Análise: Immortals Fenyx Rising – Mitos do Reino Oriental

O Ubisoft fez o que God of War demorou muitos anos! (to brincando... mais ou menos)

Que Immortals Fenyx Rising é um ótimo jogo você já deve saber… Não sabe? Clique aqui agora mesmo e confira nossa análise do jogo base, porque aqui vamos falar da segunda DLC de sua Season Pass: Mitos do Reino Oriental!

Essa análise e nossos gameplays só foram possíveis graças a um código cedido pela Ubisoft, a qual agradecemos a parceria e oportunidade.

Mitos do Reino Oriental traz uma nova história em um mesmo esqueleto

Mitos do Reino Oriental foi produzido em parceria com a Ubisoft Chengdu (um studio chinês da Ubisoft) e, não por acaso, o jogo traz uma mudança no enredo levando os jogadores direto para a mitologia chinesa.

Aqui temos a aventura de Ku, um herói completamente novo, com suas ambições, dilemas e busca para trazer a paz de volta para seu reino e para Tian – uma concepção de céu na mitologia chinesa. Ku acorda e vê toda sua aldeia e amigos transformados em pedra, bilhetes foram espalhados dando ao jogador pequenos detalhes dos acontecimentos logo antes do despertar de seu herói.

Uma das coisas que chamam mais atenção logo que o jogo começa é sua bela paisagem. Assim como no jogo base e na DLC anterior, Mitos do Reino Oriental esbanja beleza em um cenário muito bem distribuído e colorido. Os detalhes orientais em casas, árvores, cachoeiras e monumentos trazem um contexto muito único e um ar novo para os antigos jogadores de Immortals Fenyx Rising.

A dublagem continua excelente, assim como sua trilha e efeitos sonoros. Tudo está no nível do jogo base, agora teletransportado para um enredo completamente diferente em seu ritmo e Deuses presentes no jogo. Além de novas divindades, temos novas histórias, dragões e o humor com tom acertado que a nova IP da Ubisoft nos apresentou.

Mas se você estava atrás de mais novidades elas meio que param por aí… Assim como no jogo original, você terá padrões de ataque que lembram muito o jogo base (espada e machado), poderes com novas animações mas que podem ser usados para os mesmos fins e situações, além de um mapa cheio de colecionáveis, minérios, baús e puzzles para serem conquistados!

O mesmo acontece para alguns dos vários inimigo espalhados pelo mapa. Apesar de a modelagem mudar um pouco, acho que faltou ser um pouco mais ousado nesse ponto. Acho que não seria tão trabalhoso mudar ainda mais os soldados, por mais que seus padrões de ataque não fossem alterados.

Mitos do Reino Oriental vale a pena?

Cada DLC anunciada até agora parece ter um propósito diferente: “Um Novo Deus” traz mais desafios de gameplay e mecânicas de puzzles para colocar tudo que o jogador aprendeu à prova. Enquanto “Mitos do Reino Oriental” coloca o jogador um novo local, com as mecânicas já conhecidas, apresentando um enredo completamente novo para o herói, Ku. Trazendo mais histórias e lore para aqueles que ficaram fascinados pelo jogo base.

Porém, a experiência se apega muito a esse objetivo. Colocar a mesma jogabilidade em uma situação diferente é algo que a Ubisoft fez muito bem com as DLCs de Far Cry 5 (como aquela em Marte) e aqui ela parece repetir esse feito e acerta em cheio em seu objetivo.

Mitos do Reino Oriental é o teste, e a prova, de que a mecânica criada em Immortals Fenyx Rising funciona em qualquer enredo, situação ou crença. Por mais que muita coisa seja reaproveitada, a DLC é super divertida!

Se você estava atrás de mais histórias, ama a cultura chinesa, ou oriental como um todo, e simplesmente terminou o jogo base querendo mais: chegou a hora de você adquirir o Season Pass.

Mas se você está atrás de algo realmente diferente do visto em Immortals Fenyx Rising, talvez seu momento ainda não tenha chegado.

Normalmente esse momento nem chegaria, já que estamos falando de uma expansão, porém, já sabemos que a terceira DLC trará uma um diferencial, uma nova mecânica com câmera isométrica (vista de cima) e, com isso, uma experiência completamente diferente! Fique de olho em “Os Deuses Perdidos”.

Immortals Fenyx Rising e Mitos do Reino Oriental já está disponível para PS5, PS4, Xbox One, Xbox Series, PC e Nintendo Switch.

Bruno Degering

Gamer há tanto tempo que usa consoles como referência cronológica para lembranças de sua vida. Amante de Mega Man, Resident Evil e Warcraft. Se gaba por ter zerado Battletoads aos 9 anos mas abandonou Bloodborne com 26.
Botão Voltar ao topo