Análise: HyperX Cloud Alpha S é sólido em todos os aspectos

HyperX Cloud Alpha S tem ótimas execuções, mas o preço pode ser um problema

Depois de uma série de análises de headsets da Sharkoon, Logitech e Dazz, finalmente colocamos as mãos, ou orelhas, no HyperX Cloud Alpha S. O headset da subsidiária da Kingston traz na bagagem o nome da família Cloud Alpha, conhecida por excelente custo versus benefício, com melhorias, novas tecnologias e uma opção de cor chamada de “blackout”, que infelizmente não é comercializada no Brasil. Mas fica o relato que é um dos fones mais bonitos e discretos já lançados para o mercado gamer, dentre todas as fabricantes.

Alpha S

CONSTRUÇÃO, DESIGN E CONFORTO

Tendo o mesmo DNA do HyperX Cloud Alpha, o Alpha S tem o mesmo encaixe na cabeça e quase o mesmo design do Alpha. O fone é praticamente todo preto, exceto para os detalhes em azul (modelo que recebemos). Por não ter RGB e não ser cheio de firulas, o Alpha S pode ser perfeitamente utilizado para sessões de jogatinas ou para ligações durante o trabalho. Existe ainda uma primorosa “blackout edition”, que parece ser perfeita, absolutamente toda preta, sem absolutamente nada chamativo.

Os garfos que ligam as earcups ao suporte da cabeça são feitos em alumínio, trazendo qualidade, rigidez e deixando o fone leve. Aliás este garfo é a única parte de metal, pelo menos aparente, do fone. Todo o resto é construído em plastico de boa qualidade e couro artificial.

Estrutura

Além da letra ‘S’, o Alpha S muda três coisas (visualmente falando) do Alpha comum: cor azul no lugar da vermelha, botões deslizantes para ajustes de graves e preço maior. Se você mostrar ambos os fones para uma pessoa que não é do mundo dos games, ela vai achar que os fones são idênticos, apenas com cores diferentes.

Sendo muitíssimo parecido ao Alpha original, mantém-se os elogios à conforto do irmão mais velho. Ambas as earcups que acompanham o Alpha S são confortáveis, sendo uma em couro artificial e outra em courino. As regulagens de tamanho são boas, ele fica fixo na cabeça e ao mesmo tempo não pressiona sua cabeça. O apoio de cabeça é mais flexível, porém poderia ser mais recheado. É o único ponto negativo em conforto de todo o fone.

MICROFONE

Sigo sendo frustrado por ótimos e caros headsets com microfones não tão bons. E o HyperX Alpha S é mais um à entrar para a lista. Foi sensível a queda em qualidade, comparada ao meu daily driver Sennheiser Game One, que em todos os servidores de Discord que entrei, as pessoas reclamaram que havia “algum problema” com meu microfone.

Mas o microfone não é ruim, como alguns fones revisados aqui. Ele tem pontos bem positivos, como cancelamento de ruído, captura bidirecional de som e é destacável. Parece que faltou um tchan, quem pode vir a melhorar com algum tweak em firmware ou através de atualizações do software da HyperX, o NGenuity (que deixa muito a desejar).

QUALIDADE SONORA

Logo de cara você fica na duvida se usa seu fone diretamente via P2 ou se usa a placa de som que acompanha o fone. Dica: use a placa de som, pelo menos para games e uso em Discord, por exemplo, a diferença é gritante. Os botões da placa de som são enormes, o que facilita bastante o uso sem ter que olhar para ela. Nestes botões podemos inclusive dosar o áudio entre chat de voz e gameplay, deixando você livre para aumentar a voz de seus amigos ou silencia-los sem ter que minimizar seu jogo. Faltou só um botão de voltar ao padrão, 50/50.

O Alpha S tem som 7.1 virtual. Virtual porque ele é um fone comum stereo, com um driver de cada lado, assim como a esmagadora maioria de fones que se auto intitulam 7.1. Os drivers e a tecnologia empregada são bons o suficiente para trazerem uma experiência legal de 7.1, enganando seu cérebro. Achei mais útil em filmes do que em jogos, principalmente os competitivos. Não ligue o 7.1 em jogos competitivos, como CS:GO, sob hipótese alguma. O desempenho te atrapalha ao invés de ajudar.

Já sem o 7.1 virtual, temos uma excelente qualidade sonora. Este fone é excelente para imersões em games, filmes e música. O palco fechado, aliado com os excelentes pares de earcups, proporcionam um ótimo isolamento. Isolamento esse que somado a qualidade dos drivers do Alpha S, o tornam em um fone stereo figurando entre os melhores da categoria.

CONCLUSÃO

Normalmente o preço influencia muito nas minhas conclusões, mas desta vez iremos além, comparando também com o Alpha normal. O Alpha normal pode ser encontrado, na data de publicação desta análise, por volta dos R$560,00. Já o Alpha S, que é basicamente o Alpha com uma chave seletora de graves e um 7.1 virtual, encontramos a partir dos R$799,00. Este preço o tira de uma categoria na qual o Alpha original se enquadrava.

Subindo de categoria em preço, você começa a ser comparado com fones muito mais encorpados, com microfones mais profissionais e com features diferenciadas. Além disso, os mais de 250 reais de diferença para o irmão não-S não se justificam para aqueles que não tem intenção de fazer uso da tecnologia 7.1, por exemplo. Esta diferença do Alpha para o Alpha S pode ser colocada em um bom condensador para uma melhor experiência em lives ou criação de conteúdo.

Mais um caso, no Brasil, de ótimo fone e preço que o torna não uma escolha muito fácil. O “custo Brasil” tem grande culpa, com dificuldades de importações, impostos abusivos e dólar imprevisível. Mas mesmo com esse ponto negativo, o HyperX Alpha S é um ótimo fone como um todo, com poucas falhas. Talvez em promoções ou conforme ele for ficando mais velho e barato, poderemos ver ele bombando em vendas no Brasil por ser custo x benefício!

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: OURO

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo