Análise: Inertial Drift diverte mas poderia ser melhor

Jogo apresenta um mundo bem interessante, mas erros tiram seu destaque.

Inertial Drift é um jogo arcade de corrida focado na arte de drift. Algo que é inevitável é a comparação com o anime/manga chamado de Initial D onde é completamente dedicado a arte do drift. Como a franquia não apresentou nenhum jogo nesta geração, Inertial Drift acaba atraindo a atenção para os fãs do estilo. Mas será que ele faz jus a franquia?

Inertial Drift: Belos gráficos, mas uma história muito fraca

A primeira impressão do jogo é extremamente positiva, inclusive fui surpreendido ao ver que o jogo possui um modo história com diversos personagens.

Infelizmente, esse modo história fica bem aquém se comparado a sua inspiração, Initial D. Aqui você deverá escolher um dos personagens de um grupo de amigos onde cada um apresenta uma dificuldade específica na hora de controlar o carro.

As pistas são bem variadas no geral e a cada capítulo da história contará com 3 desafios. E foi aí que a história não me encantou e sendo sincero, me deixou entediado. É todo mundo muito feliz, alegre e nada acontece. O grupo sem chega em uma nova pista/região, alguém legal aparece e convida você a correr e alguma pessoa quer te mostrar como é a pista e pede para seguir ele. Não existe drama, reviravoltas e nada. Somente é um grupo de gente legal encontrando outras pessoas legais e fazendo corridas divertidas.

Nesses três desafios você normalmente iniciará correndo contra um fantasma que irá lhe mostrar um traçado da pista. Depois correrá ou contra outro fantasma ou um desafio que não seja a corrida final. Por fim, a última corrida será o desafio final. Em diversos casos não há a necessidade de ganhar, afinal você está aprendendo.

Felizmente o jogo é de corrida e nessa parte as pistas são bem variadas e bem feitas no geral. Elas seguem um estilo neon retro e variam entre pistas mais largas, como uma grande avenida, e ruas mais apertadas como dirigir por uma montanha.

Um gameplay diferente e divertido

Embora não seja um estilo com muitos representantes no mercado de jogos, o Drift está presente em inúmeros jogos, nem que seja um modo específico. Para o carro deslizar melhor, ajustes são feitos e o carro tem uma tendência a sair de bunda enquanto você o controla com a aceleração. Curiosamente, Inertial Drift muda o que já conhecemos e acrescente uma nova e inusitada mecânica.

Ao jogar você utilizará o segundo analógico. Isso traz algo bem positivo, como algo que não gostei. A parte positiva é que ao utilizar o segundo analógico o drift funciona bem e ao apertar o freio, é possível fazer uma mudança brusca de direção de um lado para o outro. A curva de aprendizagem se torna elevada por que cada corro é dirigido de uma maneira, mas quando se acostuma o jogo funciona muito bem.

Já o que não gostei é que o jogo te obriga a fazer drift em todas as situações. Com isso, seu carro parece um tanque se for tentar fazer uma curva normal ou simplesmente ajustar dentro da pista. Entendo e concordo em dar prioridade para o drift, mas te forçar a usar em toda situação acaba sendo um exagero.

Modos e trilha sonora

Eu falei do modo história do jogo, mas ele não se limita a isso. Existem diversos modos como Arcade, Grand Prix, Tela dividida, Online e desafios. No geral, por ser um jogo de corrida, os modos acabam sendo muito similares. Você sempre estará correndo contra o relógio ou contra alguém.

Esses modos fazem com que possa escolher as pistas e os desafios que tem mais interesse. Além disso, existem diversos carros a serem desbloqueados ao ganhar os desafios e concluir o modo história e os outros modos. Isso ajuda com a sobrevida do jogo.

Por fim existe a trilha-sonora que não prejudica, mas também não empolga muito. Ela tem uma pegada eletrônica, mas muito mais voltada para um lounge. Quem conhece a franquia Initial D está familiarizado com as músicas que vem do gênero Eurobeat que são extremamente animadores. Afinal, quem nunca pirou ao som de Deja vu? Infelizmente aqui não ficaremos empolgados com as músicas.

Inertial Drift vale a pena para os fãs

No geral Inertial Drift acerta e irá agradar principalmente os fãs do gênero de drift. Com muitas opções de modos e diversos carros que tem um dirigibilidade bem diferente, é possível investir horas de jogo para masterizar cada carro e pista. Aliado a uma boa quantidade de conteúdo, o jogo possui gráficos muito legais que encaixam em sua proposta.

Infelizmente a tentativa de colocar um modo história foi um tiro que saiu pela culatra e como mencionei acima, todos são “felizes demais” e nada de interessante acontece. Além disso, a parte sonora poderia ter sido melhor trabalhada com músicas mais empolgantes, mas não é nada que compromete. Apenas não se destaca.

Inertial Drift foi produzido pela PQube e já está disponível para PS4, Xbox One, Nintendo Switch e PC via Steam.

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Inertial Drift é para os fãs do gênero

Visual, ambientação e gráficos - 8
Jogabilidade - 7.5
Diversão - 7.5
Áudio e trilha-sonora - 5.5

7.1

Bom

Inertial Drift traz gráficos agradáveis além de muitas opções de modos e corridas para o jogo. Aliado a isso implementa uma nova forma de dirigir para o estilo, que acaba funcionando bem. Infelizmente, a trilha sonora falha em se destacar e o modo história apresentado é fraquíssimo. Mesmo assim, o jogo irá agradar aos fãs da arte do drift.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo
Fechar