Análise: Teclado Logitech G Pro

Acharam que não teria mais review em 2020? Achou errado!

Procurando um teclado que possua RGB com diversos perfis, switches topo de linha, formato TKL (“ten keys less” ou sem teclado numérico), cabo destacável, software de qualidade, design minimalista, qualidade de construção e a melhor garantia do mercado de periféricos para computador? É seu dia de sorte! O Logitech G Pro possui todas estas características e, dificilmente, você encontrará opção melhor no mercado. De negativo? Talvez o preço, mas isso vamos destrinchar ao longo da análise!

DESIGN E CONSTRUÇÃO

De cara o que chama atenção é que o Logitech G Pro é um teclado gamer super compacto, o mais compacto que a Logitech já fez com switches mecânicos. Com um design super simples, retangular, com linhas retas e ângulos de 90 graus, chassi sólido (mesmo usando força ele é pouco flexível) e completamente preto, o G Pro consegue se tornar um aliado tanto para gamers (ele foi feito originalmente focado em jogadores de eSports) quanto para quem quer ter uma experiência topo de linha ao digitar textos e preencher planilhas durante o trabalho.

Devido a seu tamanho o Logitech G Pro não conta com teclas dedicadas de macro e multimídia. As teclas relacionadas a multimídia estão presentes do teclado e podem ser acionadas em união com a tecla function (Fn). O botão que mais senti falta, vindo de um Logitech G610, foi o scroll de volume. Definitivamente a melhor solução já embarcada em teclados visando aumentar e diminuir o volume de forma simples e prática. Outra fabricante que usa esse tipo de solução é a Corsair.

Dedicado mesmo temos apenas o botão de modo gamer, que trava o funcionamento das teclas Windows, o de iluminação que ao mesmo tempo serve para diminuir a intensidade dos LEDs e mudar rapidamente de padrão de cores, usando ao mesmo tempo o botão de iluminação e números do teclado.

Para você que vive de macros, fique tranquilo. Através do software G Pro você poderá usar teclas existentes do teclado e mapeá-las de acordo com suas necessidades. Não é a mesma coisa que ter um botão dedicado, mas a tecla Fn está ai para ajudar.

O painel superior é construído em plástico duro, com acabamento fosco que não guardam suas digitais. Já nas laterais temo a desgraça do black piano, que pode ser bonito, mas além de guardar todas as suas impressões digitais e acumular gordura das mãos, risca com extrema facilidade.

O teclado não acompanha descanso de pulso, que geralmente acompanham teclados de altíssimo custo (não que este seja barato) e nem removedor de key caps, para facilitar a remoção com segurança das teclas. Na parte inferior temos 5 borrachas que não deixarão o teclado deslizar na mesa e pequenos suportes para aumentar a angulação do teclado, que pode ser usado em 2 níveis de altura, além do básico completamente reto.

Por fim temos um cabo destacável, o que é excelente. Caso você tenha algum problema com ele será fácil manter em uso seu teclado, bastando usar outro cabo. O cabo é micro USB, o que em 2019 é um pouco triste, visto que a tendência é USB-C em tudo. Pelo menos ele é todo trançado, passando segurança e durabilidade.

SWITCHES ROMER G 

Confesso que fiquei um pouco apreensivo. Venho de longo período de uso com switch Cherry MX Brown e sou extremamente fã da tecnologia. Mesmo em Cherrys Blue e Red tive experiências absolutamente perfeitas e, por conta de alguns feedbacks negativos, esperava ter dificuldade de adaptação ao Romer G. Ledo engano meu, para minha felicidade!

Comparando diretamente ao Cherry MX Brown, o Romer G embarcado neste modelo é excelente igual. Ele é mais silencioso e sinto que preciso fazer um pouco mais de pressão para ativar as teclas. Quando digo um pouco é pouco mesmo, só consigo prestar atenção se eu focar no uso da força nos dedos. No geral são dois switches de extrema qualidade e conforto. Em poucos minutos de jogatina no Apex Legends eu já estava completamente adaptado a mudança.

Para os fanáticos por RGB, os switches Romger G contam com iluminação saindo do centro do switch, expondo uma quantidade uniforme e consistente de luz por tecla. O resultado é perfeito, tendo cada tecla super iluminada sem vazamento de LEDs. Ou seja, cada tecla será extremamente bem iluminada e nada mais, nada ao redor. Eu particularmente sou fã deste tipo de iluminação, que traz um pouco mais de sobriedade ao ambiente.

FEATURES E DESEMPENHO

O Logitech G Pro conta com teclas de multimídia semi-dedicadas, como já citado, e tem uma vasta quantidade de personalizações que vão desde macro mapeáveis em teclas existentes (não dedicadas) até dezenas de opções pré instaladas via software para personalização da iluminação RGB.

Trovões, simulação de onda do mar, arco íris louco RGB… são dezenas de opções disponíveis no software da Logitech. Software por sinal que é um dos melhores do mercado, visualmente mais bonito e mais útil com diversas opções e sincronia entre seus periféricos Logitech. Escolha uma opção de iluminação e simplesmente coloque para sincronizar, assim seu mouse, teclado e fone vão ter o mesmo padrão em pouquíssimos cliques.

Os switches Romger G são focados em eSports, por isso possuem latência extremamente baixa. Espere uma sensível diferença entre outros teclados que não usam esse switch, principalmente em jogos de extremo reflexo como CS:GO. Mas não é só de jogatina que vive este teclado. Pode esquecer qualquer possível fadiga após muito tempo digitando. O formato das key caps e posicionamento das teclas no chassis trazem conforto para longas digitações, deixando longe o cansaço e possíveis incômodos provenientes do formato da tecla.

CONCLUSÃO

O Logitech G Pro é sem duvida uma das melhores opções do mercado para teclados TKL, seja em design, construção, switches embarcados, RGB ou software proprietário. Absolutamente todos os aspectos importantes foram cobertos e bem implementados pela Logitech.

Ok Pedro, então ele é uma escolha certa. Mas e o preço, é estratosférico, justo ou dentro do aceitável? Bem, na data de publicação desta análise encontramos em varejistas (não marketplace) o Logitech G Pro sendo vendido a partir de R$449,00. Lá fora, na Amazon por exemplo, este exemplar sai por praticamente 100 USD, que com as taxas médias dos estados americanos e o dólar transformam os 100 dólares em aproximadamente R$440,00. Pois é, o mesmo preço que no Brasil, e você não corre risco de taxas ou impostos extras.

Já não é de agora que a Logitech consegue fazer preços idênticos aos americanos, considerando cotações. As vezes consegue até preços melhores do que os de fora. Claro que não é sempre, principalmente em lançamentos, mas é algo rotineiro no portfólio nacional da empresa.

Cerca de 500 reais, frente aos concorrentes e ao que o produto entrega, é um preço justo. Salgado, caro para um país onde o salário mínimo beira os 1000 reais, mas é o preço que se paga por tanta tecnologia e qualidade.

Sem duvida é um dos melhores teclados que já usei, seja em desempenho, construção e design minimalista. Posso usar ele na minha jogatina pulsando em RGB ou no meu trabalho sem iluminação, todo preto. A Logitech acertou em cheio com o G Pro, nos dando talvez a melhor opção nessa faixa de preço para um teclado TKL.

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Nogueira une estas duas formações para administrar de forma única suas skills em jogos de tiro, adquiridas em anos jogados fora jogando The Duel. Além da supremacia em jogos de tiro, Nogueira é fã de jogos com história bem trabalhada e tem no sangue as habilidades de Dominic Toretto para jogos de corrida.
Botão Voltar ao topo
Fechar