[Hands-on]: Final Fantasy 7 Remake é sim o jogo que estávamos esperando

Depois de MUITA espera, finalmente nós tivemos acesso a primeira demo de Final Fantasy 7 Remake que promete trazer o amado jogo da década de 90 aos dias de hoje. E já posso dizer, o jogo está maravilhoso! A Square conseguiu com primazia adaptar elementos de Final Fantasy XV e misturá-los com o Final Fantasy 7 original.

Infelizmente a demo era um pouco curta e ela não mostrava muita coisa. Cloud está com Barret em sua primeira missão para destruir o reator de Mako. Ao chegar no reator eles serão atacados pelo primeiro chefão do jogo, o robô escorpião. Como não posso falar muito da história, vou falar da ambientação. É simplesmente INCRÍVEL você poder andar dentro de um reator de Mako. Existem diversos andares para você caminhar e a estrutura é massiva dando a sensação real do que seria andar em reator de energia. É sempre possível ver muitos detalhes tanto acima de você como abaixo, incluindo a energia Mako em estado liquido abaixo de você. Além disso, o jogo tem lindos efeitos de luz e lindas partículas que irão deixar qualquer um de queixo aberto. Se essa demo deixa espaço para uma pequena crítica, é que os modelos dos personagens podem ser um pouco melhor trabalhados, mas não é nada que assuste.

E algo que vale pontuar é que é possível tanto jogar com o Cloud como o Barret além de poder mudar com o toque de um botão entre os personagens. Isso será necessário para situações específicas, pois o Cloud é um personagem de ataque a curta distância enquanto o Barret pode atacar inimigos que estão mais longes. E  dublagem dos personagens está muito boa e não tenho o que falar dela.

Bem, vamos falar do que pode preocupar um pouco os fãs e os mais céticos, o gameplay do jogo. Ele segue uma linha bem simples e rápida que incorpora todos os elementos de Final Fantasy 7 clássico a um jogo de ação moderno. Sempre será possível dar um ataque básico nos inimigos e caso faça isso, sua barra de ação (ATB) irá encher. Com ela carregada será possível lançar tanto um especial como magia que logicamente irá gastar essa energia acumulada. O interessante desta mecânica é que é extremamente fácil alternar entre jogadores para utilizar seus especiais, assim como dar as ordens para ele utilizar seus especiais. Isso acontece, pois ao entrar no modo para usar a ATB o jogo entrará em um slow motion onde será possível pensar na melhor estratégia. E se está pensando se veremos limit Break, a resposta é sim! Depois de sofrer uma certa quantidade de dano sua barra de Limit Break irá brilhar e será possível utilizar um ataque devastador.

E falando sobre a luta do chefão ela foi muito interessante, pois no original cada um ficava parado desferindo ataques e tomando cuidado quando o chefão levantava a cauda para contra atacar e bem, agora está tudo meio diferente. A primeira diferença é que ao longo da luta o robô escorpião irá se mexer muito e você terá que ficar correndo atrás dele. Muitas vezes ele irá grudar na parede e somente o Barret poderá atacá-lo a distância. Com relação ao rabo levantado, será necessário correr para atrás de uns destroços para se defender, porém, caso queira receber o ataque, saiba que sua barra de limit break encherá muito mais fácil. E claro, tanto antes da luta como após a luta, será possível contar com cinemáticas incríveis.

De forma resumida, sim, isso é Final Fantasy 7. O jogo está incrível, a história está lá, o gameplay funciona melhor do que poderia esperar, ambientação fantástica e para acompanhar tudo isso, temos aquela linda e maravilhosa trilha sonora.

Final Fantasy 7 Remake será lançado no dia 3 de Março de 2020 exclusivamente para PS4.

Mostrar mais

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar