Preview: Jogamos o Alpha de Roller Champions

Ideia do jogo é original e divertida, mas tem que melhorar muito ainda

Durante esta última semana, jogamos o Alpha fechado de Roller Champions que foi disponibilizado para PC.  Roller Champions é o mais novo jogo gratuito (free-to-play) da Ubisoft e será lançado para PS4, Xbox One, Nintendo Switch e PC ainda em 2020.

O jogo está legendado em Português BR e tem suporte aos controle do Xbox e PS4. Abaixo vocês poderão conferir nossas impressões do jogo de patins.

Um Alpha limitado

Antes de mais nada é importante dizer que esse é um Alpha fechado de Roller Champions, ou seja, ele ainda terá tempo de desenvolvimento. Doravante, o que falarei abaixo são nossas primeiras impressões do jogo que poderá e sofrerá mudanças ao longo de seu desenvolvimento.

Tendo isso em mente, o conteúdo disponibilizado foi muito pequeno. Podemos editar nosso personagem, comprar poucos acessórios (perfumarias sem nenhum ganho de performance) com a moeda do jogo, acessar um modo treino, modo jogo com bots e jogar uma partida online.

E é basicamente isso. Por ser um Alpha, o menu está bem limitado no momento. Já é possível ver que poderemos acessar competições rankeadas, ter animações específicas e muito mais. Porém, no momento, o jogo tem um conteúdo limitadíssimo.

Boa apresentação e gráficos

O Alpha de Roller Champions nos apresentou a duas quadras de jogo: Acapulco (sem o Chaves infelizmente) e Chichen Itza. Basicamente enquanto Acapulco se passa de manhã perto da praia, Chichen Itza se passa a noite.

Ambas as pistas são bonitas e as animações são bem legais, porém elas são idênticas no gameplay e não influenciam na estratégia ou no desempenho.

Antes de cada partida um apresentador apresenta o jogo e os times e é tudo muito bem feito e bonito. Infelizmente essa qualidade não está se refletindo na animação dos personagens que até no momento apresenta diversos problemas e mini-bugs.

Falando da parte sonora, parece que falta algo que de uma emoção. Como as partidas (pelo menos nesse Alpha) não contam com um a trilha sonora, fica tudo a cargo do narrador que não consegue sustentar a emoção.

E para fechar essa parte, o jogo é jogado 100% online e presenciei lag inúmeras vezes. Em um cenário de Alpha fechado onde tem um número reduzido de jogadores, isso não deveria acontecer. A Ubisoft tem que ter muito cuidado com essa parte antes de lançar o jogo.

 Roller Champions é divertido, mas falta algo a mais

A ideia do jogo é muito simples: Temos dois times de três pessoas em uma quadra oval onde cada um usa patins. O time que tiver com a bola tem que dar uma volta completa na quadra para ter direito a marcar um ponto. Caso opte em dar duas voltas, 2 pontos e três voltas, 3 pontos. A cada nova volta, aumenta o risco de perder a bola.

Os comandos podem ser resumidos em acelerar, mini-turbo em uma descida, passar a bola, pedir a bola, driblar o adversário, atirar a bola, pular e dar uma investida no adversário. Cada partida é composta de 7 minutos e dependendo do resultado, seus fãs aumentam mais ou menos. Esses fãs serão os que lhe darão as moedas in game para comprar os cosméticos para seu personagem.

A gameplay é bem divertida e, a medida que vai jogando, você aprende novas estratégias. O ideal é sempre estar atento ao adversário e passar a bola para seus companheiros. Felizmente existe um botão dedicado a isso que facilita muito. E vale frisar que Roller Champions é um esporte em equipe, ou seja, muitas vezes só o fato de atacar os adversários para que eles não ataquem seu amigos já é um grande feito. Uma estratégia bem comum é tentar ir o mais alto possível nas paredes para descer com velocidade máxima no campo.

É fato que o jogo é divertido e, pelo fato de ser gratuito, irá agradar. Mas isso não quer dizer que ele não tem que melhorar – muito pelo contrário. Eu senti falta de algum tipo de poder/habilidade/recompensa no jogo. Se você roubar mais bola, dar mais investidas ou até fazer mais gols não dá nenhum tipo de incentivo no momento. E ao meu ver isso é um erro, pois é importante dar recompensas para os jogadores mais relevantes em uma partida.

E novamente, jogamos apenas um Alpha fechado e muita água ainda vai rolar no jogo. Ele segue um bom caminho agora, mas tem que melhorar bastante ainda para se destacar no meio de tantos jogos competitivos, incluindo outras franquias da própria Ubisoft.

 

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar