Análise: Saints Row: The Third – The Full Package traz muita diversão, mas performance fraca no Switch

Saints Row: The Third foi originalmente lançado na geração passada em 15 de Novembro de 2011. Agora em 2019 a sua versão definitiva “The Full Package” chega ao Nintendo Switch trazendo todo conteúdo lançado no jogo com diversos DLC’s contendo novas missões, armas, skins e mais.

Entrando no mundo de Saints Row

O terceiro jogo da franquia te bota na cidade de Stellport que foi dominada pelo Sindicato. Os Saints viraram uma grande marca e o Sindicato queria uma pequena margem dos lucros, algo em torno de 66% de tudo que eles conseguiriam. Mandando um incrível não, nossos heróis começam destruindo um avião e ficam lutando no meio do ar.

Ao chegar ao chão, o famoso Jhonny Gat está desaparecido (possivelmente morto) e os Saints estão completamente expostos e sem seus recursos. Para recuperar tudo, caberá a você matar todos seus adversários das forma mais loucas e causar destruição com seus amigos e parceiros.

O visual do jogo é completamente colorido e com cores muitos fortes deixando ele “mais feliz” e conta com uma trilha sonora muito boa no melhor estilo GTA que conhecemos muito bem.

Gameplay muito louco e Bazuca de Polvo

De uma forma simplificada, o gameplay de Saints Row: The Third – The Full Package seria comparado a jogos de mundo aberto como GTA, só que com muuuuita loucura envolvida. O padrão de missão/mundo aberto é o clássico de pegar o carro, andar pela cidade – enquanto ouve sua música favorita – atirar em um pessoal pelo caminho, atropelar transeuntes descuidados e chegar a missão, qualquer que seja.

Um grande diferencial de Saints Row: The Third – The Full Package, é que as missões são muito bem elaboradas e bem diferentes, fazendo com que o jogo não se torne repetitivo. Por exemplo, é possível ter missões aéreas de queda livre, missões de perseguições na terra/ar/água, roubar bancos, invadir casas e por ai vai.

Existem vários tipos de veículos para pegar e se locomover e se divertir pela cidade. Mas o mais interessante são as armas presentes no game. É claro, você poderá pegar uma pistola/uzi/metralhadora/escopeta básica como qualquer outro jogo. Mas também é possível pegar um consolo para bater nas pessoas (para que um taco de baseball, né?!). Ou quem  sabe pegar uma bazuca que joga polvos nos inimigos? Uma arma que solta tubarões/piranhas?

Além das armas e upgrades de itens, também existe a possibilidade de fazer diversas melhorias em seu personagem. Seja para ele correr mais, ter mais força, melhorar sua gangue, carregar mais munição e por ai vai. A cada novo level up, você terá a possibilidade de melhorar seu personagem se tornando cada vez mais forte.

É claro a veia cômica e zoeira do jogo, assim como da franquia. Um outro destaque aqui são as skins que receberá logo de cara por ter todos os DLC’s. Isso sem contar que a customização é extensiva e livre de sexo, ou seja, se é possível dar qualquer tipo de cabelo, marca de sunga/biquíni, roupa e por ai vai em qualquer personagem, seja gordo, magro, homem ou mulher.

Bom no portátil, triste na televisão

Por ser um jogo lançado em 2011 eu pensei que ele iria rodar com excelência no Nintendo Switch que é um console muito mais poderoso que o PS3, Xbox 360 e o próprio Wii U. Infelizmente não é assim que funciona.

Ao jogá-lo no modo portátil eu realmente não tenho nada do que reclamar. Performance estável e o jogo roda liso. Porém, ao colocá-lo no Dock para jogar na TV, seja bem vindo ao inferno. As quedas de frames são absurdas e a imagem fica com muito serrilhado. Eu joguei a primeira hora na TV, até porque fiz um stream para nosso canal, e depois dele, fui 100% no modo portátil que não me dava dor de cabeça.

E já que estou falando de pontos negativos, algo que tenho que mencionar é sobre a inteligência artificial. O fato do jogo seguir uma veia cômica e não se levar a sério não é desculpa para uma IA fraca. Diversas vezes vi os inimigos fazendo nada ou correndo contra a parede. Não foi nada que tenha quebrado o jogo, mas é ridículo estar na frente de um inimigo e “ele estar pensando na morte da bezerra”.

Conclusão

Saints Row: The Third – The Full Package é sim um jogo antigo, mas ainda é um jogo atual e extremamente divertido – que não se leva a sério e tem dezenas de horas de diversão. O fato de ser o pacote completo do game o torna ainda mais atrativo adicionando novas armas bem divertidas, muitos veículos e ainda mais missões estendendo suas horas de jogo.

O que deixa a desejar é a performance ao jogá-lo na TV. Felizmente ao jogá-lo no modo portátil, ele não sofre nenhum tipo de problema.

notas

Mostrar mais

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar