(Atualizado) PS5: o que sabemos até agora

Uma coisa é clara: esta geração já está no fim. Google já se apresentou com sua nova plataforma em nuvem chamada Stadia. Microsoft já disse que seu foco é nuvem também e espera responder a altura durante a E3 2019. A Apple revelou seu serviço de games mobile e a Nintendo, de acordo com rumores, vai lançar novas versões do Switch. E a Sony? Ela tem soltados pequenas informações sobre o PS5 ao longo das semanas e meses.

Segue abaixo um compilado de informações, suposições da nossa equipe, boatos e rumores.

FORÇA BRUTA E 8K

Baseado no que supostamente vazou na mídia internacional e em algumas revelações oficiais da Sony, o Playstation 5 será um cavalo marombado. A parceria com a AMD parece estar rendendo frutos e o console vai contar com uma CPU Ryzen de 8 núcleos e uma GPU Navi, que ainda não conhecemos todas especificações. Porém, como a AMD Navi foi desenvolvida exclusivamente para a nova geração de consoles, é provável que tenhamos com elas, enfim, um grande salto geracional na potência das placas de vídeos, tanto no poder como na eficiência de uso dos recursos.

A AMD confirmou que vai mostrar GPUs Navi na Computex 2019, dia 27 de maio. Portanto, talvez, e somente talvez, podemos ter mais informações técnicas sobre a capacidade gráfica do PS5 no mês que vem.

Rumores dizem que a capacidade do PS5 está prevista em 14 TFLOPs. Para se ter uma ideia, o PS4 conta apenas com 1.84 TFLOPs. Ou seja, um aumento de quase 8 vezes entre a geração atual e a próxima, algo similar ao salto do PS3 para o PS4. Portanto, é muito provável que teremos novamente uma mudança mais do que significativa na capacidade gráfica do console. Outro boato aponta que a Sony está investindo pesadamente no Processador em uma tentativa de diminuir a disparidade com os PCs de ponta nesse quesito.

Suposta ficha técnica:

Nome de Código: Epsilon
CPU: x86-64 AMD “Zen 2” 8 núcleos/16 threads a 3.2GHz
GPU: AMD Radeon “Navi” capaz de 14TFLOPS + Unidade de áudio 3D dedicado
Memória: 20GB -> 16GB de memória GDDR6 capaz de 860GB/s + 4GB memória DDR4 para o Sistema Operativo
Armazenamento: 1TB/2TB SSD
Anúncio Oficial: Terceiro ou Quarto trimestre de 2019

(Confirmado) A CPU será baseada na terceira geração da AMD’s Ryzen com oito núcleos na microarquitetura 7nm Zen 2. A placa de vídeo será uma variação exclusiva da Radeon Navi com suporte à Ray Tracing (uma técnica de modelagem de luz que entrega ainda mais realidade a ambientes 3D), até então impensável em consoles de mesa.

(Confirmado) Além dessas informações, já sabemos que o console rodará em 4K nativo com a capacidade de 8K (upscaling) para as TVs que estão chegando ao mercado agora. Upscaling é a tecnologia utilizada para simular a imagem em uma resolução mais alta do que é originalmente. É a mesma usada no PS4 Pro para rodar games em 4K.

A tecnologia era usada até então só em cut-scenes pré renderizadas – por isso eram tão mais reais que o jogo de fato. Saca só o teste que fizeram com a Unreal Engine na GDC semana passada, o realismo é impressionante:

(Confirmado) Foi demonstrado que a capacidade de velocidade do armazenamento do SSD do PS5 é mais que 15 vezes maior do que a do HDD do PS4 e consideravelmente maior que os SSDs padrões do mercado. Um exemplo de loading durante uma viagem rápida do recente Spider-Man diminuiu o tempo de carregamento de 15, no PS4 Pro, para 0,8 segundos no kit de desenvolvimento do PS5.

(Confirmado) Loadings rápidos são apenas uma consequência do uso de SSDs. Foi enfatizado também a velocidade com que o mundo pode ser renderizado em tempo real, fazendo com o que os jogos possam ser mais rápidos e dinâmicos já que o tempo de buscar arquivos e informações no disco de armazenamento é muito menor.

Ainda não foi divulgado se o console contará apenas com a tecnologia SSD, pois é válido lembrar que SSDs são extremamente caros atualmente. Com isso, é de se esperar que isso possa, porventura, encarecer o preço final do console.

(Confirmado) Além da questão gráfica, com Ray Tracing será possível também melhorar de forma considerável a simulação de como o som se propaga pelo ambiente.

(Confirmado) Somado a isso, o chip da AMD conta ainda com uma unidade personalizada para áudio 3D. O resultado desta unidade dedicada no chip é que o áudio dos jogos vão ser muito mais imersivos, mesmo para quem joga com som de sua televisão, apesar do headset ser aconselhável.

MÍDIA FÍSICA?

(Confirmado) Ainda não é o momento de darmos adeus definitivo aos discos. o PS5 não será um console 100% digital, como o esperado Xbox One S All-Digital.

O padrão deve ser um leitor Blueray Disc XL (BDXL) que permite armazenar até 128GB de dados, mais que o dobro dos atuais de camada dupla (50GB).

Entretanto, o mercado tem mostrado ser muito interessante para empresas lançarem versões mais acessíveis de seus consoles e isso pode fazer com que a Sony lance versões do console sem o leitor, sendo somente digitais. Exemplos recentes desta tendência são ‘Xbox One S All-Digital’ e um dos prováveis novos modelos de Switch, ou seja enxutos para serem mais baratos e alcançarem mais consumidores, mesmo sem entregar a experiência completa da plataforma.

REDES SOCIAIS E STREAMING

O PS4 deu um empurrão significativo na integração com serviços de Streaming e Rede Sociais. Porém, durante seu lançamento, lá atrás em 2013, Streaming ainda não era a febre que é hoje e as redes sociais não eram um grande impulsionador da comunidade gamer como nos tempos atuais, portanto nada mais natural que a conectividade dos consoles à época fosse bastante limitada, quase que experimental ainda.

Em 2019 e 2020, ao contrário, Streaming é estratégia de marketing de toda empresa de videogame e desenvolvedoras, redes sociais também. Além disso, tudo é estreitamente interligado com o jornalismo gamer que também mantém suas redes e streamings online full time. Outro fator que também contribui para uma provável melhoria em streaming é o fato de que a Sony está investindo no processador do Playstation, algo muito importante para Streaming / Gravação.

Logo, é de se esperar que o PS5 tenha uma integração muito amigável, rápida, atualizável e com boa performance às principais redes sociais e serviços de streaming pelo mundo.

DUALSHOCK 5

Eu realmente acredito que o Dualshock deve mudar muito pouco, se é que vai mudar mesmo. Apesar do Joystick do Xbox ser extremamente bom, a maioria dos usuários do PS4 é satisfeita com o atual modelo. Talvez as melhorias sejam na sensibilidade dos gatilhos, na vibração e acabamentos dos analógicos, ou seja: bem pontuais.

Se eu fosse acreditar em uma mudança considerável, seria no Touchpad. Entre nós, nem tudo foi flor no reino da Sony ao longo dessa geração e o Touchpad do Dualshock 4 foi um flope e tanto. Raríssimos jogos usam esse recurso da devida maneira e o botão acabou servindo apenas como um atalho ao mapa da maioria dos jogos, nada mais.

Boatos da internet sugerem uma tela para uso social rápido e alguns menus de sistema, mas achei o visual (abaixo) tosco suficiente para acreditar não ser nada além de um mau rumor.

NUVEM

Não sei se vocês se lembram, mas durante o anúncio oficial do PS4, a Sony disse que entraria no ramo de cloudgaming, mas deixou a desejar. Mas ao que tudo indica, a Sony não terá como foco a nuvem, não nessa geração pelo menos. Diferentemente da Microsoft e da Google, a empresa japonesa tem dado indícios de que vai manter a marca Playstation como um console de mesa parrudo.

Porém, é inegável que o futuro do mundo seja serviços. As pessoas possuem menos propriedades, pois serviços tornam os custos bem mais baixos e, consequentemente, o preço final que vai ao consumidor também. Portanto, não temos como negar que a nuvem vai ter algum tipo de influência no PS5, seria muita ingenuidade achar que a Sony ficaria para trás em um assunto que pode custar caro para ela num futuro não tão distante.

(Confirmado) A Sony e a Microsoft assinaram um acordo de parceria inédito para desenvolvimento de tecnologia em nuvem que possa beneficiar ambas as empresas. Confira abaixo nossa discussão sobre o assunto:

(Confirmado) A Sony confirmou que nuvem estará presente no futuro, mas que não será o foco. A empresa acredita fielmente na escolha do usuário e pretende fazer da tecnologia em núvem um importante aliado e não o foco do Playstation. O crescimento da PS Now deve acontecer conforme o passar dos anos para atender a demanda dos usuário e não forçá-los a adotar a tecnologia.

REALIDADE VIRTUAL

O primeiro State of Play, a revista digital da Sony, estreou com um episódio praticamente inteiro falando do investimento da empresa em Realidade Virtual com novos e exclusivos títulos. Levando em conta que estamos no final da geração e a empresa ainda continua dando um suporte consideravelmente bom para VR, dá para se esperar que o PS5 seja bem preparado para um salto geracional também neste acessório, trazendo mais imersão e qualidade para os jogos.

(Confirmado) Sem tratar sobre um possível novo set de VR, como muitos chamam de 2.0, a Sony já confirmou que o atual acessório vai funcionar no PS5.
(Confirmado) A Sony confirmou que não teremos um novo PSVR na época de lançamento do PS5. Mas também afirmou que está sim desenvolvendo um novo PSVR para a próxima geração.

RETROCOMPATIBILIDADE

A Retrocompatibilidade sempre é polêmica. Consumidores querem enfiar um disco velho e jogar em qualquer plataforma nova, enquanto que as empresas querem aproveitar os títulos antigos para relançar, fazer remakes e remasters. O desafio é justamente achar um equilíbrio que torne viável o consumo nostálgico dos fãs e a necessidade (ou não?) das empresas em explorar os títulos anteriores para lucrar.

(Confirmado) O arquiteto chefe de desenvolvimento do PS5 confirmou ao site Wired que o PS5, por ter como sua arquitetura base a mesma do PS4, terá total compatibilidade com jogos da geração anterior.

Recente patente descoberta por jornalistas prevê a capacidade do processador do PS5 de emular versões anteriores ao mesmo tempo em que temos a tecnologia em nuvem que também pode ser bem explorada nesse sentido. Logo, seja por um serviço de assinatura ou através de Discos antigos, há uma grande expectativa dos fãs em poderem jogar seus jogos empoeirados novamente.

A pegadinha vai ser em como a Sony vai liberar isso sem influenciar nas vendas dos relançamentos e remasters. Acho muito difícil que tanto ela quanto alguns desenvolvedores abra mão das cifras que ganham a cada relançamento.

JOGOS TRANSGERACIONAIS

(Confirmado) Foi revelado ao site Wired que o PS5 será de uma geração que pretende se inserir aos poucos no mercado, portanto a maioria dos jogos iniciais serão transgeracionais, ou seja, serão lançados tanto para a nova, quanto para a geração anterior.

(Confirmado) John Kodera, VP da Playstation, confirmou que o PS5 terá Cross-Play com o PS4 para que haja uma suave transição entre as gerações.

(Confirmado) The Last of Us 2, Ghost of Tsushima e Death Stranding serão lançados para PS4.

Expectativa é que esses títulos mais recentes saiam para as duas plataformas. Não seria também impossível vermos outros jogos como o Days Gone que chega em breve, assim como Death Stranding, Mortal Kombat 11 e Final Fantasy VII.

INTERFACE

Há boatos na internet sobre uma interface com Inteligência Artificial adaptável. Olha, nem precisa ir tão longe, se for uma interface de sistema que faça sentido, ao contrário da maior parte da interface do PS4 ,já é muito avanço.

Entretanto, se os boatos se confirmarem, teremos um sistema que vai se adaptar às preferência, tendências e utilidades mais comuns dos usuários. Particularmente, não vejo porque a Sony se dedicaria neste aspecto a não ser que seja uma tecnologia sendo desenvolvida para diversos outros dispositivos da empresa, ou uma parceira terceira que fosse de custo bem baixo para o Playstation. Lembrando que tudo que envolve o console gera um custo de desenvolvimento e fabricação e, portanto, influencia no preço final.

OUTROS

Há uma patente também da Sony sobre a possibilidade de venda e trocas de jogos digitais. Apesar do otimismo da comunidade gamer, não creio que as trocas sejam indiscriminadas, se é que elas vão existir. Ninguém vai querer perder dinheiro deixando todo mundo trocar jogos digitalmente com a facilidade de clicar em apenas um botão. Talvez se aplique uma taxa sobre cada transação entre usuários, quem sabe?

PREÇO

Assim como comentei sobre a mídia e o leitor do console, afirmo o mesmo aqui. Quanto mais elitista é a plataforma, mais a empresa perde. Foi assim desde a primeira trapalhada do Xbox One, quando foi anunciado bem caro e com necessidades de primeiro mundo como uma conexão 24/7 com a internet para se jogar qualquer game. Passaram-se quase 7 anos e o que vemos é a industria se moldando para tornar suas plataformas cada vez mais acessíveis ao público em geral.

Portanto, não será surpresa se a Sony lançar 2 ou até mesmo 3 diferentes pacotes de Playstation 5. Um mais acessível, um outro padrão e um terceiro elite. Minhas sugestões:

O pacote acessível poderia ser uma espécie de PS5 todo digital, sem leitor de disco, com joystick básico (se houver diferenças aqui), sem headset, o menor HD interno, algo em torno de 1TB e o mínimo de extras possível.
Preço: US$ 450,00

O conjunto padrão seria muito parecido com o PS4: leitor de mídia, um headset básico, um HD mais robusto, talvez 2TB e joystick padrão.
Preço: US$ 500,00

O conjunto elite seria o console completíssimo, com acessórios diversos como o VR, headset melhor, HD grande e alguma outra novidade que não sabemos.
Preço: US$ 700,00

DATA DE LANÇAMENTO

(Confirmado) O console não sai em 2019, mas ninguém disse nada sobre seu anúncio, que ainda é previsto para esse ano pela maioria dos analistas de mercado.

Minha aposta fica no primeiro semestre de 2020 no Norte, próximo às férias de fim de ano letivo dos EUA, para vender muito. Se não for nesse intervalo, então poderemos esperar pelo novo PS só no fim de 2020, perto do Natal, por motivos de: vendas também.

(Refutado) Um relatório da Ace Securities indicava que o videogame poderia chegar para o natal de 2019, mas eu acho que seria um otimismo caro. Caso chegue ainda em 2019, podemos ter que encarar um console deveras caro e pouco acessível, 2020 é um chute mais realista.

E VOCÊ, O QUE ACHA E O QUE ESPERA DO PS5?

Mostrar mais

Ricardo Carvalho

Ricardo Carvalho é escritor, desenhista, filósofo de sofá, cineasta frustrado e ativista pela aceitação mundial de que videogame é arte. Redes: twitter.com/perfilricardoc, instagram.com/perfilricardoc.
Botão Voltar ao topo
Fechar