Análise: Blue Yeti Nano, o queridão dos criadores

Blue Yeti Nano é o preferido de alguns Youtubers e Streamers por ter a qualidade do Yeti grandão, com o adicional da portabilidade e preço mais baixo

A Blue trouxe para o Brasil sua linha de microfones não tem muito tempo. Em 2019, durante a BGS, a marca comprada pela Logitech em 2018, anunciou sua chegada em terras brasileiras com três modelos: Snow Ball, Yeti e Yeti Nano. Mas a fama da Blue já é antiga em outros países, principalmente nos Estados Unidos.

Se você abrir a Amazon americana, verá o Snow Ball sempre entre os mais recomendados na categoria de microfones, com o Yeti e Yeti Nano logo atrás por serem mais caros, porém todos com muitas referências e quase todas 5 estrelas. A qualidade dos produtos da Blue é indiscutível quando o assunto é microfones USB.

Pela primeira vez no Última Ficha tive a oportunidade de ficar por algumas semanas com um microfone topo de linha e dedicado, sem usar os microfones embutidos nos headsets. A experiência e a análise deste período você confere agora.

DESIGN

Vocês não fazem ideia como eu aprecio pedacinhos de tecnologia que prezam não somente pela qualidade da função que desempenham, mas também no design. O Blue Yeti é um destes dispositivos que além de ser focado na sua tarefa principal, preenche o ambiente com personalidade e sensação de qualidade aos olhares.

A inspiração é total no Yeti grandão, sendo literalmente uma versão pequena e um pouco mais limitada do mesmo. Sua base é construída em metal extremamente rígido, pesada, com base antiderrapante, contendo um pequeno espaçamento na parte inferior para passar o cabo, logotipo da Blue na parte de trás e dois ajustes que permitem deixar o Yeti Nano mais frouxo ou firme, podendo também retirá-lo da base para ser usado em um braço dedicado.

O condensador em si é bem sólido, com corpo no mesmo metal da base, com logotipo da Blue na parte frontal, um botão combo de ajuste de volume do headphone (falarei disso mais a frente) e interrupção da captura de áudio. Este botão possuí iluminação, que fica vermelha quando o áudio está interrompido e verde ao estar capturando normalmente. Na parte de trás temos outro botão, que serve para selecionar os perfis de áudio de captação: cardioide ou omnidirecional.

O pequeno notável é tão estiloso que ele vai dar um up na sua facecam, vídeos e também irá dar um visual bem legal na sua mesa, pois com esse design metalizado retrô ele destacará fácil em todos os ambientes. Finalizando, na parte debaixo temos duas entradas, uma micro USB para usar o cabo diretamente no PC, e outra de 3.5mm para você plugar algum headphone/headset diretamente no condensador para monitorar o seu uso em tempo real.

VERSATILIDADE

Este é um ponto onde o Yeti Nano brilha também. O microfone é extremamente versátil em dois aspectos bem diferentes: portabilidade e perfis de uso. Os perfis de uso já consagram fones mais antigos da Blue, que saem embarcados com diversos perfis diferentes de captação de áudio, mas no que tange portabilidade este é o campeão da marca.

Por ser pequeno, destacável do suporte e bem mais leve que o Yeti grande, o fone se torna um companheiro fiel de criadores de conteúdo de todos os tipos que precisam de um bom condensador on the go. Seja você um jornalista, influenciador, stramer, youtuber ou qualquer profissão ligada a criação que envolva captura de áudio ou áudio de vídeo, o Yeti Nano pode ser sua solução única para todas as situações. Seja em seu setup principal em sua casa, no quarto de hotel ou em um evento com diversas entrevistas a serem feitas. Ele cabe em qualquer situação.

Sendo uma versão mais simples e menor do Yeti grande, o Yeti Nano possui apenas dois perfis de captação de áudio. Porém eles são os perfis mais comuns para o público alvo, que são os criadores de conteúdo. O perfil cardioide é ideal para podcasts, streamings e conferências por Skyper, Zoom, Discord e outros aplicativos. Já o perfil omnidirecional é indicado para conferências, tipo ambientes de trabalho onde várias pessoas na mesma sala falam em posições diferentes, gravação de som ambiente, como numa praia e eventos musicais. Ainda é possível instalar o Yeti Nano em um tripé comum de câmera ou em um braço com o adaptador que vem incluso.

GRANDE QUALIDADE, NENHUMA COMPLEXIDADE

Além da qualidade dos microfones da Blue, outro ponto que faz a marca se destacar e ser muito procurada é a facilidade de uso de seus produtos. Essa facilidade é encontrada no Yeti Nano, onde um cabo micro USB para USB tipo A é suficiente para fazer toda a conexão do seu setup com o microfone. Feito isso você está pronto para fazer o que precisa, sem perdas.

Essa simplicidade atrai principalmente iniciantes e pessoas com grana mais curta, que não querem ter que ligar com dispositivos de conexão XLR, equipamentos profissionais e, principalmente, não querem desembolsar uma boa grana para tudo isso. Com o Yeti Nano é possível ter uma qualidade profissional, utilizando apenas uma conexão USB plug and play.

DESEMPENHO

Lembra que eu falei que o Yeti Nano dispensa uso de mesas de áudio, cabos especiais, conexão XLR e toda essa bagunça cara? Isso acontece pois ele possuí todo o processamento dentro do corpinho de metal, com output e monitoramento de áudio embutido. Isso é excelente pois elimina latência e te deixa pronto para competir a pé de igualdade com setups mais complexos.

Plugando o fone na USB do seu computador você já estará pronto para criar seu conteúdo. O máximo de configuração que você vai precisar é alterar o o nível de captação do microfone no seu painel do Windows. Caso queira uma facilidade ainda maior, e também uma interface mais amigável, poderá baixar e usar o Blue Sherpa para alterar este nível de captação. O Sherpa também ajuda para atualizar o firmware do aparelho.

Com o Yeti Nano em minha posse o uso foi o tempo todo no perfil cardioide, para streams, Discord e para gravar a vídeo análise em vídeo dele (assim que estiver disponível vai sair aqui no final desta análise). A facilidade de tirar o condensador da caixa, plugar e sair usando é única. Com um gesto simples você tem um produto com qualidade profissional à sua disposição.

Falando de termos técnicos, o Yeti Nano possuí resposta de frequência de 20Hz a 20kHz e amostragens de 24bits e 48kHz. Algo que peca um pouco no condensador é sua base, não pelo seu design ou construção, mas pelo tamanho. No irmão maior Yeti, que já é grande por si só, a base é consideravelmente maior. Desta forma bastava você apoiar o fone e a base em sua mesa que o ângulo de fala (conforme figura abaixo) ficava perfeito, pois base e fones eram bem grandes. No Nano isso não é possível, no meu caso ficando há uma distância de aproximadamente um palmo da minha cara. Nada que um braço para condensadores não resolva, ou alguns livros como suporte.

Somado a ausência de latência e a dificuldade de distorcer sua voz mesmo que você berre igual um lunático, temos um desempenho formidável. O som é limpo e cristalino, bem fidedigno a realidade e respeitando graves, agudos e médios. Alguns bons microfones embutidos em headsets acabam puxando mais pro grave, provavelmente devido ao ganho implementado nos mesmos, para torná-los mais audíveis. Isto não acontece no Yeti Nano.

No meu uso rotineiro, com a TV ligada há menos de um metro do fone e ventilador de teto bem em cima do condensador, notei que mesmo no perfil cardioide ele pega algum ruído externo. Felizmente com o RTX Voice foi possível matar este ruído sem ter que ficar diminuindo o nível de captação. Mas claro, se você quer produzir um conteúdo de qualidade tenha um ambiente silencioso, se possível com o mínimo de isolamento acusto. Não torre seu dinheiro em um produto premium para ser usado em um ambiente desfavorável.

CONCLUSÃO

Se você não é muito ligado nestes equipamentos mais premiuns pode se assustar com o preço. O Blue Yeti Nano chegou ao Brasil em 2019 por volta dos 700 reais, mas a falta de estoque nas principais lojas e o dólar acima dos R$5,50 na data de publicação desta análise, além é claro da pandemia do COVID-19, fizeram o preço passar facilmente dos 1200-1300 reais em algumas lojas. Até mesmo na gringa, onde ele era facilmente encontrado na casa dos 100 dólares, é possível encontrar valores inflacionados.

Logo, o preço será deixado de fora desta equação. Falando em qualidade de construção, design, usabilidade, versatilidade e qualidade de captação de áudio, o Yeti Nano é um produto que se destaca facilmente e é compreensível ser tão popular e tão cobiçado, principalmente por streamers.

Podendo ser levado em viagens, eventos, de um ambiente para o outro, usado em tripé de câmera, braço de condensador ou apoiado no pedestal, este excelente modelo é extremamente versável para aquelas que querem um coringa para todas as ocasiões. A Blue acertou em cheio criando uma versão menor do Yeti e focando nos perfis de captação mais utilizados na internet.

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: DIAMANTE

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo
Fechar