Análise: GTA The Trilogy diverte, mas decepciona também

Ohhhh shit, here we go again

Quando a Rockstar anunciou que iria remasterizar os jogos clássicos: GTA 3, Vice City e San Andreas, chamado de Grand Theft Auto: The Trilogy – The Definitive Edition (que chamarei de GTA The Trilogy), o mundo foi à loucura. Porém, o lançamento do jogo foi muito diferente do que os jogadores esperavam e vocês poderão ver o bom e o ruim de GTA The Trilogy nesta análise.

E antes mesmo de iniciar esta análise de GTA The Trilogy, vale deixar uma coisa bem clara. Por mais que a coletânea tenha sim problemas, ela é uma remasterização e não um remake. Ou seja, boa parte das críticas da internet são infundadas, pois estão pedindo para mudar coisas que não se mudam em um remaster.

Esta análise de GTA The Trilogy foi possível graças a um código cedido pela Rockstar. O jogo já está disponível e com legendas em PT BR para PS4, PS5, Xbox One, Xbox Series, Nintendo Switch e PC.

História

Bem, esta análise vou separar em duas partes. A primeira será uma breve introdução dos jogos clássicos com sua história e evolução nas mecânicas. E depois, que será o ponto de grande interesse, os acertos e erros dessa remasterização.

Excelente localização!

GTA 3

Lançado em 2001, você será o Claude, um ladrão que foi traído após um assalto, sendo pego pela polícia. Ao conseguir fugir enquanto estava indo para a prisão, agora deverá andar nas ruas de Liberty City – uma cidade inspirada em Nova Iorque – se afundando no mundo do crime, máfia e corrupção. Aqui, Claude faz o clássico protagonista silencioso e não fala durante o jogo.

Esse foi o primeiro jogo em terceira dimensão da franquia sendo um estrondoso sucesso na época e servindo de referência inicial para os jogos de “mundo aberto” que conhecemos hoje em dia.

Esse encontro será uma grande furada

GTA Vice City

Em GTA Vice City nós temos uma história inspirada nas clássicas gangues de mafiosos italianos. Aqui você será Tommy Vercetti. Ao tentar fazer uma compra de pó em Vice City, tudo foi para os ares e agora você deve descobrir quem traiu sua gangue. Como você acabou perdendo uma grande quantidade de dinheiro, assim como a droga, você tem que desvendar esse mistério antes que seu chefe peça sua cabeça.

O jogo que foi lançado em 2002, tem um foco muito maior em história como traz diálogos e personagens muito mais interessantes. Adicionalmente, não fique surpreso se você encontrar fortes inspirações na série Miami Vice ou no filme Scarface. Afinal, eles serviram como inspiração para o jogo.

Que recepção amistosa né?

GTA San Andreas

GTA San Andreas é possivelmente o supra sumo da franquia! Lançado em 2004, temos CJ, um ex-membro de uma gangue do gueto que volta para casa para enterrar sua falecida mãe. Mas logo após chegar em Vinewood, inspirado na cidade de Los Angeles, o seu passado te alcança muito rápido e você deve se reunir com sua antiga gangue, lutar por sua sobrevivência, domínio das ruas enfrentando gangues rivais e se livrar de policiais corruptos.

Aqui temos uma gigantesca evolução em todos os sentidos. Esse é o maior escopo de GTA até então sendo aclamado pelos fãs até hoje.

Mecânicas clássicas

Agora que já falei brevemente das histórias, vou falar da evolução das mecânicas entre cada jogo.

Banshee ainda é o melhor carro de todos

GTA 3 acaba sendo o mais simples de todos. A grande inovação na época era trazer o mundo em 3D e praticamente nada além disso. Além de uma história mais rasa e poucos cenários, existem algumas poucas missões secundárias ao pegar a ambulância, táxi ou carro da polícia. É incrível rever esse título hoje e ver como era tudo muito direto ao ponto e simples.

Neon para todos os lados em Vice City

Vice City amplia o conceito do primeiro jogo entregando uma aventura em uma cidade balneária. Temos visuais cheios de neon com cenas muito mais bem feitas. Agora temos um foco muito maior na história incluindo diversos ambientes internos onde se passa a história com muitos diálogos.

Dentre as novidades, agora é possível trocar de roupa e comprar diversas residências que servem como ponto de save. Uma outra novidade trazida ao jogo é a possibilidade de pilotar motos!

I can Fly Jack!

E por fim temos San Andreas que é o supra sumo da ideia inicial cunhada em GTA 3. Aqui temos um storytelling e cenas bem feitas assim como vemos em Vice City. Além disso, o mundo foi expandido com novos carros e novos sistemas, como as habilidades físicas de CJ. É possível malhar com ele para ter mais força, andar mais para ter mais estamina, comer para manter seu teor de gordura, dirigir mais e aumentar suas habilidades atrás do volante e muito mais.

Além disso, abraçando o conceito de gangue do gueto, é possível chamar aliados para seu carro para atacar seus inimigos. Uma outra novidade foi a expansão dos veículos, incluindo a possibilidade de voar! Esse jogo foi realmente uma façanha para a época.

Vai dizer que tá feio?

O bom de GTA Trilogy

Finalizando esse preâmbulo histórico dos três jogos chegou a hora de falar das novidades. Agora falarei do que é bom, para em breve entrar nos diversos problemas de GTA The Trilogy.

A primeira grande novidade que é vista logo de cara é o upgrade gráfico que o mundo teve. A iluminação de todas as cidades assim como os reflexos foram bem feitos. Tudo está muito mais realista e em alguns momentos pode ser confundido com um jogo da geração PS4/Xbox One sem problemas. Adicionalmente, diversas texturas foram modificadas trazendo uma experiência mais atualizada para jogos tão antigos.

Outra coisa legal que o jogo trouxe foi um esquema de gameplay mais atualizado. Se utilizando das mecânicas de GTA V, agora temos a famosa roda de armas assim como a roda de músicas facilitando o jogador escolher sua opção favorita de forma mais natural e ágil. Também é possível mudar a câmera de seus carros e motos se acomodando melhor ao gosto do jogador. Inclusive, perderam aqui uma oportunidade de atualizar as mecânicas de luta e tiro, porém, algo longe de ser obrigatório em um remaster. 

Por fim, temos a inclusão de uma boa localização em PT BR dos três jogos pela primeira vez. Todos os três jogos foram completamente legendados para nosso idioma que é algo digno de nota. E um detalhe que vale a menção, os códigos de cheats ainda estão presentes e são iguais aos jogos clássicos!

O ruim de GTA Trilogy

E agora chegamos na parte da análise de GTA Trilogy que todos estão interessados. E os problemas do jogo? São reais ou exagero? Infelizmente posso confirmar que a maioria das reclamações procedem. Algumas aparentam ser facilmente corrigidas com uma atualização e outras não.

O pior problema na minha visão é a completa falta de otimização. Muitos devem pensar: como um jogo de PS2 pode engasgar em um PS5 ou Xbox Series? A dura realidade é que caso escolha o modo qualidade, o jogo vai sim engasgar muito mais do que deveria. O GTA 3 de longe é o pior otimizado, sendo seguido por San Andreas. Já o Vice City é o mais estável entre todos.

Além da famigerada queda de FPS, é possível ver uma Inteligência Artificial (IA) não tão inteligente assim. Eu me lembro que os jogos não eram perfeitos na época em que foram lançados, mas é comum ver NPC’s fazendo besteira pela cidade ou então ver carros completamente desgovernados causando mais caos que o jogador.

Quem foi que aprovou isso?

E outro problema grave, são os bugs. Sim, existe o flickering em algumas texturas e em especial no GTA 3. É relativamente comum ver algumas coisas aparecendo e desaparecendo na tela, assim como é possível ver algumas modelagens zoadas ou ver partes do carro ficarem presas no ar. Quanto mais se joga, mais esses problemas você irá achar.

Saindo dos problemas de gameplay e entrando nos problemas visuais de GTA Trilogy, sim! OS PERSONAGENS ESTÃO CAÓTICOS. É muito difícil acreditar que eles tentaram fazer um estilo diferente com texturas diferentes, ter visto o resultado final e falar: “Tá ruim, mas tá bom! Lança assim mesmo.” San Andreas é o jogo que acaba sofrendo mais com essa suposta melhora visual e faço um destaque negativo para nosso querido Ryder que é o personagem mais feio de toda a história do vídeo game com esse suposto upgrade.

As poças de sangue destoam nos três jogos!

E seguindo esse upgrade de textura que mais parece um downgrade, temos algumas texturas que ficam destoadas do todo. Por exemplo, ao matar alguém aparece no chão uma poça de sangue com uma textura muito diferente e mais brilhante que o resto do cenário e causa extrema estranheza. Inclusive algumas das reclamações que estão sendo relatadas como a chuva estranha ou os mapas pequenos, acontece porque esse mundo foi de certa forma redimensionado e as texturas e personagens não estão mais alinhados trazendo uma diferença visual. 

E, por fim, mais de 20 músicas não chegaram a essa versão definitiva incluindo grandes astros e bandas como: Michael Jackson, Rage Against Machine, Ozzy Osbourne, 2PAC, James Brown e mais. Isso é um problema de licença e direitos autorais entre a Rockstar e as donas das músicas que infelizmente não chegaram a um consenso.

Nossa conclusão da análise de GTA The Trilogy

Essa análise de GTA The Trilogy foi um tanto penosa de fazer. De um lado, temos uma clara e bem vinda evolução aos jogos lançados praticamente há 2 décadas atrás. E sim, ainda é muito divertido jogar esses títulos mesmo nos dias de hoje. Destaco que mesmo com os problemas citados, eles são títulos completamente jogáveis e divertidos. 

Por outro lado, temos um desastre de problemas, bugs e decisões completamente questionáveis. A sensação final é que essa remasterização foi de certa forma rushada e seu desenvolvimento parou na metade. Existem alguns problemas que aparentam ser fáceis de resolver, mas existem outros que precisarão de mais tempo.

No final, a grande pergunta que fica é: Vale a pena gastar 300 reais em GTA The Trilogy? E a resposta é muito fácil: Não mesmo! Se estivesse tudo perfeito, sim valeria a pena. Mas tendo esse lançamento conturbado cheio de problemas o preço cheio está longe de valer a pena. Um desconto de 50% seria super justo visto os problemas e caos de lançamento.

Aqui a equipe de desenvolvimento deu um passo maior que as pernas. Eles trouxeram melhorias muito além de um remaster tradicional e com isso mexeram em pontos que não deveriam ser tocados. Com isso, o jogo quebrou em lugares inesperados e temos esse resultado final um tanto mediano.

Essa análise de GTA The Trilogy segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Uma grande oportunidade perdida

Visual, ambientação e gráficos - 6
Jogabilidade - 6.5
Diversão - 7.5
Áudio e trilha-sonora - 7.5
Desempenho e bugs - 4

6.3

Mediano

GTA The Trilogy traz melhorias muito bem vindas incluindo um excelente novo sistema de iluminação para o mundo e novas texturas mais realistas. Porém, ao tentar trazer melhorias superiores ao que um Remaster pede, diversos pontos do jogo foi quebrado acabando com a experiência dos jogos.

User Rating: Be the first one !

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo