Análise: Marvel’s Avengers é uma assembleia de experiências

AVENGERS ASSEMBLE

Em 2017 a internet parou quando anunciaram a parceria entre a Marvel e Square Enix para a produção de um jogo dos Vingadores, fazendo todos começarem a pensar o que estaria por vir desta união. Com o passar dos anos tivemos a revelação completa de Marvel’s Avengers do qual gerou grande polêmica devido a estranheza do molde de seus personagens, uma vez que o grande público está acostumado com os atores dos filmes atuando nos papéis destes heróis somando com os modelos em fase inicial onde a Blackwidow, a grosso modo, lembrava o Lord Farquaad do Shrek. Felizmente durante o desenvolvimento inúmeros polimentos ocorreram e o jogo finalmente foi lançado.

A seguir falaremos mais sobre esse grande lançamento.

O trágico Dia A

Marvel’s Avengers já teve a introdução de sua história mostrada na beta (da qual foi um grande sucesso em números de downloads), contudo, muito conteúdo foi cortado para que o jogo real tivesse conteúdo inédito do começo ao fim. Deste modo, começamos a história na pele de Kamala Khan que é uma das finalistas do concurso de fanfics (histórias escritas por fãs) sobre os vingadores e está participando da comemoração do Dia A, onde teremos o entrosamento dos membros da equipe de heróis com a população e o anúncio do reator utilizando névoas terrígenas que foi descoberto pelo professor George Tarleton. Aqui temos um breve tutorial com as funções básicas e genéricas do jogo, enquanto acompanhamos a busca de Kamala por quadrinhos raros e seu encontro com cada herói.

Esse início é genial, pois a Kamala representa perfeitamente qualquer fã que pudesse estar ali. Os surtos de felicidade dela ou até mesmo como não saber agir adiante dos heróis mais poderosos da Terra em sua frente. Contudo, como “felicidade de pobre dura pouco”, temos a tragédia do Dia A, do qual explode o reator terrigena em meio a um ataque terrorista comandado por Taskmaster.

Consequências deste evento foram sem iguais, já que o Capitão América foi morto em ação, a cidade saiu extremamente danificada e muitas pessoas começaram a despertar poderes estranhos; este foi o surgimento dos inumanos.

5 anos se passaram e com isso não há mais Vingadores! A I.M.A. foi fundada por George junto da doutora Monica e agora comandamos a segurança do país e parcialmente do mundo em relação a atividades de inumanos, utilizando poderosos robôs para “manter a ordem”. Contudo, Kamala Khan descobriu um segredo abismal envolvendo o Dia A e George Tarleton e isso será a fagulha necessária para o retorno dos Vingadores.

Marvel's Avengers

Essa história pertence a um universo próprio deste jogo, podemos ver que pegaram referência tanto nos filmes quanto nos quadrinhos, uma vez que a equipe dos heróis é mais próxima daquilo que vimos nas telonas em seu primeiro filme (saudades Hawkeye). Por outro lado, os eventos e personalidades são puxadas para suas contrapartes dos quadrinhos mesmo possuindo algumas características das versões cinematográficas, criando uma identidade própria deste universo para cada personagem.

Dito isso, os eventos que ocorreram antes deste jogo também dão a entender que são mais baseados nas HQs, como a origem da Capitã Marvel (que não está presente na campanha, porém, por meio de diálogos já temos ideias relevantes sobre como é o background dela) ou Hank Pym, o primeiro homem formiga, ainda não ter encontrado seu sucessor e estar longe de ser um senhor de idade. Outro ponto forte vem a ser a expansão do universo, pegando várias citações que podem possibilitar a construção de novos jogos com outras equipes de heróis, mas interligando um aos outros como é o UCM. Quem sabe não façam existir um UGM?

Para concluir essa parte que ficou demasiadamente longa, devo bater palmas pela atuação dos personagens em especial da Kamala e do George, uma vez que o desenvolvimento de seus personagens foi muito bem escrita. Por mais que os outros tenham momentos épicos, aqui vemos uma construção de heroína e de vilão com ideologias que se confrontam do começo ao fim.

O trágico Dia A

Jogabilidade de Marvel’s Avengers é um show de insanidade

A jogabilidade é o ponto alto desde o momento em que a beta foi lançada e agora está melhor ainda, já que corrigiram boa parte dos problemas técnicos apresentados em seu teste. Infelizmente a queda de frame quando está cheio de inimigos e com muitas explosões de partículas ainda é algo que surge, mas com menor frequência.

Falando especificamente da jogabilidade, todos os personagens são bem distintos mesmo que alguns tenham suas semelhanças. Porém, ainda assim será bem singular. Por exemplo… Thor e Capitão tem habilidades que envolvam jogar a sua arma (mjolnir e escudo), entretanto, a forma de fazerem isso é algo mais próprio. O escudo retorna de automático e fica dando ricochete onde bate, enquanto o martelo vai e só volta ao receber o comando.

Cada personagens tem três habilidades únicas que variam entre dano e suporte. Por exemplo, a Blackwidow tem o L1 que faz todos os aliados ficarem invisíveis, enquanto o Hulk tem o L1 que esmaga os inimigos com uma corpada brutal, a Kamala por sua vez consegue curar os aliados e etc. A habilidade mais poderosa, conhecida por muitos como “ulti”, é a melhor forma de ganhar vantagem em batalhas difíceis onde normalmente transforma seu personagem ou causa um dano colossal em área.

A movimentação pelo mapa também é deveras singular, onde temos alguns que correm e fazem acrobacias no ar, outros voam e Hulk é o Hulk, isso basta.

Essas individualidades também fazem a diferença no desempenho em relação as missões, já que alguns personagens conseguem destruir obstáculos e outros não, enquanto outros conseguem lutar facilmente com inimigos que o ponto fraco é em locais muito altos e os outros tem que ficar brincando de frisbee para tentar acertar.

O que pode fazer com que o jogo fique meio enjoativo é a pouca opção de personagens jogáveis, já que temos apenas seis participantes. Provavelmente com as DLC’s que estão por vir a coisa fique mais variada.

Contudo, o gameplay traz algo um tanto frustrante: Não dá tempo de se recuperar de um ataque para já receber outro.

Ok, se fosse na vida real, a gente só iria tomar tudo e se ferrar. Não teria a “invencibilidade pós-dano”. Só que o jogo dá a entender que existe esse recurso, mas não o aplica. Vou explicar melhor. Um inimigo lhe causa dano, tem a animação de você sofrendo esse ataque e se recuperando (o ato de levantar ou firmar as pernas já que bambeou ao levar o ataque), o mais certo era durante essa animação não estarmos sujeitos a nenhum dano novo. Contudo, não é assim que funciona. Você tá se recuperando e sofre dano se outro ataque o atingir. Por conta da animação, você não consegue ter tempo de bloquear ou desviar, o deixando vulnerável invés de invulnerável. Ao menos isso tem ocorrido até a atualização 1.04 do Playstation 4, se você está em algum futuro próximo ou distante e lendo esse review… Espero que não encontre este problema em sua aventura.

Um herói bem equipado, é um herói feliz

Em Marvel’s Avengers, vemos como os equipamentos são importantes. Infelizmente eles não possuem uma “skin” ou façam influência real na história como vemos em Marvel’s Spider-Man, contudo, em questões de melhoria de personagem eles fazem total diferença.

Temos dois tipos diferentes de níveis: Nível de Herói e Nível de Poder.

  • O primeiro é o famigerado “level up” do personagem, é conquistado a medida que derrota inimigos ou realize ações que gerem experiências. A cada novo nível, você desbloqueia um ponto de habilidade do qual pode liberar uma nova habilidade para o seu vingador. As habilidades variam entre novos movimentos, extensões de combos ou melhorias em habilidades que já possuí.
  • O nível de poder, por sua vez, é uma média realizada de acordo com os seus equipamentos e nível de personagem. Cada equipamento lhe concede um aumento significante em status junto de alguma habilidade passiva como aumentar atordoamento ou resistência a gelo. Deste modo, tendo equipamentos melhores fará com que seu nível de poder seja mais elevado.

Os equipamentos são conquistados em recompensas de missões, em baús dentro das missões, lojas in-game e até em baús no Quimera que é o “lobby” do jogo. Inclusive, eles possuem raridade e sua raridade não influência apenas no acréscimo de status,  mas também no quanto aquele equipamento poderá ser aprimorado. Um raro pode ser aprimorado 5 vezes, enquanto um lendário pode ser aprimorado 10 vezes.

Marvel's Avengers

Marvel’s Avengers tem uma boa mescla de single-player e multi-player

O jogo dos heróis mais poderosos se destaca em dar liberdade de como o jogador deseja jogá-lo. No modo campanha, as missões de história são todas realizadas no single-player, sendo que você pode fazer as opcionais com o cooperativo online ligado.

Após terminar a campanha, uma nova opção no menu principal é liberada (na verdade, ela já estava liberada antes, só que o próprio jogo alerta que este não é o melhor momento para ela). Neste modo, você terá acesso ao Quimera pós-campanha, permitindo que realize as missões que não são de campanha a bel-prazer e se aventurar livremente entre elas seja com ou sem o cooperativo online.

Deste modo, se você quiser refazer a campanha, esta nova campanha não vai influenciar no seu desempenho ou status, apenas somando para aquilo que você já possuí. O que torna tudo mais interessante, devido aos níveis de dificuldades mais elevadas.

Marvel’s Avengers nos traz muitas experiências sejam boas ou ruins

Como dito no título desta análise, este game dos heróis mais poderosos da Terra é uma assembleia de experiências. Muitas são boas e outras nem tanto, como é o caso daquela que citei mais acima envolvendo a vulnerabilidade da animação de se recuperar. Mas vamos agora de falar de outras experiências que envolvem o game.

Algo muito forte em Vingadores no geral é a questão de equipe. Diferente dos X-men que surgiram para ser uma equipe, os integrantes deste time surgiram de forma solo, cada um com seus próprios inimigos e histórias e, em algum momento, eles se uniram com um intuito em familiar. O estúdio envolvido no game tomou a decisão certa em fazer algo mais focado no cooperativo mesmo com uma história que pode ser acessada de maneira linear/single-player, pois consegue dar aquele sentimento de “união” e ao mesmo tempo não obriga o jogador ter que jogar multiplayer para desfrutar do game.

Dito isso, o modo história de Marvel’s Avengers sempre vai alternando o foco entre os personagens onde cada um tem a sua importância e papel único para o desenvolvimento da história. Por mais que Kamala seja o elemento central da trama e o ponto de união entre os vingadores, todos são protagonistas de alguma parte da narrativa. Em especial na última missão em que todos são jogáveis em determinados pontos, o que torna a sensação de estar jogando um dos filmes do MCU.

Algo que também auxilia nesta torrente de acertos é a trilha sonora que está simplesmente sensacional. Onde a maior parte é composta por música instrumental épica digna de heróis, outra parte temos músicas cantadas que empolgam ainda mais o momento. Por exemplo, voar numa missão insana com o Iron Man, enquanto escuta Iron Maiden. É surreal!

Por mais que esse redator que vos fala seja fã de quadrinhos, ele está longe de ser alguém que passará pano aos Vingadores (X-men na veia! \,,,/), obviamente devo informar das experiências negativas que o jogo pode trazer.

Marvel's Avengers

Updates, updates everywhere

Sim, meus amigos, o jogo aparentemente terá inúmeros updates para consertar inúmeros problemas. Durante a minha jogatina pude me deparar com falhas que não dá pra ignorar de tão escancaradas que estavam. Em primeiro lugar é a falha na renderização de algumas peças de roupas, em especial da Monica Rappaccini. É muito bizarro em alguns momentos vermos o rosto dela perfeitinho, mas os detalhes da roupa com texturas dignas do Playstation 1.

Tela infinita de loading: O pior dos problemas que pode acontecer e que até o momento não há uma solução exata. Você inicia a opção de campanha e simplesmente o jogo fica num loading eterno, alguns casos resolveram ao reinstalar o game.

Antes da atualização da lançamento ocorreu da Kamala ficar careca numa das cenas iniciais, mas felizmente já corrigiram isso.

Fora isso, Marvel’s Avengers apresenta alguns bugs mais simples como o braço da Kamala em meio da partida não voltar ao normal e ficar algo extremamente esticado e hilário.

Particularmente como fã algo que me incomodou foram as skins que possuem mudanças mínimas e várias versões com cores diferentes, mas com nomes que parecem que são algo de outro mundo. Cada herói tem N versões alternativas de seus uniformes e agora vemos apenas 4 mudanças reais entre 20 ou mais skins. O Iron Man tem inúmeras armaduras, mas mudanças que vemos é somente em suas cores, tirando a versão protótipo e a versão improvisada… De resto é a mesma armadura com coloração diferente! Senti algo familiar aos uniformes variados do Homem-Aranha em Marvel’s Spider-Man.

Conclusão de Marvel’s Avengers

Temos aqui um ótimo jogo e com muitos acertos, contudo, não tem como ignorar o fato que aparentemente ele foi lançado antes de estar 100%.

Se você comprá-lo/jogá-lo terá grande divertimento, acompanhará uma boa história e poderá ter partidas sensacionais no cooperativo com os seus amigos. E, claro, ser parte da maior equipe de heróis. Contudo, deverá se preparar para algum erro ou outra. Coisas pequenas que acabam sendo notadas, mas que não estragam a sua aventura… A menos que não sofra com o loading infinito.

Inclusive, faz jus aos filmes da empresa e colocaram duas cenas pós-créditos em Marvel’s Avengers.

Menção honrosa: A dublagem pt-br é feita pelos mesmos dubladores do filme que alteraram levemente o tom de voz para combinar melhor com as novas aparências. O trabalho final simplesmente sensacional. Esses profissionais estão de parabéns!

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Marvel's Avengers é um grande título cooperativo ficará melhor com o tempo

Visual, ambientação e gráficos - 8.5
Jogabilidade - 8.5
Diversão - 9
Áudio e trilha-sonora - 10
Narrativa - 10

9.2

Excelente

Marvel's Avengers não é um jogo perfeito, mas consegue cumprir o combinado. Contudo, ele escorrega em algumas coisas, enquanto acerta muito bem em outras. É inevitável que vai vir várias atualizações dele e o jogo terá uma constante evolução, o que poderá torná-lo diferente do que entramos em contato agora.

User Rating: Be the first one !

Anderson Mussulino

Publicitário louco por toda a cultura geek. Redator do Última Ficha e apaixonado por jogos que vem da terra do sol nascente.
Botão Voltar ao topo
Fechar