Preview: Dice Legacy, um jogo de tabuleiro difícil e único

Um dice game que consegue ser difícil e prazeroso.

Recebemos de sua produtora um código de acesso antecipado de Dice Legacy, um jogo que mistura estratégia, administração e tabuleiro em um mundo circular repleto de perigos e desafios, vamos conferir o seu preview.

Ele está em desenvolvimento pela DESTINYbit e será distribuído pela Ravenscourt, seu lançamento está previsto para o dia 9 de setembro de 2021, e estará disponível para Nintendo Switch e PC (Steam, GOG, Epic Store).

O game já se encontra traduzido para PT-BR. Vamos ao Preview de Dice Legacy?

Leia Mais:

O “Ring World” de Dice Legacy

Em Dice Legacy, jogamos com um líder que tem como missão sobreviver e explorar um mundo em formato de anel – usarei o termo Ring World por soar mais agradável. Você chega em um navio nessa terra desconhecida e precisa guiar sua população entre coletar matéria prima, produzir produtos, se defender de invasores, praticar diplomacia expandir seu território entre outras coisas, e o pior, precisamos fazer isso tudo a tempo de sobrevivermos o inverno.

É tanta coisa necessária ser feita ao mesmo tempo que, de início, tive que recomeçar a partida algumas vezes. Encontrar o equilíbrio entre tantas tarefas chega a parecer algo impossível, e é exatamente onde mora a diversão de Dice Legacy.

Bonito, mas limitado

Visualmente, o game não apresenta gráficos de última geração, mas não deixa de ser bonito. Seu cenário é todo em 3D com uma câmera fixa que acompanha o mapa do mundo e é possível ver as “bordas” desse universo, mostrando um espaço colorido de plano de fundo, mas ela acaba se tornando seu ponto fraco. Imagine o ponto de vista de um hamster em sua rodinha, é basicamente isso que vemos aqui, não é possível dar um zoom nos objetos, para vermos mais detalhes, e nem mover a câmera para os lados. Esse último chega a ser um problema real, gerando uma pequena dificuldade em observarmos melhor as construções e os matérias disponíveis nos cantos das telas pois, além das limitações da câmera, também existem botões e informações do nosso HUD em sua frente.

Um estilo de jogo difícil e inovador

Como mencionado, o game conta com um inovador sistema aonde não produzimos os aldeões e os colocamos para trabalhar em funções específicas, o que produzidos aqui são dados de seis lados, cada um deles possui alguma função que é representada por símbolos como espadas, martelos, engrenagens entre outros.

Esses símbolos indicam quais trabalhos ele poderá ser aplicado – seja coletar recursos ou construir alguma estrutura – e, ao o colocarmos o dado no local destinado, um timer aparece indicando quanto tempo levará para que ele o conclua. Após isso, o dado ficará inativo, sendo necessário rola-lo para que possa utiliza-lo novamente.

Todos esses dados possuem pontos de vida que são gastos em cada rolagem e ação executada e, se chegado a zero nós o perderemos e será necessário produzir outro. Para evitar isso, precisamos alimentar os mesmos em uma cantina utilizando recursos que coletamos do mapa.

O mapa possui um fog of war que precisamos abrir com uma construção específica para encontrarmos mais recursos, tudo isso precisa ser feito com o máximo de cautela e velocidade possível pois o tempo varia entre verão e inverno e, com a chegada do último, nossas fazendas não funcionarão mais e cada utilização dos dados possui uma chance – que aumenta conforme o inverno avança – de congelá-los, tornando se inúteis até que a volta do verão ou que tratemos – o que envolverá tempo e recurso e que, ainda assim, não impedirá que ele congele novamente.

Isso é só a ponta do iceberg dos desafios que enfrentamos durante o preview de Dice Legacy, são tantas propostas que precisaria escrever um pequeno livro para conseguir definir tudo. Em resumo, ainda teremos que lidar com invasores, decidir como lidar com as vilas locais – seja através da brutalidade ou da diplomacia, realizar pesquisas, lidar com a satisfação da população, evoluir dados e muito mais. Foi necessário bastante tempo de gameplay para aprender e apreciar tudo que o jogo tem para oferecer.

Trilha sonora agradável e que traz uma falsa sensação de tranquilidade

O game possui uma trilha sonora com estilo medieval que combina muito com a temática apresentada. Embora se agite em alguns momentos mais tensos, ela é mais agradável do que animada, uma excelente opção para relaxar em uma tarde chuvosa de domingo, so que em Dice Legacy, relaxar significa Game Over (rs).

Brincadeiras a parte, a trilha do game me agradou bastante, fazendo com que eu curta o cenário ainda mais, o único ponto que achei mais fraco – embora não seja ruim – fica em alguns de seus efeitos sonoros, como quando acontece um ataque ou quando os dados concluem suas tarefas, é um som morno e até mesmo meio apagado e cheguei, até mesmo a não perceber devido a concentração em outras tarefas.

Isso pode ser facilmente resolvido com um som mais marcante ou com uma mensagem visual, seja uma pequena caixinha de texto no canto da tela ou até mesmo um aviso maior e rápido, para que possamos nos atentar a alguns momentos com mais facilidade, mas, é possível que isso seja um toque muito mais pessoal do que uma necessidade real do jogo.

O bom, o difícil e o complicado

Durante nosso acesso a versão de preview de Dice Legacy, percebemos que ele é um daqueles jogos que pode criar uma nova tendência, seu visual carismático e sua trilha sonora da uma falsa sensação de conforto, mas não podemos cair em tentação. Relaxar, aqui, é derrota certa, pois aqui, o mundo será implacável com você. Administrar seus dados e recursos vai se provar um desafio enorme, além de procurar equilíbrio entre a população, uma das últimas vezes que senti tamanha dificuldade em administrar tantos pontos foi em Darkest Dungeon, mas não se enganem, se você for do tipo que curte esse tipo de dificuldade, vai encontrar uma enorme satisfação em explorar o “Ring World” de Dice Legacy.

Como nada são flores, sinto que ainda falta um equilíbrio entre a quantidade de ataques e a quantidade de recursos que adquirimos, o que gera um desbalanço ao avançarmos na partida e até mesmo frustração. Também seria interessante, como já mencionado, a possibilidade de movimentar a câmera lateralmente assim como um timer e notificações visuais, indicando o que nossos dados estão fazendo assim como o tempo restante. Mas, ainda assim, admito estar ansioso para ver o produto final, onde teremos mais cenários disponíveis e mais opções de dados.

Guilherme Segal

Apaixonado por games desde o Atari. Curte tanto PC que possui quase 800 jogos na Steam. Mas ainda acha que os games de hoje em dia não possuem o mesmo charme dos antigos, motivo pelo qual ainda joga Heroes of Might and Magic 2 até hoje.
Botão Voltar ao topo