ANÁLISE: HyperX Alloy Origins, um acerto e tanto

O melhor RGB do mercado com um design simples e belo

Mesmo sem tirar da caixa alguns produtos te chamam atenção por diversos acertos visuais. É o caso do HyperX Alloy Origins, um teclado full, RGB fortíssimo, switches vermelhos da própria HyperX e keycaps expostas, construídas sobre uma única estrutura super rígida e bem polida.

A impressão dada pelo Alloy Origins ao retirá-lo da caixa é sucessão de de acertos por parte da equipe de engenharia de design, incluindo decisões acertadas como o padrão ABNT2 para o mercado brasileiro. Mas será que a sensação durante o uso reflete a sensação ao ver o teclado pela primeira vez?

DESIGN DE CONSTRUÇÃO

Com qualidade de construção de primeiríssima qualidade, o HyperX Alloy Origins possui um corpo super rígido e com excelente acabamento todo em alumínio. Não há flexão nessa chapa de alumínio, fazendo com que a estrutura base do teclado seja super sólida. Claro que o peso fica mais elevado, mas para um periférico que fica sempre parado sobre a mesa, não é um problema.

As keycaps são feitas em plástico ABS e parecem ter excelente qualidade, não dando sinais de que a impressão das teclas vá sumir ao longo do tempo conforme o uso e suor. O teclado possuí dois pés, cada um com duas opções de ergonomia, totalizando 3 opções. Elas são padrões de todos os teclados, nada mais nada menos. Descanso de pulso não existe dentro da caixa, logo se você está acostumado a usar, compre um por fora.

Em termos de design é um dos teclados mais belos e sóbrios da atualidade. Ele possui todas as teclas, mas nenhuma macro. As keycaps são “vazadas”, não possuem uma carcaça que proteja elas como o Logitech G Pro. E isso é um diferencial para a iluminação RGB.

Todas as teclas possuem iluminação individual e fortíssima. Essa forte iluminação é amplificada por conta das keycaps serem “vazadas”. A chapa de alumínio ajuda a refletir toda a beleza expelida de dentro das teclas. É sem sombra de duvidas a melhor iluminação RGB que eu já pude testar em um teclado. Todos os efeitos visuais ficam incríveis neste teclado.

O teclado possui conexão USB-C, se alinhando ao padrão atual de mercado, e é destacável, facilitando a vida daqueles que levam o teclado para cima e para baixo na mochila. Fechando temos um pequeninho painel onde você confere se o Caps Lock, Num Lock e Scroll Lock estão ativos.

SWITCHES PRÓPRIOS HYPERX

O HyperX Alloy Origins possuí switch exclusivos feitos pela própria HyperX, projetado para proporcionar aos gamers a melhor combinação de estilo, desempenho e confiabilidade. Torci um pouco o nariz antes de usá-los, por não reconhecer o switch. Mas fiquei surpreendido com a qualidade. Eles possuem excelente resposta tátil e não te trazem fatiga depois de longos períodos de jogatina ou de digitação.

Por possuírem excelente resposta e não trazem fatiga, o teclado é perfeito para qualquer ambiente, como já citei durante o texto. Com seu design sóbrio e elegante, quando com os LEDs desligados, ele se adapta perfeitamente à um ambiente de trabalho onde você precise digitar o dia todo. Claro, seus vizinhos de baia poderão reclamar do barulho, afinal (pelo menos na unidade que recebemos) os switches eram vermelhos, trazendo aquele barulhinho gostoso de teclado mecânico.

PÉSSIMO SOFTWARE, SORTE QUE É UM TECLADO

Aqui haverá um contraste absurdo. Excelente desempenho e péssimo software, assim como na análise do HyperX Dart. O calcanhar de aquiles do Alloy Origins e dos produtos da HyperX à serem analisados aqui é o péssimo software proprietário, o NGenuity. Não da para entender uma empresa do tamanho da HyperX, com tantos periféricos de qualidade, use um software horrível como este.

Todos os perfis de iluminação que você salva no NGenuity, somem assim que o programa fecha. E ele fecha TODA hora, crasha TODA hora. Não houve UM DIA de uso em que o NGenuity não crashasse. Além do aplicativo não minimizar para o system tray, como todos os outros, ele aleatoriamente fecha e te deixa na mão. Beira o ridículo.

CONCLUSÃO

A HyperX acertou no meio do alvo com o HyperX Alloy Origins. Construção de primeira, design limpo e moderno, ótimos switches, a melhor iluminação RGB que eu já vi e padrão ABNT2. Um mix de sucesso para o mercado gamer brasileiro.

O preço, na data de publicação desta análise, aparece a partir de R$729,90. Caríssimo, mesmo para tudo que ele traz. Um posicionamento mais amigável no preço faria a HyperX bombar e abocanhar uma grande fatia de mercado, mas concorrentes possuem teclados com qualidade e desempenho simulares por preços bem menores.

É um teclado com potencial para um diamante com gosto, mas preço e software precisam ser repensados. Mas não se engane, é um teclado bem acima da média em todos os sentidos. Se você tem o dinheiro disponível para dar em um teclado, não fará uma decisão errada. Valerá cada minuto digitando e jogando nele!

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: OURO

 

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Nogueira une estas duas formações para administrar de forma única suas skills em jogos de tiro, adquiridas em anos jogados fora jogando The Duel. Além da supremacia em jogos de tiro, Nogueira é fã de jogos com história bem trabalhada e tem no sangue as habilidades de Dominic Toretto para jogos de corrida.
Botão Voltar ao topo
Fechar