O que Yakuza Zero nos ensina sobre a cultura e a língua japonesa?

Se divirta e aprenda mais sobre a cultura japonesa com YAkuza

Já pensou em aprender cultura e a língua japonesa através dos games?

Então fique ligado, pois nesse artigo vou te mostrar o quanto Yakuza Zero tem a oferecer sobre a terra do sol nascente.

Esse é provavelmente o jogo mais imersivo na cultura japonesa, desde os cenários, música, comportamento e sotaque dos personagens. Se você sonha em um dia visitar o Japão, preciso dizer que é quase uma obrigação jogar esse game!

Um game muito popular no Japão, mas agora também em todo o mundo


A série Yakuza deu seus primeiros passos no PS2 com o lançamento de “Yakuza” em 2005, que seria o Yakuza 1. O jogo é de ação em mundo aberto e lembra muito o GTA do ocidente, só que com o toque japonês da cabeça aos pés.

Atualmente estamos na sétima edição desse game e todas as outras estão sendo remasterizadas para PS4 e PC, então está bem acessível e sem desculpas para não experimentar essa obra prima.

Inclusiva confira aqui nosso review de Yakuza 0, aqui o de Yakuza 1, aqui o de Yakuza 2 e, por fim, o de Yakuza 6.

Cultura japonesa à flor da pele


A história do game se passa no Japão, em um dos bairros mais populares, mais famosos, mais perigosos e mais frequentados por turistas! Além disso está perto de uma das linhas de metrô mais lotadas do mundo.

Esse lugar se chama Kabukicho, mas no jogo foi alterado para Kamurocho (assim como Los Angeles foi mudado para Los Santos em GTA V).

O bairro também é conhecido como “o distrito das luzes vermelhas” e tem de tudo um pouco, desde bares, restaurantes, casas de shows, cafés, hotéis, farmácias e motéis.

Vale destacar que muitos desses estabelecimentos são gerenciados pela poderosa máfia japonesa.

Yakuza, a máfia japonesa conhecida mundialmente


A Yakuza é uma organização muito poderosa e extremamente organizada, seu membros são leais e buscam proteger e manter o grupo sempre unido.

As normas da máfia são severas ao ponto de, caso um membro desobedeça uma ordem superior, seja necessário cortar um dedo para demonstrar lealdade e se redimir.

Essa regra vem desde os períodos mais antigos em que as espadas serviam de armas, pois ao perder um dedo o espadachim não teria força suficiente para segurar uma espada com precisão e necessitaria mais da ajuda dos companheiros, isso evitaria tomar decisões individuais.

No próprio game tem uma cena em que um personagem corta o próprio dedo mindinho como remissão ao seu superior!


Além das rígidas regras, outra característica marcante da máfia são as tatuagens de seus membros. Geralmente todas as tattoos são facilmente cobertas com uma camisa de manga comprida.

As tatuagens quase nunca são mostradas em público, eles acreditam ser algo muito pessoal e sem necessidade de expor publicamente.

O único momento em que um Yakuza mostra suas tatuagens é quando estão jogando cartas, esse é um momento privado de descontração e informalidades, geralmente prendem a camisa na cintura e deixam as tattoos expostas de maneira que os outros membros vejam.

Culinária drinks japoneses amplamente divulgados no jogo

Achou pouco? em Yakuza Zero você terá à sua disposição mais de 140 pratos típicos japoneses, além de várias bebidas e drinks.

Andar pelo bairro mais famoso do Japão e não provar de um sushi da origem é quase um pecado, não é mesmo?

Em cada esquina você pode comprar comidas e bebidas japonesas, desde sushi, tempurá, ramen, e até cervejas e grandes nomes de uísques japoneses como o Yamazaki 12 anos. Tudo isso distribuído entre os diversos bares e restaurantes de Kabukicho.

É hora de aprender japonês jogando!

Já que estamos no Japão, nada mais justo do que aprender a língua japonesa.

Quem está aprendendo o idioma esse jogo é um prato cheio, pois possui diversos letreiros e fachadas de estabelecimentos para você ler e ficar fazendo o máximo de input.

Recomendo para quem já conhece o hiragana e katakana (os dois principais alfabetos japoneses) e está se aperfeiçoando, no jogo você vai ter MUITA coisa para ler, e mesmo que você não saiba o significado das palavras vale e pena, porque é assim que se aprende. 

Lembre-se que quando éramos crianças sabíamos ler tudo, todos os letreiros das lojas, mas o significado das palavras não. Da mesma forma é a língua japonesa, como se trata de um idioma de 3 alfabetos, primeiramente temos que decorar os caracteres para depois buscar os significados deles juntos.

Além disso você vai ouvir muito japonês, desde frases palavras simples como “sumimasen” (desculpe, foi mal) e até termos mais difíceis do mundo dos negócios e da máfia.

O jogo possui longas cenas de diálogos; em outros momentos, durante a própria jogatina, você pode ouvir os npcs de chamando para entrar nos estabelecimentos e amigos conversando.

Um game para amantes da cultura japonesa

Yakuza Zero é um jogo que te coloca profundamente na cultura japonesa, desde os cenários, personagens e até as piadas.

Recomendo fortemente para você que é gamer e fã da terra do sol nascente, dá pra aprender muitas coisas a respeito do Japão, inclusive conhecer um bairro, mesmo que virtualmente.

É um jogo muito bem avaliado tanto no japão como no ocidente, suas notas variam entre 8 a 10 tanto na mídia especializada como os próprios jogadores.

E agora que tal experimentar essa belezinha? O game está frequentemente em promoção na steam por 34 reais. Conta com milhares de análises positivas e está bem otimizado para PC, rodando até em sistemas mais modestos. Claro, também é possível jogá-lo no Playstation 4, mas terá que desembolsar muito mais do que R$ 34,00!

Sempre podemos aprender algo novo, até mesmo jogando videogame, basta ter um olhar mais analítico, o problema é que passamos pelas coisas rápido demais e acabamos não aproveitando tudo de bom que o game tem a oferecer, não é mesmo?

Esse artigo foi feito por Marcus Cronem do site https://artesninja.com. Seu site é dedicado a fazer links entre os jogos e a cultura oriental.


Ajude o ÚltimaFicha de forma gratuita, clique aqui e inscreva-se no nosso canal do Youtube


Mostrar mais

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar