OPINIÃO: 2020 chegou e a EA começou com seus absurdos

Eliminação por pedra, papel e tesoura e pênalti não computado em campeonatos oficiais

Entra ano, sai ano, só temos certeza de uma única coisa no mundo dos games: a EA vai te enxergar como um cartão de crédito, querendo somente seu limite e sua senha. Nada mais. Nada de bons jogos (DLCs anuais esportivas), nada de cumprir promessas (Anthem que terá que ser refeito), nada de boas práticas (lootboxes acima de tudo) e nada de respeito com seus fãs e consumidores.

O ano chegou ao seu terceiro mês e, na mesma semana, leio dois absurdos por parte da EA envolvendo sua maior mina de lootbox ouro, FIFA 2020. Mas não foi algo relacionado às suas práticas abusivas que envolvem mecânicas de jogos de azar, muito menos jogos quebrados ou insatisfação de fãs com seus jogos lançados mal e porcamente.

COMO FUNCIONAM ALGUNS TORNEIOS

Pasmem, os casos envolvem pro players, profissionais que vivem de jogar FIFA 2020, em torneios e classificatórias oficiais. Não é um mero mortal que compra FIFA todo ano só para jogar com os vizinhos. São jogadores que incentivam outras pessoas a jogar, seja via stream, vídeos ou pelo desempenho nos torneios. Pessoas que investem MUITO DINHEIRO para participar dos torneios. Para quem não sabe, nos torneios de FIFA são usados os times do Ultimate Team. É isso mesmo, os times usados são os times que são construídos através de sistemas de SORTEIO e LOOTBOX.

Calma, você tá lendo certo. Duas pessoas não sentam e escolhem times iguais ou times similares dentro do jogo. Elas sentam com o time que pode ter investimento infinito. Na prática, tirando as habilidades de cada jogador, o jogador mais rico tem uma vantagem considerável. Quanto mais pacotinhos você comprar, mais chances de ter um CR7 ou Messi foil no seu time.

TÁ, MAS QUAL FORAM OS CASOS DA VEZ?

O primeiro caso envolve dois jogadores na qualificatória europeia do PS4 para a FUT Champions Cup Stage V, o quinto Mundialito da temporada. Na hora do jogo, ambos os jogadores não conseguiram se conectar com os servidores da EA, que por sinal sofrem em diversos jogos de sua biblioteca. Logo espera-se um atraso no começo da partida, adiamento ou qualquer medida justa, certo? Não. A solução justa e condizente com o desporto futebolístico virtual foi uma disputa de PEDRA, PAPEL E TESOURA. O alemão Hasan “Hasoo” e o maltês Shaun “Brandsha” decidiram sua partida de FIFA 2020, nas qualificatórias europeias, com um jogo de azar. MUITA COINCIDÊNCIA!

Volte aqui, temos mais um caso! Desta vez envolve o jogador profissional Giuseppe Guastella, também jogador do PS4 e finalista de cinco mundiais. Guiseppe jogava o qualificatório da América do Norte, para conseguir acesso ao FUT 20 Champions Cup. Sua partida foi para os pênaltis, para desempatar a partida e consagrar o vencedor. Guiseppe converteu a última cobrança, que daria a vitória à ele. Mas não é bem assim né Guiseppe? O sistema do jogo simplesmente NÃO COMPUTOU O PÊNALTI! Você não acredita né? Eu também quando li duvidei de mais essa da EA. Mas eu deixo vocês com o tweet do Guiseppe, que além de indignado, adicionou o vídeo de sua cobrança, onde a bola claramente entra, balança a rede, mas o jogador se lamenta como tivesse perdido.

QUERIDA EA…

EA.. não é lançando DLCs anuais de jogos esportivos, sem inovação e quebrando partes dos jogos que vocês vão recuperar a imagem perante os gamers. Não é lotando seus jogos com mecânicas de cassino que as pessoas vão voltar a se entusiasmar de comprar um novo título de vocês. Não é dificultando acesso da imprensa aos seus jogos que vocês evitarão as manchetes negativas. Eu sei que é difícil melhorar a satisfação de seus clientes quando o lucro no balancete anual é sempre recorde. Mas pense bem, essas pessoas que suportam vocês não apanharão para sempre caladas. Vocês marcaram a indústria dos jogos eletrônicos com títulos memoráveis, numa época onde não existia online ou compras dentro do jogo. Por favor, voltem à essa era próspera.

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Nogueira une estas duas formações para administrar de forma única suas skills em jogos de tiro, adquiridas em anos jogados fora jogando The Duel. Além da supremacia em jogos de tiro, Nogueira é fã de jogos com história bem trabalhada e tem no sangue as habilidades de Dominic Toretto para jogos de corrida.
Botão Voltar ao topo
Fechar