difícil? Sim… Era o que as pessoas queriam? Provavelmente não já que o desafio em si continua o mesmo, só que agora  com um inimigo te perseguindo por todos os mapas sem parar, imagina o quão enjoativo isso fica… No final tudo isso serve apenas para ganhar peças para decorar sua casa – o que eu acredito que não seja um bom incentivo para quem gostaria de um jogo mais “hardcore”.

A segunda adição é a chegada de mini-games ao jogo. O Gogogo, de Dedede, é um Runner (aqueles jogos que o boneco sai correndo sozinho), no qual a memória muscular é a chave para passar cada estágio o mais rápido possível. E Slash & Bead Stars Meta Knight, onde você deve se mover enquanto ataca seus inimigos em uma tela com rolagem automática te empurrando sempre para frente. O objetivo de ambos os jogos é coletar o maior número possível pontos. Igual tudo em Kirby Epic Yarn, seus resultados irão ser a moeda de troca para itens e colecionáveis do jogo.

Vale pontuar que esta versão do game não possui seu modo para coop-local (sentados juntos no sofá), assim trocando essa funcionalidade pela portabilidade do 3DS e a possibilidade de usar Amiibos.

Mas então o jogo é bom, Última Ficha?

Com cenários bem pensados, um bom ritmo de jogo e uma trilha sonora que nunca deixa a desejar. O título é uma ótima pedida para quem nunca jogou sua primeira versão no Wii e procura um jogo para passar o tempo sem muito estresse e rage quits. Jogadores ávidos e velhos que terminaram o jogo do Wii não tem muitos motivos para comprar o jogo a não ser a vontade de zerá-lo novamente. Então compre tendo em mente que Kirby Extra Epic Yarn é um belo porte para o 3DS/2DS mas que não justifica muito o “extra” que carrega em seu nome.

notas

Publicado
Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *