Kingston dá dicas para aprimorar a experiência no Flight Simulator

Simulador de voos para PC tem alta fidelidade gráfica e pode ser ainda mais realista com as memórias e SSDs corretos

Via de regra, uma experiência em simulador deve oferecer ao usuário uma imersão mais próxima à realidade, e um ponto fundamental para que isso aconteça está ligado à tecnologia utilizada. Em agosto, chegou ao mercado o Microsoft Flight Simulator (confira nossa análise!), nova versão do simulador de voo da Microsoft para PCs que permite ao jogador viajar por mais de 37 mil aeroportos e 2 milhões de cidades com diferentes aeronaves e condições climáticas. Mesmo oferecendo altíssimo nível de realismo em seus gráficos, o jogo só entregará máxima performance se estiver rodando em um computador preparado. Para garantir que as condições sejam as ideais, Iuri Santos, gerente de tecnologia da Kingston, preparou algumas dicas:

  1. Carregar o mapa do mundo inteiro e renderizar em 3D não é uma tarefa fácil até mesmo para computadores modernos. De maneira geral, durante o gameplay em modo single player, o consumo de RAM pode oscilar entre 9 e 15GB, por isso, ter 32GB de RAM é o ideal para manter o mundo virtual ao redor do avião sempre carregado em detalhes para uma experiência ainda mais imersiva. Tanto a Kingston quanto a HyperX oferecem memórias RAM de 32GB, em versões individuais ou kits de 2 a 4 módulos.
  2. Configurações menores de RAM, como 16GB, que inclusive é considerada a recomendada pela Microsoft, podem acabar trabalhando no limite e não entregando o resultado esperado. Por padrão, o jogo já cria automaticamente um cache (um depósito de informações que podem ser acessadas a qualquer momento pelo programa) de 8GB, limitando o potencial de processamento da memória. Sendo assim, para um melhor resultado é primordial que o usuário utilize memórias idênticas (dual channel) com as mesmas capacidades de armazenamento, seja para 8GB, 16GB ou 32GB. A experiência será ainda melhor se a frequência desses componentes for a maior possível entre as compatíveis com o sistema operacional em uso.
  3. Outra dica é apostar em um bom SSD (unidade de estado sólido). Como o jogo faz uso intenso de informações baixadas e processadas em tempo real, um SSD veloz ajuda a acessar com maior agilidade o cache e diminui os tempos de carregamento do jogo. Isso porque a memória RAM é demandada à medida que o processador inicia o trabalho de simulação, deixando para o SSD a tarefa de alimentar todo o sistema, que exige cerca de 150GB disponíveis para instalação e operação. A recomendação, neste caso, é por um SSD Kingston (A2000, KC2000 ou KC2500) combinado com 32GB de memória RAM.
  4. Internet banda larga é essencial para o Flight Simulator. Não só para instalar o jogo, mas para baixar todas as informações que o jogo acessa em tempo real, como as condições climáticas do lugar que está sendo sobrevoado. Esse tipo de dado dá à experiência um realismo fenomenal.
  5. Jogos de simulação de voo demandam muito de todo o computador, pois fazem uso dos recursos disponíveis e apresentam grande qualidade visual e sonora em configurações intermediárias. Existem muitas opções de customização da qualidade do jogo e isso pode ser adaptado para que máquinas diferentes rodem o game de modo satisfatório.

Curtiu? Aproveita e dá um confere no site oficial da Kingston: http://www.kingston.com

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Nogueira une estas duas formações para administrar de forma única suas skills em jogos de tiro, adquiridas em anos jogados fora jogando The Duel. Além da supremacia em jogos de tiro, Nogueira é fã de jogos com história bem trabalhada e tem no sangue as habilidades de Dominic Toretto para jogos de corrida.
Botão Voltar ao topo
Fechar