Impressões: Halo 3 chega para PC após 13 anos

Coleção de Halo cada vez valendo mais a pena.

Halo 3 acaba de chegar para PC fazendo parte da Master Chief Collection, que você pode adquirir na loja da Microsoft ou na Steam. Lembrando que para quem é assinante da Game Pass de PC ou Ultimate, o jogo já está lá para você.

O jogo recebe seu primeiro port para PC após treze anos de seu lançamento original no Xbox 360 e chega cheio de novidades em sua configuração, como: suporte para resoluções altas e wide, opções de campo de visão (FOV), controles personalizáveis ​​de teclado e mouse e altas taxas de quadros (FPS ilimitado).

Se você acompanha nossas lives na Twitch, já conseguiu ver bem o que achei da campanha do jogo e das melhorias que fizeram, mas, se você ainda não teve a oportunidade, seguem as minhas impressões deste belo jogo.

Quando a nostalgia se moderniza

As vezes quando jogo um título antigo ou um port chega na minha frente, fico um pouco receoso pois a maioria dos jogos 3D mais antigos não envelhecem muito bem. Novas mecânicas são criadas e seguidas após um tempo e voltar a uma movimentação ultrapassada é muito difícil para mim. Porém, esse não é o caso de Halo 3! 

Assim que comecei minha campanha do jogo, a resolução foi o que mais me surpreendeu. A remasterização convence e agrada aos olhos. Claro que você consegue ver que se trata de um jogo lançado no passado por conta de suas texturas e seus cenários cheios de linhas retas e pontiagudas. Entretanto, tudo isso vem junto com a nostalgia de se ter um jogo clássico rodando “lindamente” em PCs modernos.

Outra opção que faz total diferença é o FPS ilimitado. Joguei Halo 3 em um monitor 2K 144hz e a experiência foi a melhor possível. Movimentos rápidos e tiros certeiros de sniper foram super satisfatórios, assim como a movimentação em veículos e naves do jogo. Tudo funciona muito bem mesmo em meio às grandes explosões do jogo.

Campanha de Halo 3

Por mais que o foco dessa matéria seja o port em si e as novas opções, eu faço muita questão de falar do que você vai encontrar jogando Halo 3. Se você não teve a oportunidade de jogar no passado (assim como eu que só jogava na casa de amigos pois não possuía um Xbox 360), Halo 3 tem uma campanha que vale muito a pena ser jogada. O ritmo do jogo é excelente, sem firulas encontradas em jogos de hoje em dia. O combate acontece a todo momento e não te deixa respirar por grande parte de sua experiência. Jogando na dificuldade normal já existe um desafio pois, se você perder sua armadura, não irá demorar muito para tomar um único tiro e sair voando no melhor estilo “bonecão”.

Além disso a campanha te dá oportunidade de entender melhor a história, seus personagens, as armas e veículos do jogo. A dublagem em português ainda está muito atual e morri de rir diversas vezes com algumas das falas dos inimigos.

Eu me impressionei com a diversão que tive mesmo com um jogo de treze anos atrás. Na verdade, acho que jogos mais modernos precisam relembrar algumas coisas que funcionavam no passado e tentar trazer um pouco desse sentimento de volta. Às vezes, a única coisa que buscamos é um jogo em primeira pessoa com uma boa mecânica e liberdade para fazer tudo no seu tempo, sem muito script ou eventos apressando o seu combate.

Multiplayer

O sistema de buscar partidas, que permite buscar entre todos os Halo da Master Chief Collection, é genial, apesar de alguns dos jogos serem BEM diferentes. Então, se você consegue trocar o mindset rápido, essa é a melhor opção pra você.

Os modos não têm nada de novo a não ser as melhorias já citadas do jogo como um todo, mas funcionam super bem e trazem um sentimento diferente dos jogos de hoje em dia. O principal motivo disso é o fato de que os mapas são menores e de arena, sendo um mata e morre sem tanta frustração. O que me incomoda, e isso é bem particular, é o pulo sem gravidade da campanha presente no jogo, já que você vira um alvo fácil e lento quando está no ar. Outra coisa que pode incomodar jogadores mais modernos é que você deve prestar atenção em sua barra de escudo. Isso porque o alerta de que você está sob ataque não é tão claro como em alguns jogos atuais mais famosos. Em alguns modos essa barra nem existe, você simplesmente morre. Então, tenha isso me mente.

No todo, a adição de Halo 3 na lista de multiplayer de Halo: The Master Chief Collection chega para consolidar a busca por partidas, trazendo um jogo mais equilibrado, rápido e competitivo.

Um jogo que vem para justificar a compra da coleção

Halo 3 chega como um forte motivo para você pensar em adquirir/jogar Halo: The Master Chief Collection. O jogo possui uma campanha sólida, divertida e desafiadora em suas maiores dificuldades. O  título acaba nos empolgando para conhecer mais da história de uma das franquias mais amadas do mundo gamer.

As melhorias da versão são óbvias e trazem uma roupagem e performance moderna para um jogo com a jogabilidade clássica de um FPS da geração passada (quase retrasada). Isso traz uma nostalgia modernizada que dá gosto de jogar nos dias de hoje. Resumindo, estou ansioso para ver as próximas adições à coleção, assim como o novo Halo Infinite.

O futuro pode ser brilhante para Halo

Bruno Degering

Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.
Botão Voltar ao topo
Fechar