Entrevistamos João Paulo Martins, diretor comercial da Vertagear sobre o mercado de cadeiras gamer

Você já tem uma cadeira gamer?

Em breve estaremos chegando ao fim do ano de 2021 e infelizmente estaremos chegando ao segundo ano da pandemia de COVID-19. Como todos estamos passando mais tempo dentro de casa, se tornou normal as pessoas investirem em seu conforto e produtos de qualidade.

Com isso em mente, entrevistamos João Paulo Martins, diretor comercial da Vertagear no Brasil, sobre como o mercado de cadeiras gamer respondeu à pandemia, opções de compra, dicas e mais.

Confira nossa entrevista abaixo:

Confira aqui nossa lista de cadeiras custo benefício do mercado

João Paulo Martins, diretor comercial da Vertagear no Brasil
1-Com a pandemia, muitas pessoas entraram no regime de home office. Não somente isso, com esse tempo de casa extra, muitas pessoas se lançaram no mundo streamer. Como isso afetou o negócio de cadeiras gamer?

Resposta: A pandemia gerou uma grande demanda para o nosso mercado. Com o home office, e com o modelo híbrido, muitas pessoas estão remodelando suas estações de trabalho, deixando de ter algo puramente funcional. Então não é mais somente o gamer que consome acessórios e cadeiras de alta performance e conforto.

2-Adicionalmente, de um ponto de vista de marketing e mercado, como o mercado de streamer e de produtores de conteúdo ajudam na divulgação específica de uma cadeira gamer? Existe algum impacto em uma transmissão com e sem uma cadeira gamer?

Resposta: Toda exposição de marca dentro de um contexto positivo traz resultado direto e indireto para nós. Streamers e produtores de conteúdo são hoje nossos melhores parceiros. São eles que humanizam a marca e agregam valor para nossos produtos. Muitas vezes, eles são os responsáveis pelo “fator de convencimento” entre ter ou não ter uma cadeira, ou até mesmo acabam sendo a porta de entrada para que um consumidor nos conheça.

3-Embora estejamos falando de cadeiras gamer, muitos estão também trabalhando em casa diariamente. As cadeiras gamer também são indicadas para o trabalho do dia a dia? Como uma cadeira resiste a tantas horas com uma pessoa sentada diariamente?

Resposta: Cadeiras gamers têm essa denominação porque foram feitas para aguentar horas de jogatina dos jogadores. Isto é, elas servem para qualquer um que precise ficar horas sentado. Por isso, eu com certeza indico!

4-Qual é o diferencial das cadeiras da Vertagear se comparada às outras grandes marcas do mercado? Vimos que existe uma grande gama de cadeiras e preços. Estão todas sendo comercializadas aqui?

Resposta: A Vertagear é uma empresa que está no mercado desde 2015 criando cadeiras e sempre se inovando. Por exemplo, temos um modelo da PL4500 que possuí fibra de café na sua composição que serve para neutralizar quaisquer odores, como o de suor.

PL4500

Além disso, as cadeiras possuem componentes de altíssima qualidade em determinados modelos, podendo suportar até 200kg. Elas são construídas para durar por muito tempo, proporcionando conforto e ergonomia para o usuário.

Adicionalmente, temos uma garantia de dez anos para algumas peças da cadeira, como a estrutura de metal. Todas as cadeiras do nosso site já estão disponíveis!

5- Hoje em dia cada vez mais vemos as mais diversas cadeiras com seus modelos, cores, materiais e até o famoso RGB. Qual é o público alvo da Vertagear?

Resposta: Temos o foco no público gamer, mas muitas das nossas cadeiras tem um visual discreto e sóbrio, por isso possuímos uma aceitação grande do público em geral que procura uma cadeira confortável.

6- A cadeira gamer acaba sendo um item premium muitas vezes. Qual é a durabilidade média de uma cadeira? Existe alguma dica do que fazer e do que não fazer?

Resposta: É difícil falar em média. Hoje temos cadeiras que vão de R$1.499 a R$7.000. Depende muito do material, do ambiente e do uso. O que serve para todas é hidratar ou limpar sempre de acordo com o manual e seguir as recomendações de uso do fabricante.

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo