Análise: Industria mostra potencial desperdiçado

Jogo é simples até demais

Nesta nossa nova análise, vamos falar de Industria, um jogo de FPS que se passa em uma distópica Berlim Oriental logo após a queda do muro que separava a capital alemã. Que segredos a cidade guardava logo após a queda do famoso muro?

A análise de Industria foi possível graças a uma key cedida pela produtora. Industria está disponível para PC via Steam, Epic Games Store e GOG.

Que IA é essa afinal de contas?

Para onde você vai após a queda do muro?

A história de Industria se passa na parte Oriental de Berlim no ano de 1989 logo após a queda do famigerado muro. Você, Nora Sohlheim, recebe uma ligação de seu colega de trabalho e marido Walter alertando para a queda do muro que está sendo noticiado ao vivo.

Ao mesmo tempo, ele avisa que tem algo acontecendo em seu trabalho e de certa forma se despede de você. Desconfiada do que está acontecendo, você corre para seu trabalho e vê que algo não está certo. Após acessar a Inteligência Artificial e resolver um problema, ela é transportada para uma outra realidade com uma cidade no estilo Steampunk.

Agora cabe a você descobrir o que aconteceu com Walter, assim como entender que mundo estranho é esse que foi transportado.

A história de Industria é o ponto alto do jogo onde Nora irá sempre ter interessantes diálogos com o único sobrevivente dessa misteriosa cidade. Com a evolução da história, será possível descobrir diversos arquivos com acontecimentos desse mundo e cada vez mais se aprofundar nos mistérios de Industria. Inclusive, faço um destaque positivo para o ótimo voice acting dos personagens.

Vale pontuar que sua aventura, que pode ser terminada entre 3 a 4 horas sendo um jogo bem curto.

Gráficos e performance que deixam a desejar

Industria é um jogo bem barato custando menos de 40 reais e que está disponível para PC. Logo de cara achei que iria ver um jogo com especificações simples, mas me enganei. Inclusive, fiquei surpreso por saber que pede uma RTX 2060 como placa recomendada.

Dentre as clássicas opções de gráficos, Industria conta tanto com o Ray Tracing como com o DLSS. E sendo muito sincero, a performance do jogo é estranha. Em Full HD, o jogo rodava a cerca de 90 FPS em meu computador, porém, as quedas de frames (entre 20 e 30) aconteciam de forma constante. O mais curioso é que diversas quedas mais severas aconteciam em ambientes simples.

Já ao tentar utilizar o Ray Tracing, eu até consegui manter 60 FPS, porém, agora o jogo caia até 30 frames em diversos momentos. No fim, acabei não utilizando a tecnologia de traçado de raios e deixei o DLSS em Qualidade visual, com as texturas no máximo possível.

Eu disse tudo isso para alertar você que o jogo sofre com otimização e que você deve ficar atento com a sua configuração para se consegue rodá-lo de forma satisfatória.

Com relação aos gráficos, temos aqui um mundo steampunk distópico interessante, mas nada fora do normal ou que seja chamado de nova geração. Fazendo uma breve comparação, Metro Exodus, que conta com um mundo mais impressionante e atualização de gráficos de nova geração utilizando Ray Tracing, traz um custo benefício muito melhor em termos de gráficos, ambientação e pede um hardware inferior a Industria.

E um destaque negativo trazido pelo jogo é a má implementação da iluminação em ambientes escuros. Você tem uma lanterna que ilumina lugares mais sombrios deste mundo, porém, praticamente todos itens são interativos e eles se destacam nesse cenário mais escuro. Fica simplesmente muito estranho essa discrepância e a imersão no jogo é sempre quebrada. Inclusive as texturas poderiam ser muito melhores.

Gameplay fraquíssimo

Se eu elogiei a história de Industria nesta análise, eu não poderei fazer o mesmo com seu gameplay. Aqui o jogo tenta ser um clássico shooter em primeira pessoa que é simples demais e não tem um polimento adequado.

As mecânicas estão longe de serem inovadoras, o sentimento de atirar não é agradável e a Inteligência Artificial dos inimigos é inexistente. Depois de um tempo você se verá indo reto sem temer por sua vida. E mais um fator agravante é que Industria é linear até demais tendo um game design fraquíssimo e sendo desinteressante explorar o mundo.

Um dos simples puzzles de Industria

Além disso, tenho que falar dos efeitos sonoros. Embora sejam competentes no geral, existe um sério problema de mixagem de som. Isso fica claro quando está na parte “aberta”do mapa e tem sons metalizados e de floresta. Ao entrar dentro de alguma sala de uma casa ou prédio, o som imediatamente troca para algo abafado e o som que estava ouvindo para de tocar. E isso é com a porta da sala aberta!

Industria é um bom jogo ou não?

Sendo muito sincero, Industria é um jogo curto e limitado demais. Isso me deixa triste, pois sua história é genuinamente interessante e a dublagem em inglês dos personagens é muito boa. Existe um bom mistério e conteúdo a ser explorado nesse mundo.

Porém, todo o resto é fraco. Temos um gameplay simples e sem sal, gráficos nada demais, mixagem de som problemática e uma inteligência artificial entediante. Felizmente o jogo é bem barato, custando menos de 40 reais, e caso esteja curioso para ver este mundo, ele é bem acessível. Porém, eu esperaria uma promoção para ficar abaixo dos 30 reais.

Essa análise de Industria segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Industria deixa a desejar

Visual, ambientação e gráficos - 6.5
Jogabilidade - 4
Diversão - 5.5
Áudio e trilha-sonora - 6.5

5.6

Fraco

Industria é um jogo que conta com boas ideias e uma história genuinamente interessante, porém, tudo o que o transforma em um jogo é simples demais ou muito mal otimizado e pensado.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo