Preview: Wartales é um RPG medieval com muito potencial para ir longe

E se depender de seus desenvolvedores, vai sim

Em desenvolvimento pela Shiro Games – equipe por trás do maravilhoso Northgard – Wartales é um game que mistura simulação, RPG e estratégia em um mundo medieval. Venha conferir o que achamos do game em nosso Preview de Wartales.

O game encontra-se em Early Access para PC e pode ser adquirido através da Steam e não possui legendas em PT-BR.

Wartales foca mais em jogabilidade do que história

Antes de tudo, é bom ter em mente que o game está em desenvolvimento, então ainda podem acrescentar mais coisas ao game. Wartales não possui uma história amarrada com o protagonista principal. Nele escolhemos um grupo inicial com 4 personagens de classe definida, mas de equipamento e habilidades aleatórias. Entramos em um mapa fixo sem uma introdução nem explicação e cabe a gente explorar e descobrir o que fazer em seguida.

Pessoalmente, não encontrei problema algum nesse aspecto, muito pelo contrário. O desafio da exploração e do desconhecido fez com o que o game ficasse ainda mais atraente e curioso. Com o tempo e a exploração, até descobrimos um certo lore bem limitado e pouco interessante, mas que é o que alavanca o game. Porém, independentemente de sua existência, somos livres para explorar o mapa e ganharmos dinheiro e recursos extras com missões secundárias. antes de fazermos as principais.

Esse estilo de jogo me lembrou de Fallen Enchantress, aonde podemos fazer o que quiser com nossos personagens, mas que possui um objetivo simples, porém principal, a ser concluído. O que diferencia os dois – e realmente espero ver isso no futuro de Wartales – é a falta da criação e personalização dos seus personagens e de um mapa procedural pois, no momento desse preview, os locais e as missões estão fixas pelo mapa e isso seria um acréscimo absurdamente interessante para o estilo do game.

Um cenário com altos e baixos (literalmente)

Agora, falando de seu visual, Wartales conseguiu me cativar sendo simples, mas bonito. O game conta com, basicamente, 3 cenários diferentes: o mapa de exploração, as cenas de interior e o ambiente de batalha, sendo que – exceto pelas de interior – cada um possui seus altos e baixos. Irei explorar cada um separadamente, assim como falarei, também, das animações e dos personagens.

Antes de tudo, vale fazer uma observação. No começo de minha experiência no game, ele estava mal otimizado, ocorrendo pequenos travamentos que atrapalhavam um pouco nos minis games – comentarei mais à frente. Porém seus desenvolvedores atualizam o game constantemente – mudando inclusive sua interface – e esse detalhe, entre outros, foi sanado.

Exploração:

Esse conseguiu me agradar muito no visual. Andamos por ele utilizando o mapa guiando nossa equipe e a parte mais divertida disso é que cada membro aparece nesse grupo, inclusive os cavalos. Seu visual inclui estradas, florestas, lagos e montanhas, todos muito bonitos e bem feitos. Porém, como comentei que todos possuem seus altos e baixos. O movimento não possui uma IA muito boa, fazendo com que pequenas saliências na tela ou nos trechos montanhosos, o grupo tende a ficar, irritantemente, preso, sendo necessário ficar clicando em volta para contornar e achar um caminho que os mesmos não travem.

Interiores:

Falando das cenas de interiores, essas não me desagradaram em nada. Ao entrar em um ambiente fechado, nossa câmera muda para um ambiente interno visto na diagonal no melhor estilo The Sims. Nele podemos falar com os personagens que ali estão e interagir com alguns objetos. Curiosamente, essa interação me lembrou muito aqueles joguinhos de android onde precisamos encontrar os objetos misturados no cenário. E sim, existem alguns escondidos que só descobrimos ao passarmos com o mouse por cima.

Combate:

Por último, seu ambiente de batalha. Ao entrarmos em algum confronto, somos transportados para um cenário que “condiz” com o ambiente que estamos na exploração. Ou seja, se estivermos em uma floresta, teremos mais árvores, se estivermos no topo de uma montanha fria, encontraremos um chão coberto de neve e por aí vai. Quando coloquei a palavra condiz entre aspas, é porque, infelizmente, nem todos os ambientes são representados, faltando, por exemplo, ambientes internos como de castelos, casas e torres.

Personagens e animações:

Tal qual os outros cenários, aqui também possuímos altos e baixos. As animações de Wartales são bem agradáveis e fluidas. Vale o destaque de quando fazemos um ataque fatal em um inimigo, o que provoca uma animação de finalização de acordo com a posição do ataque e a arma utilizada. Porém ele peca em algumas que não condizem muito com a ação executada. Por exemplo, o balanço de um machado que pega em um ângulo a frente, atingindo todos no caminho, sendo um golpe reto de alguém cortando uma lenha. Esses detalhes não chegam a ser um pecado capital, mas conseguem tirar um pouco da imersão – o que, para quem já leu minhas análises, sabem que eu implico.

Wartales possui uma jogabilidade promissora já em seu preview

Wartales possui um gameplay bem característico do gênero onde precisamos explorar, fazer missões e evoluir. Explorando, precisamos abrir o mapa e encontrar casas e recursos. A movimentação pelo mapa é em tempo real, porém nossa equipe possui fadiga e precisa acampar de tempo em tempo para recuperá-la. Outro fator a ser atendido é sua felicidade, se estiverem insatisfeitos por falta de comida ou pagamento, existe uma chance de algum membro da equipe nos abandonar.

Outra característica do game são os paths. Esses se baseiam em nossas ações rotineiras, como lutar, comercializar, produzir etc. Cada ação gera uma pontuação que nos avança de nível naquele caminho específico, gerando bônus diversos que nos ajudam na evolução do game.

No combate, além de movimentação e ataque básico, possuímos skills que são utilizadas usando “valor points”. Esses pontos são ganhos ao descansarmos e com algumas habilidades que aprendemos ao avançar de nível. Gastar esses pontos vai se provar vital além de extremamente divertido. Pois precisaremos encaixar nossa movimentação e habilidades de modo a criar combos relativamente simples, mas eficientes.

A evolução de nível dos personagens é bem sutil. Em horas de jogatina cheguei apenas no nível 5. Porém, cada evolução tem um efeito considerável no personagem, mas que também não quebra o balanço do game. Além disso, também podemos atribuir um trabalho para cada personagem que vai possuir seus benefícios e nível próprio. Alguns exemplos são cozinheiro, ferreiro, minerador, pescador entre outros. Avançamos nessas funções praticando o que nos leva, em sua grande maioria, a mini games que quebram um pouco a rotina do game.

A assertividade na simplicidade auditiva

Falando de seu áudio, Wartales acerta na simplicidade. Possuindo uma trilha sonora suave e que condiz com o cenário, ele conseguiu me agradar, mas também não surpreende, porém pode não agradar os mais exigentes. Simultaneamente a isso, o som dos animais e chuvas tornaram essa experiência ainda mais tranquila e agradável. Como gastamos mais tempo na exploração do mapa, isso ajuda a tornar essas horas menos cansativas. Já nas batalhas, os efeitos sonoros são bem feitos e condizentes com as ações realizadas.

Conclusão do Preview de Wartales

Como resultado de tudo explicado acima, Wartales é, definitivamente, um game muito bom e promissor. Embora, para os mais ligados à história, ela seja muito superficial, achei bom o suficiente. Seu visual simples precisa de um polimento aqui e ali, mas mesmo assim agrada bastante e não deixa nada a desejar. O seu gameplay me rendeu horas de diversão em poucos dias de tão agradável e divertido que foi essa experiência. Recomeçar a partida ao aprender e entender certas mecânicas presentes não foi nem um pouco frustrante para mim. Juntamente com uma experiência auditiva tranquila e não cansativa, com certeza Wartales vai garantir horas de diversão, principalmente aos fãs do gênero.

Guilherme Segal

Apaixonado por games desde o Atari. Curte tanto PC que possui quase 800 jogos na Steam. Mas ainda acha que os games de hoje em dia não possuem o mesmo charme dos antigos, motivo pelo qual ainda joga Heroes of Might and Magic 2 até hoje.
Botão Voltar ao topo