Análise: Pokémon Sword & Shield: The Crown Tundra

Bem melhor que Isle of Armor!

The Crown Tundra é a segunda expansão de Pokémon Sword & Shield e vem como uma adição mais profunda do que a anterior, Isle of Armor, e ainda com o apelo de trazer de volta um grande número de Pokémon lendários disponíveis para captura.

O Crown Tundra é composto por uma nova área aberta cheia de Pokémon lendários e um monte de outros Pokémon que fazem seu retorno a série, como o Zubat, Dragonite, Jinx e muitos outros! Uma grande motivação para a galera mais raiz da série Pokémon, já que a expansão adiciona mais de 70 Pokémon além dos lendários.

A História e Ambientação de The Crown Trunda

Um dos maiores pontos altos de The Crown Tundra é a sensação de nova aventura pelo tempo que joguei a DLC. Isle of Armor parecia um tanto quanto burocrático e mecânico. Porém, aqui, temos uma história mais trabalhada do que a DLC anterior (por mais que ainda seja algo nível Pokémon que estamos acostumados e tantos criticam). Se aventurar por meio a um novo ambiente, uma montanha de gelo, encontrar velhos Pokémon conhecidos é muito mais divertido que a ideia anterior.

O plot de The Crown Tundra centra-se em Calyrex, um Pokémon do tipo psíquico / grama com o curioso e perturbador poder de controlar humanos (o que me lembrou um pouco a personalidade de Mew Two). Calyrex perde esses poderes e vaga pelo mundo como uma divindade esquecida por gerações. Por algum motivo, você cai de paraquedas no meio disso e é encarregado de reunir Calyrex com seu corcel perdido e restaurá-lo à sua antiga glória. 

Para isso, você deve caçar os Pokémon lendários, ajudando Calyrex, e também passará muito tempo com Peony, um ex-líder de ginásio, motivado por aventuras que serve como um parceiro durante a jornada. O núcleo de Peony com sua filha tem diálogos interessantes mas parece meio subutilizado, faltou uma metáfora ou dica estilo “He-Man” para justificar tais conversas e a relação entre pai, filha e o mundo Pokémon.

Como era de se esperar, não venha procurando um maior polimento para o jogo ou mudanças na jogabilidade. The Crown Tundra é uma expansão de conteúdo e nunca foi prometido melhorias de performance ou jogabilidade, por mais que algumas fossem bem vindas para o game.

Jogabilidade

O design de objetivos e missões foi pensado para deixar os jogadores mais livres durante sua aventura em Crown Tundra. Aqui você poderá perseguir os lendários na ordem que escolher. Além da missão principal, existem algumas expedições lendárias que serão responsáveis ​​pela maior parte do seu tempo nesta expansão, como caçar Moltres, Articuno e Zapdos (todos em sua versão de Galar). O jogo também conta com pequenas pistas escondidas para achar outros Pokémon Lendários que não citados tão claramente na história. Procurar estes nos dá uma sensação de conquista que estava fazendo falta a série.

Hoje em dia tudo pode ser decifrado pela internet, mas deixo aqui uma dica de fazer essas missões sem recorrer à bengalas digitais. A graça de pegar estes lendários e raros bichinhos de bolso, está ligado a aventura para encontrá-los. Se você pular essa parte, sobrará apenas a sensação de ter mais um Pokémon daquele tipo em sua box. (E sim, eu zero Pokémon sem olhar nada na internet, fica aqui a dica, inclusive)

Esta fórmula mais flexível combina perfeitamente com o conceito de área selvagem de mundo aberto, garantindo uma maior sensação de exploração do que se poderia esperar de Pokémon e do que os reais fãs da série buscam em títulos perfeitos que imaginam.

Dynamax Adventures e Galarian Star Tournament

Um outro ponto alto de The Crown Tundra é a Dynamax Adventures, um novo modo de jogo roguelike / survivor de jogos de luta. Este modo atua como um Boss Rush Mode para as Max Raid Battles do jogo base. O jogo atribui aleatoriamente um Pokémon para você usar ao lado de três jogadores de equipe online (ou IA se jogar sozinho) e tem que lutar em uma série de batalhas Dynamax. A cada batalha você terá oportunidade de trocar e atualizar seu Pokémon conforme você avança. No final de cada Run com sucesso, Pokémon lendário estará esperando, você poderá capturá-lo caso vença – aqui a chance de captura é de 100%.

Aqui temos um modo para aqueles que buscavam algo mais hardcore para Pokémon, já que você deve se virar com o que tem para chegar até seu objetivo lendário. Sua esquipe só pode desmaiar 4 vezes durante a run, então jogue de maneira inteligente e, de preferência, com amigos para deixar tudo mais engajado.

Já a Galarian Star Tournament, não tem o mesmo brilho e novidade do modo anterior. Aqui temos um modo que coloca você e um companheiro de equipe NPC da história de Sword and Shield contra duplas opostas em uma série de lutas competitivas, no estilo da Liga. Porém, não há um grande incentivo para gastar muito tempo aqui. São lutas de Pokémon como estamos acostumados.

The Crown Tundra vale a pena!

The Crown Tundra é realmente uma boa adição ao jogos base de Pokémon Sword & Shield. A área adicional é super interessante e se conecta perfeitamente ao jogo. As adições de antigos Pokémon são muito bem vindas mas ainda não foram todos adicionados e isso pode gerar um incomodo para alguns jogadores. Principalmente se seu favorito ainda não está por aqui.

Apesar de ter uma história mais digna da série, essa não é nada surpreendente e nos deixa com a sensação de que poderia ser algo maior e mais profundo. Porém, tudo isso é compensado com o novo modo Dynamax Adventures e com a caçada de Pokémon lendários através de segredos. Mesclando o jeito clássico de encontrá-los e o jeito mais moderno, que foi sendo alterado ao longos desses vários anos.

Lembrando que tanto o jogo base como sua expansão está disponível na eshop brasileira.

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

The Crown Tundra

Ambientação e História - 7.5
Conteúdo Adicional - 8
Diversão - 8

7.8

Bom!

The Crown Tundra salva o pacote de expansão de Pokémon Sword & Shield. Trazendo um novo modo de jogo de qualidade, mais de Pokémon e uma bela caçada aos lendários. Como sempre é muito difícil agradar a todos, mas não deixa de ser uma adição muito melhor do que sua DLC anterior.

User Rating: 4.6 ( 1 votes)

Bruno Degering

Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.
Botão Voltar ao topo