Análise: Monitor Acer Nitro XF273 (IPS 240Hz-280Hz)

O XF273 possui 240Hz (com 280Hz em overclock), FreeSync Premium (G-Sync funciona), 0,5ms de tempo de resposta e resolução 1920x1080 em um painel de 27 polegadas IPS

Não demorou a termos a segunda análise de um monitor com foco para jogos aqui no Última Ficha. Desta vez, um modelo da linha Nitro, o Acer Nitro XF273, que possui como destaque em seus materiais publicitários tela IPS de 240-280Hz (via overclock), 0,5ms, FreeSync Premium (já adianto que pega G-Sync), 400nits e 27 polegadas.

Comparações com o Predator XB3, primeiro analisado aqui, e o Alienware de meu uso pessoal, serão comuns durante a análise. Existir algo com características semelhantes para poder argumentar certos pontos é sempre bom. Falando no Predator XB3, você não leu ou viu nossa análise? Confira abaixo o texto completo e nossa vídeo análise:

Análise: Monitor Predator XB253Q (IPS 240Hz G-Sync)

Mas o que todos querem saber é se este monitor, que leva a marca Nitro e possuí caraterísticas de monitores topo de linha, é tudo isso mesmo, é muito marketing e se vale o preço ou se é furada, certo? Vamos ponto a ponto te contar!

Esta análise e os vídeos produzidos em nosso Youtube, só foram possíveis graças a uma unidade para review cedida gentilmente por empréstimo pela Acer Brasil.

DESIGN E CONSTRUÇÃO

Para os que fogem de designs gamers cada vez mais agressivos, com RGB, pinturas chamativas, plásticos com cortes que chamam atenção, o Acer Nitro XF273 vai te agradar bastante. Com design super discreto, ele não chama atenção alguma e se mistura facilmente a qualquer monitor de 27″ de escritório. Todo ele é preto, na frente e atrás, e todo composto por plástico em preto fosco.

A tela de 27 polegadas é toda revestida em plástico, com bordas externas bem finas e uma borda maior inferior, onde temos a marca Acer estampada, e um LED do lado direito, que que muda de cor de acordo com o estado do monitor, se está ligado ou hibernando. Essa parte inferior da tela, pelo menos no modelo recebido, demonstrou grande fragilidade e um problema de encaixe/construção. O plástico possui um gap do lado direito, além de ser muito frágil.

Na parte traseira do monitor, do lado direito, temos os botões. São 4 botões e um “botão mamilo”, que facilita muito o uso dos menus. Um dos 4 botões serve para ligar e desligar o monitor, os outros 3 além de ajudar nas navegações, servem também como 3 atalhos configuráveis pelo usuário.

A base possui apenas uma coluna em metal e o apoio circular em plástico. É nesse apoio que temos o único elemento colorido do monitor, um pequeno detalhe em azul. Os ajustes são estranhos ou eu sou muito limitado. É possível personalizar a posição de altura, torção da tela para cima/baixo, para os lados e em tese deveria ser possível usar o monitor na vertical, mas ele na altura máxima não fica alto suficiente para ficar na vertical. O monitor gira 360 graus, mas isso acontece direto na base, pois ela se movimenta, diferente da maioria dos monitores onde o encaixe do monitor no suporte é responsável pelo movimento.

Assim como no modelo Predator, faltam opções e pequenas ajudas para organizar e esconder cabos, como é feito por exemplo no Alienware AW2518H. Os cabos ficam expostos na parte de trás, como uma TV. Não há absolutamente nada que vá de ajudar com cable management. Num monitor desta faixa de preço, esse capricho poderia ter sido levado em conta.

ENTRADAS DE VÍDEO E OUTROS RECURSOS

O Nitro XF273 conta com uma entrada DisplayPort 1.2 e duas entradas HDMI 2.0. Ambos os cabos HDMI e DisplayPort vem na caixa, o que é excelente. O cabo DisplayPort é essencial para se fazer uso dos 240Hz-280Hz em Full HD, e também para conseguir usar o G-Sync (que funcionou neste modelo sem dificuldades).

Além das conexões de vídeo o monitor possui entrada para headset/headphones de 3.5mm e nada mais. Nenhuma USB, diferente do Predator XB3.

O monitor também conta com alto falantes internos de 2W. Eles são um bom quebra galho para quando você não quer ter que colocar o fone para ouvir algo rápido. Mas não considere usá-los como saída de áudio primária, pois são fracos, baixos e sem nenhum preenchimento de ambiente. Mas é sempre bom te-los em um monitor.

PAINEL IPS DE 240HZ ATÉ 280HZ

Chegamos no principal. Mesmo de aparência simples, o Nitro XF273 é ousado no papel. Tela de 27″, 1920×1080, painel IPS, HDR10, taxa de atualização entre 240Hz-280Hz, tempo de resposta entre 0,5 e 1ms e 400 nits de brilho máximo. Ousado, até mesmo para monitores de linhas superiores, como é o caso da linha Predator.

O painel é IPS, que é quase obrigatório em um monitor de ponta hoje em dia. Painéis TN não tem mais espaço em 2021 nessa faixa de preço. Ele me lembrou muito o painel do Predator XB3, tanto na qualidade, contraste, fidelidade de cores, ângulo de visão e brilho. Lado a lado, talvez eu veja diferença. Mas puxando pela memória, são muito similares.

Faltou uma camada anti reflexo na tela. Nas fotos abaixo é possível ver a exposição da luz ambiente direto na tela, mesmo com a entrada de luz no ambiente sendo bem baixa. Se você pretende usar o monitor próximo a uma janela, terá algum problema.

Mas o que importa, taxa de atualização e tempo de resposta. Na caixa temos somente a informação de 280Hz. Já nos materiais de marketing e nos anúncios online aparece como 240Hz até 280Hz (overclockaveis). Ele também vem com FreeSync Premium, descrito nos materiais de marketing, sem nenhuma referência ao G-Sync Compatible. Mas trago boas notícias. Em resumo, para jogar o monitor é EXCELENTE! Abusei de Valorant e Apex nele, nada a reclamar. Mesmo a resolução FullHD em 27″ não me incomodaram.

Ao plugar o monitor no PC, via Display Port, de cara ele já entra em 1920×1080 com 240Hz, sem que seja necessário mexer em nada. Para chegar aos 280Hz você precisa ativar uma opção no menu do próprio monitor, liberando os 280Hz no Windows. Ao ir no Painel da NVIDIA, na parte de G-Sync, é possível ativar facilmente. Ou seja, este monitor, mesmo que não de forma oficial na caixa e nas especificações, funciona com G-Sync, o que é excelente e muito bem vindo!

Como é comum em monitores com HDR simples, esqueça a experiência HDR no Nitro XF273. É legal existir, ter disponível, mas não vale a pena usar nem para consumir filmes, séries e vídeos como para jogar. É só mais uma perfumaria embarcada no monitor, mas de forma muito simples.

CONCLUSÃO

Não sei se por ter sido lançado recentemente, mas o preço do Nitro XF273, por mais que tenha desempenho de ponta, está bem alto. Hoje, na data de publicação desta análise, o lugar mais em conta é RS$2.499,00 à vista. Outra opção parcelada você pode encontrar aqui, na Americanas!

Falando em Full HD e 240Hz, temos por exemplo uma opção da Samsung partindo de R$2.200,00. A tendência é, após algum tempo no mercado, o XF273 tenha um ajuste de preço. No momento, ele se encontra na médica de monitores com painel IPS de 27 polegadas e com 240Hz-280Hz.

Alguns pontos negativos se fazem presentes neste modelo, como fraco HDR, materiais plásticos bem simples, encaixe do plástico da parte de baixo da tela inconsistente, base muito simples e total ausência de ajudas para organizar os cabos. Faltam também portas USB e uma camada anti-reflexo.

Porém, a tela IPS de 27 polegadas, com 240Hz (overclocáveis até 280Hz, algo que não consegui), FreeSync Premium, funcionando perfeitamente com G-Sync e design bem simples e discreto é ideal para os que procuram uma opção assim.

Dosando os pontos negativos, já que estamos falando de um monitor que custa entre 2500 e 3000 reais, temos um bom conjunto, excelente desempenho para jogos competitivos e uma segurança da marca Acer por trás!

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: OURO

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo