Preview: Project Cars 3 tem potencial, mas precisa melhorar

Jogo ainda precisa de melhorias importantes para ficar ótimo.

Graças a Bandai nós tivemos acesso a uma beta bem robusta de Project Cars 3, onde foi possível jogar uma grande parte do jogo – incluindo todos modos que estarão presentes no jogo, com exceção do modo online.

É importante frisar aqui, no início deste preview, duas coisas importantes. A primeira é que esse Beta que nos foi enviado, já conta com uma lista de melhorias incluindo bugs, iluminação e Inteligência Artificial, ou seja, a Bandai nos enviou uma cópia ciente de algum dos problemas e já está trabalhando para resolvê-los (assim espero).

O segundo aviso que darei é que: diferente dos primeiros dois jogos da série, Project Cars tenta mudar um pouco do seu core game extremamente focado em simulação. Ao incluir tanto conteúdo,investir em áreas como assistências e até uma boa dirigibilidade com o controle (não apenas com o volante), o jogo sofre com seus erros.

Vamos ao preview!

Interior do carro está um brinco, já fora dele…

Gráficos que não impressionam, mas não desagradam

O primeiro baque de praticamente qualquer jogo é sua aparência visual. Ao iniciar Project Cars 3, você é apresentado a uma linda e estilosa introdução. Após isso irá jogar uma primeira corrida e ter o jogo liberado para ser explorado.

Falando somente dentro da pista, o jogo entrega bem na parte visual. Os carros são detalhados, os cockpits estão legais e inclusive conta com duas câmeras internas onde uma é fixa e a segunda mexe a cabeça ao fazer as curvas dando uma maior sensação de imersão. Porém, quando começamos a analisar os detalhes, o jogo deixa a desejar.

A iluminação funciona bem na pista mas nos carros. Independente do material que você escolha, ele não se destaca na corrida como deveria. Muitas vezes parece que escolheram uma textura de plástico (lembrando o que aconteceu com o polêmico trailer de Halo Infinite). Outro ponto que me saltou aos olhos foi o reflexo do cenário no capô do carro. Temos aqui reflexos pixelados mesmo colocando nas configurações máximas nas opções de jogo.

Outro ponto que me saltou aos olhos, e acredito que seja um bug, é a chuva. Normalmente nos jogos modernos quando cai uma chuva, o reflexo fica lindo e tal cenário reflete no ambiente ao seu redor. Bem, em Project Cars 3 tenho que dizer que vi a pior chuva da vida. Mas estou convencido que isso seja um bug e que a Slightly Mad Studios irá resolver até o lançamento.

Indo adiante, algo um tanto curioso, é que existe uma opção de “gráficos do mundo”. Sabe a árvore fora da pista? Torcida? Prédios? É possível mudar a configuração de definição do cenário e eu nunca tinha visto algo do tipo até então. De qualquer forma, falta melhorar bastante essa parte externa para ajudar na imersão do mundo.

Uma nota muito positiva, é que o jogo (para PC) já vem devidamente preparado para receber todos os monitores possíveis incluindo 4K, Ultra Wide, 244Hz e até VR.

Existe um grande trabalho a ser feito pela Slightly Mad Studios na parte gráfica do jogo. O curioso é que eles foram adquiridos pela Codemasters. A Codemasters é a empresa que fez o maravilhoso Formula 1 2020 e que está fazendo o impressionante Dirt 5. Impressiona uma empresa do mesmo grupo está destoando do padrão de excelência.

Project Cars 3 mais arcade do que nunca

Como falei no início do preview, Project Cars 3 muda um pouco do seu core ao abraçar assistências que aumentam o sentimento de ser um jogo arcade.

Sai da frente que to passando

Dentro da pista nós poderemos acionar inúmeras assistências de freio, aceleração, estabilidade e etc. E não tema! Você que gosta de um jogo mais simulador basta desligar essas assistências e se aventurar pelo jogo. Nessa beta, o sistema de ajustes dos carros não estava ligado e consequentemente não pudemos testá-lo. Uma renovação em uma assistência clássica é a troca da tradicional linha para efetuar as curvas para ponto de frenagem, caminho ideal (Apex da curva) e aceleração. Isso é uma alteração simples, mas que funciona muito bem e deixa o jogo mais clean. Inclusive é possível deixar visível somente o ponto de frenagem inicial.

De todas as assistências, a única que não me agradou é a assistência de ajuda na hora de fazer a curva. O jogo pode te ajudar a acelerar, frear e também a fazer a curva? Acaba sendo um tanto confuso e você fica de co-piloto ao invés de piloto. Tanto a assistência na frenagem, de aceleração como nas curvas foram assistências que desliguei completamente para ter uma experiência melhor.

Ao jogar com o controle, eu tive uma experiência muito satisfatória. Só o fato de ser normal já é algo magnifico, pois tanto Project Cars 1 como o 2 sofriam com essa opção de dirigibilidade afastando os jogadores que não possuíam um volante. Agora, finalmente, é possível pegar um controle de Xbox One ou de PS4 e se divertir com o jogo!

Algo que me incomodou é que não há um sistema de colisão grave. Existe sim danos ao carros, mas são cosméticos. Você pode bater o quanto quiser e com a força que quiser que seu carro continuará sendo pilotado de forma igual. Valeria aqui eles se aproximarem de algo mais realista ou então copiarem Forza Motorsport que, a medida que vai batendo, sua suspensão e dirigibilidade vão sendo levemente alteradas.

Muitas opções de corrida

Um modo carreira completíssimo

Acho que nenhuma análise ou preview de Project Cars 3 estaria pronta sem uma análise profunda (conhecida por muitos como Deep Dive) em seu modo carreira e nas inúmeras novidades que o jogo traz. Inclusive, aqui tenho que disparar inúmeros elogios ao jogo.

O modo campanha é simplesmente massivo e me lembrou uma mescla entre Forza Motosport e os primeiros (e excelentes) Gran Turismo. Aqui simplesmente tudo que vá fazer vai lhe dar XP, inclusive perdendo as provas. Quanto mais limpo, mais ultrapassagens e melhor fizer as curvas, mais XP ganhará no fim da corrida.

Na campanha você terá inúmeras categorias saindo de Rua D até Rua A, Protótipos, quatro categorias de GT, uma opção de convidados e outra de bônus. Cada categoria conta com quatro campeonatos internos onde cada um tem quatro corridas. Ou seja, cada categoria conta com 24 pistas e o modo campanha conta com mais de 120 corridas para serem feitas.

E não pense que é somente entrar, correr e ganhar. Além de precisar ter o carro da classe específica, será necessário em cada pista completar até 3 desafios. Quantos mais desafios forem conquistados, mais corridas e categorias irá desbloquear. Ao conquistar vitórias, derrotas e objetivos, o jogo lhe dará XP e ao passar de nível ganhará dinheiro.

Meu precioso XP

E o que faz com esse dinheiro? É possível utilizá-lo em algumas situações. O primeiro, e mais inusitado, é comprar sua vaga nas competições ainda não desbloqueadas. Emperrou em um desafio e não consegue concluí-los? Não tem problema, compre sua vaga em uma competição e continue sua carreira. Você também pode comprar os maravilhosos e mais diversos carros que o jogo disponibiliza, além de pode comprar peças e deixá-lo cada vez mais rápido. Mas cuidado, caso faça muitos upgrades, ele irá subir de classe e não estará disponível para a classe atual. E sim, é possível fazer um downgrade para deixá-lo no limite entre as classes.

Além dos upgrades e downgrades, é possível customizá-los visualmente. De um lado o jogo apresenta muitas opções de cores e materiais, assim como tipos de numeração, placa, rodas e alguns adesivos. Porém, deixa a desejar em customizações mais livres para colocar algo escrito, uma marca externa ou então mudar peças específicas como capô, asa, saia e etc.

Infelizmente, algo que não vi foi o fato de você ganhar carros ao completar desafios. É muito comum nesses tipos de jogos você eventualmente ser presenteado com carros por algum evento ou nível. Isso agiliza o jogo e faz você acessar eventos específicos mais rapidamente. Isso não acontece em Project Cars 3.

Uma outra adição é o modo rival. Nele você poderá desafiar todos os corredores do mundo em pistas específicas durante períodos específicos e terá tentativas limitadas. Esses desafios irão te presentear em rankings mais elevados como lhe cederá o tão buscado XP.

Por fim, o menu do jogo está muito estiloso – um detalhe a ser notado.

Capota, mas não cai

IA, o calcanhar de Aquiles de Project Cars 3 e outros probleminhas

Chegando a parte final desse preview de Project Cars 3, tenho que pontuar algumas falhas, mas antes tenho que repetir o que falei no início desse preview: A Bandai está ciente de alguns problemas e está trabalhando neles, incluindo sua IA.

Dito isto, a IA está com um sério problema nesse beta. Independente do nível de agressividade que escolha os carros adversários serão MUITO agressivos. Agressivos de maneiras desnecessárias. Imagina estar em uma reta e alguém te tocar e fazendo você rodar? Te tocarem enquanto acelera, freia ou em qualquer situação? Isso está acontecendo e é muito frustrante. Sendo realista, isso atualmente está quebrando o jogo.

Com relação a jogabilidade, ela é boa, porém, os carros mais simples (Road E e D por exemplo), acabam saindo mais do que deveriam das pistas. Você acaba investindo mais tempo para não derrapar ao invés de pilotar corretamente. Quanto maior a categoria e melhor o carro, mais estável ele fica na pista o que é algo que faz todo sentido.

Por fim, algo que também me desmotivou foi o excesso de zelo ao ter que ficar dentro das pistas versus as punições obtidas. Em alguns momentos eu era jogado para fora da pista ou então derrapava e era punido. Isso se agrava nas corridas do modo campanha onde tinha que fazer uma volta completa sem nenhum deslize. E piorava quando eram desafios de 3 a 4 voltas sem sair da pista.

Ainda existe a necessidade de balancear o fator simulador, o qual o jogo é conhecido, com as novidades Arcade que ele traz.

Project Cars 3, fico animado ou preocupado?

Sendo muito sincero, se o jogo fosse lançado hoje eu falaria para esperar pelo menos uns 3 patches grandes de atualização. Muitas coisas tem que ser consertadas e isso está claro. Mas o jogo não está sendo lançado hoje!

Project Cars 3 será lançado, caso não seja atrasado, no dia 28 de Agosto para PS4, Xbox One e PC. Espero muito que todos os problemas relatados sejam resolvidos durante este mês ou então adiem o jogo para uma nova data e lancem perfeito.

Mesmo tendo muito problemas, eu me diverti muito jogando – mas isso era intercalado com diversos momentos de frustração. Se a Slightly Mad Studios conseguir corrigir os erros descritos, certamente teremos um grande jogo. Mas caso eles permaneçam, corram para as colinas!

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar