Brawlhalla X Street Fighter: testamos o novo crossover

Nunca foi tão fácil dar um Hadouken!

Salve pessoal! Tive o prazer de jogar com os novos personagens do crossover de Brawlhalla X Street Fighter. E, segundo minha humilde opinião, esse foi o crossover que mais tiveram carinho em fazer, com o crossover das Tartarugas Ninjas logo em seguida. Antes de mais nada, olha só o trailer de lançamento dos novos personagens:

Veja também:

Para quem me acompanha, eu faço lives regulares na Twitch e todas as quintas-feira eu jogo Brawlhalla com uma galera e fiquei muito animado com os novos personagens.

Considerações iniciais

Então, voltando ao crossover, as últimas lives eu joguei com os novos personagens e gostei demais. Achei também a escolha dos personagens base excelente, porém falarei mais disso abaixo. Para quem não sabe, os crossover de Brawlhalla são “skins” de personagens já existentes dentro do jogo. Ou seja, os movimentos dos personagens especiais (chamados de signature) são exatamente iguais a algum personagem já existente. Também falarei cada um em separado logo abaixo.

Além disso, todos os personagens usam luvas, para representar bem Street Fighter. Afinal, o jogo de luta da Capcom é praticamente pancadaria só com as mãos (alguns usam armas e tal, mas não vem ao caso…). De modo geral, os lutadores que usam luvas tem poucos true combo, mas possuem strings que se forem bem encaixadas, podem jogar o adversário para fora da arena em poucos segundos.

Do mesmo modo, outra coisa que eu achei sensacional é que a maioria dos ataques de signature (que a partir de agora vou abreviar para sig) tem vozes características, sendo este crossover foi o primeiro a promover vozes aos lutadores convidados. Vocês ouvirão muitos Hadoukens, Kikoushous, Shouryukens nas suas lutas.

Ryu

O principal personagem da franquia Street Fighter e um dos únicos personagens a participar de todos os crossover de Street Fighter, usa de base a personagem Petra. A arma secundária que o Ryu utiliza é a orbe. Seus ataques de sig com a luva refletem bem os seus golpes, como o característico Tatsunaki Senpuu Kyaku (que muitos conhecem como Ratetsurugi) e o Shouryuken e, usando a orbe, Ryu utiliza seus golpes de energia, como o Hadouken e um Hadouken aéreo, que ele joga de cima para baixo.

Assim como a Petra, Ryu é um personagem fácil de aprender a jogar, sendo uma recomendação para novatos. As sigs de orbes são boas para manter o adversário a uma boa distância e as luvas são excelentes para finalização.

Chun-Li

A garota mais famosa da franquia Street Fighter tem como personagem base o Wu Shang. A arma secundária que a Chun-Li usa é a lança. Seus ataques de sig com a luva tem o famoso Kikoshou e o ataque de pernas dela (sei que tem nome porém não sei qual é…). Com a lança, a Chun-li tem o lendário Spinning Bird Kick (que muitos conhece como Mini Taxi), com as devidas vozes em cada uma dessas sigs.

Apesar da Chun-Li usar luvas, eu a considero um pouco mais difícil de aprender a jogar, para quem é iniciante. Porém as sigs de luva não a deixam tão vulnerável, podendo até mesmo spammar, para finalizar o oponente. A lança dela tem uma velocidade boa e se conseguir encaixar a string, consegue causar um dano considerável.

Akuma

Aquele carinha que veio como personagem secreto no Super Street Fighter II X também faz sua aparição nesse crossover. A personagem base do Akuma é a Val. A sua arma secundária é a espada (uma das armas mais usadas nos campeonatos mundiais oficiais de Brawlhalla). Seus ataques de sig com a luva lembram bastante seus golpes originais, incluindo um Shouryuken, um Hadouken aéreo e uma representação do Shun Goku Satsu (a tela branca do Akuma, que eu acertei ontem!). Com a espada, ele tem um Shouryuken também, e também o Tatsunaki Senpuu Kyaku. As luvas do Akuma são bem rápidas e se não tomar conta, pode errar golpes facilmente, porém depois que acostuma, é um dos personagens mais perigosos para X1.

A espada é uma das armas mais rápidas do jogo, com true combos fáceis de fazer e que facilmente viram strings mais longas. Se treinar bem com ele, você pode ter um verdadeiro “demônio” no jogo.

Novo modo de jogo

Tenho que tirar o chapéu para a equipe do Brawlhalla, que pensou nesse novo modo de luta. Eles pensaram em fazer uma arena de luta fechada, ao melhor estilo Street Fighter II, retirando as quedas do jogo. Isso é ótimo para evitar aqueles jogadores que ficam só na Edge Guard ou para quem não conhece o termo, “fica só na beirada”. E também traz uma agilidade enorme nas lutas, sendo um dos modos mais legais para serem feitos torneios.

Com um espaço “menor” de arena, é possível emendar muitas strings e fazer verdadeiros espetáculos. Também não podemos deixar de falar da barra de vida dos personagens, ajudando e muito a saber quando o personagem estiver perto de perder. E, de praxe, 3 rounds, em alusão as 3 vidas do modo stock (a maneira mais usual de jogar e o modo oficial para os torneios de Brawlhalla). Sinceramente, muito bom esse modo (e também tomei vários coros jogando online).

Considerações finais

Em suma, as decisões dos personagens para o crossover foi uma das mais acertadas. Na minha opinião, somente Leonardo, das Tartarugas Ninjas e a Lara Croft ficaram tão bom quanto os personagens de Street Fighter. O uso de vozes nesse crossover foi fantástico, apesar de que alguns sons parecem que foram gravados direto do fliperama com um microfone.

Porém, a única crítica que tenho é que os personagens escolhidos já tem skins de crossover, deixando o jogo meio saturado de personagens repetidos. Tanto a Petra, quanto o Wu Shang e a Val já tem crossover . Claro que nem sempre pode escolher a ordem que podem vir os crossovers, porém eu acho que poderiam escolher outros personagens. Durante as lives que eu fiz, chegamos até a discutir possibilidades, como o Kor de Zangief, Ray Man como Dhalsim e uma discussão entre o Vega, que imaginamos ele como Asuri ou Caspian (eu ainda acho mais a cara de Asuri).

Por último, cada personagem pode ser adquirido ao custo de 300 mammoth coins, individualmente. Se você não tiver moedas na conta, será necessário comprar ao menos o pacote de 1000 mammoth coins. Os preços variam entre plataformas, sendo que eu sugiro muito que compre pela Steam, aonde os preços são mais acessíveis.

E para quem é indicado esse crossover?

O crossover de Street Fighter foi um dos mais caprichados que já vi. Ou seja, se você é fã de Brawlhalla, é praticamente indispensável não ter esses personagens. E aproveitem bastante as promoções de fim de ano, pois costumam ter descontos na compra de mammoth coins ou dos pacotes que tem mammoth coins.

Além de ser free-to-play, o game tem mais de 50 personagens únicos, modos single player e coop, além de partidas on-line e locais, e suporte cross-plataforma entre a família de dispositivos Xbox One, incluindo o Xbox One X e os novos Xbox Series X | SNintendo SwitchPlayStation 4 e PlayStation 5PC e plataformas móveis com sistema operacional iOS e Android. Os usuários também podem disputar partidas customizadas e encontrar adversários pela internet por meio do recurso de matchmaking.

E não deixe de acompanhar o Última Ficha e nossas lives na Twitch para saber mais sobre Brawlhalla e outros jogos!

Eder DZR13

Um rapaz descontraído, engraçado, esperto e dinâmico. Esse cara não sou eu, mas eu amo jogar e viver no mundo gamer. Ainda procurando os dias de glórias porque de tanta luta, eu acho que serei a próxima DLC de Street Fighter. Detentor da 5ª Esmeralda do Caos e 3 vezes campeão da liga de Brawlhalla do condomínio. E ontem eu acertei a tela branca do Akuma.
Botão Voltar ao topo