Análise: Far Cry 6 Vaas Insanity é loucura na medida certa

Vamos encarar essa aventura cabeça?

Depois de um lançamento de sucesso de Far Cry 6 (confira aqui nossa análise), agora nós conferimos e trazemos a análise de sua primeira DLC que traz um conteúdo singular em Vaas Insanity. Será que a DLC no estilo Roguelite focado no memorável vilão de Far Cry 3 é para você?

Esta análise da DLC Vaas Insanity, de Far Cry 6, foi possível graças a um código cedido pela produtora. A DLC chega para Xbox Series S|X, Xbox One, PlayStation 5, PlayStation 4 e PC (caso compre esta versão irá ajudar o Última Ficha) no dia 16 de Novembro e é necessário ter o jogo base para jogá-lo.

Jogo cabeça

Dentro da cabeça de Vaas

Em Vaas Insanity, você irá entrar de forma literal dentro da cabeça de Vaas. Sem entender muito bem o que está acontecendo, Vaas acorda em uma ilha estranha e completamente deturpada, lembrando diversos visuais que vemos em Death Stranding.

Ele agora deverá coletar as três peças da Lâmina do Dragão Prateado para sua irmã Citra lhe ajudar a escapar da ilha enquanto lida com toda sua insanidade.

A parte da história e da ambientação é a coisa mais interessante que esta DLC apresenta. Claro, se você não for um fã de Vaas, esse conteúdo pode não ser muito atrativo. Já os fãs do vilão, irão se encantar com os detalhes.

Aonde é que estou?

Sem entrar no reino de spoilers, posso dizer que através da visão deturpada de Vaas, você irá conhecer mais de sua história assim como de sua irmã Citra e de Jason, o herói de Far Cry 3 que acabou com o reinado do vilão. O interessante dessa experiência é que as visões e lembranças estarão completamente deturpadas e em determinado momento, as lembranças de seus atos se confundem com a de Jason e vice versa.

E para colocar a cereja no bolo, esta DLC conta com diversos momentos de história onde é possível conferir com detalhes os mais diversos momentos da vida de Vaas. Desde sua infância até sua morte. Seus medos, acertos, brigas e mais. É tudo muito bem feito e divertido, além desta nova ilha trazer uma excelente ambientação que replica muito bem a loucura de Vaas.

Doideira. Viu?

Um gameplay divertido e funcional

Se a história e ambientação em Vaas Insanity é fantástica, será que sua jogabilidade merece o mesmo elogio nesta análise? Bem, a resposta é não. Não me entenda mal, o gameplay da DLC funciona muito bem e é divertido, mas acaba não trazendo nenhum grande destaque.

Em sua primeira run, você demora cerca de 2 a 3 horas para conseguir achar diversos pontos de interesse e montar a adaga. Depois dessa primeira tentativa, dependendo da sua habilidade e do que tenha liberado, você consegue finalizar em meia hora. E como funciona o jogo?

Esse mapa é uma bela mão na roda.

Aqui em Vaas Insanity nós temos um sistema de Roguelite, ou seja, ao morrer nós não iremos perder as evoluções de habilidades, armas, espaços para equipamentos e mais. Adicionalmente, o mapa não é procedural, sendo sempre o mesmo incluindo os mesmos desafios e atalhos. De forma bem resumida, a cada nova tentativa você estará sempre mais forte seja pelas habilidades do personagem como pelo seu conhecimento do ambiente.

No jogo é possível se desafiar com quatro tipos de objetivo principais. O primeiro é de se manter em uma área do mapa por um determinado tempo. Conseguindo isso, irá desbloquear uma nova arma. O segundo segue o mesmo conceito, mas você é teletransportado para uma arena mística onde irá sobreviver e ganhar um excelente equipamento de habilidade. É possível ao longo do jogo equipar diversos perks que esses sim serão perdidos caso morra.

Já o terceiro objetivo é buscar os poucos e maravilhosos pontos de memória do Vaas onde pode ou não ter algum desafio de luta ou quebra cabeça. Sua recompensa será cenas absurdamente incríveis e uma maior imersão na história deste personagem icônico.

Deu ruim brabo aqui!

E, por fim, temos os três pontos para montar a Lâmina do Dragão Prateado onde cada um terá um desafio e ambientação única onde Jason ou Citra estarão lá para te desafiar constantemente.

Ao matar os inimigos e conseguir passar pelos desafios, você será recompensado com dinheiro que poderá ser usado para evoluir tanto Vaas como suas armas. Quanto mais forte o inimigo ou o desafio, melhor será a recompensa.

Sem sombra de dúvidas o gameplay de Vaas Insanity funciona muito bem, porém, não traz nada revolucionário. O interessante é que existem diversos níveis de mente onde quanto mais difícil, mais desafiador será o jogo, incluindo novos poderes dos inimigos, certas aleatoriedades e mais.

Conclusão da análise de Vaas Insanity

Como puderam conferir nesta análise de Far Cry 6 Vaas Insanity, a primeira DLC é um prato cheio para os fãs do icônico vilão. De um lado temos uma jogabilidade completa e funcional, embora não mereça nenhum grande destaque. De outro, temos uma excepcional ambientação que mostra a dualidade dentro da mente de Vaas e podemos entender um pouco melhor suas motivações para ter se tornado um dos vilões mais icônicos do mundo dos jogos!

Inclusive, ao longo da aventura Vaas irá narrar e conversar consigo mesmo sobre os fatos trazendo sua perspectiva única aos acontecimentos e demonstrando sua completa e total insanidade.

Comprando o FAR CRY 6 nos links abaixo você ajuda o Última Ficha!

Essa análise segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Vaas Insanity é uma ótima primeira DLC

Visual, ambientação e gráficos - 9.5
Jogabilidade - 7.5
Diversão - 8.5
Áudio e trilha-sonora - 7.5
Narrativa e personagens - 9

8.4

Ótimo

Com uma mecânica de Roguelite que funciona bem e pune pouco o jogador, Vaas Insanity se destaca imensamente por sua narrativa e por sua ambientação que abraça toda a loucura que está dentro da mente de Vaas.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo