Preview: Já conferimos HIGH ISLE – Legacy of the Bretons, a nova expansão de Elders Scroll Online

Mais uma grande expansão chegando ao MMO

Logo na primeira semana de Abril, nós tivemos a oportunidade de conferir uma apresentação de HIGH ISLE – Legacy of the Bretons, a nova expansão de Elders Scroll Online, feita por ninguém menos que Rich Lambert, o diretor criativo do jogo.

Kingdom Hearts IV foi oficialmente anunciado

Sendo este o oitavo ano de Elders Scroll Online, HIGH ISLE – Legacy of the Bretons vem com o sexto capítulo da franquia e traz uma área nunca antes explorada em toda a franquia! Se ficou curioso em conhecer essa área inédita de toda Lore de Elders Scroll Online, confira aqui nossas impressões!

Uma intriga política

De antemão eu posso dizer que gostei muito de ver as novidades que virão para Legacy of the Breton. Eu digo isso, que por termos um jogo a tanto tempo no mercado, é normal que algumas coisas acabem se tornando um tanto repetitivas ou então mais do mesmo. Porém, segurem seus cavalos, pois aqui teremos reais novidades para toda a Lore do jogo, incluindo uma localidade completamente nova em toda a Lore de Tamriel.

Essa área que iremos explorar se passa no arquipélago de Systres. Rich Lambert nos disse que a única menção a este arquipélago foi encontrada em um livro da Redguard e nada além disso. Com isso, a Bethesda teve toda a liberdade do mundo para trazer algo completamente novo e inesperado.

Sobre a questão da história, e lógico, sem entrar em spoilers, aqui nós veremos uma grande intriga política, algo que particularmente me apetece e muito. High Isle é a ilha dos nobres e a sociedade bretã é uma sociedade feudal. Ou seja, espere por muitas demonstrações de riquezas, roupas sofisticadas, luxo e mais.

Porém, debaixo dessa ilha que teoricamente é um paraíso para os ricos, nós temos a Ascendant Order. Eles são um grupo separatista que querem acabar com o status quo e lutam por uma Tamriel livre.

Adicionalmente, este arquipélago conta com uma segunda ilha chamada de Amenos que é uma ilha prisão. Todos os dissidentes, ladrões e presos políticos são enviados à Amenos e assim que entram são deixados por conta própria. Cada vez mais a revolta contra a ilha principal aumenta!

Nos foi dito que essa nova expansão terá mais de 30 horas de novidades para os jogadores.

Novidades que chegam a esta expansão

E bem, um novo capítulo em Elders Scroll Online não significa apenas uma nova história, certo? Aqui teremos novas mecânicas assim como um novo trial!

O trial que irá te desafiar como sempre, será o Dreadsail Reef. Aqui teremos um trial para 12 pessoas com um tema de pirataria. De forma resumida, as famílias nobres estão fartas da ameaça pirata que cresce a cada dia e resolve colocar um fim a eles.

Rich Lambert falou que será um grande trial com um tamanho e escopo similar ao de Rockgrove incluindo as múltiplas escolhas de dificuldades.

Adicionalmente, veremos dois novos NPCs companheiros que chegam com High Isle. São eles: Ember e Isobel.

E agora, o mais interessante desta nova expansão que você irá amar ou odiar será a nova mecânica que é um jogo de cartas!

Sim! Ao invés de focar em ainda mais quests e explorações para o mundo, a Bethesda quis trazer algo bem diferente desta vez com o novo sistema chamado Tales of Tribute que foi feito pensando em algo que você faria dentro de uma taberna em suas horas livres. Uma boa cerveja e jogos!

Eu não irei me estender muito aqui, pois é um novo jogo com mecânicas complexas e muitas variáveis. Mas esse jogo de cartas servirá tanto para o PVE e PVP e terá uma pegada Deck Builder, ou seja, à medida que vai jogando, você montará seu deck para dar continuidade a sua estratégia da partida.

Esses decks, que contarão com cerca de 20 cartas, terão como representante um patreon (onde teremos até 8 patreons diferentes). Esses patreons serão inspirados na nobreza como o rei, rainha, duque e mais e você poderá escolher um tema para cada um dependendo da sua estratégia.

Por fim, será possível evoluir suas cartas e torná-las ainda mais fortes.

E para fechar, Rich nos falou das qualidades de vida que o jogo receberá. Aqui não temos nada muito grande, porém, os destaques ficam para a inclusão da tecnologia FSR da AMD que irá auxiliar muitos jogadores de PC a ganharem performance, a adição da roda de seleção rápida, algo que foi importado do vídeo game e a adição das Mundus Stones em seu arsenal, algo que foi muito pedido pela comunidade.

Nossas impressões iniciais de Elders Scroll Online High Isle

Além da apresentação desta nova expansão, nós tivemos a oportunidade de colocar nossas mãos em uma build ainda não finalizada do jogo em um servidor teste. 

O mundo de HIGH ISLE é bem interessante e se encaixa bem em sua temática. Temos uma vasta ilha a ser explorada onde os bretões falam de maneira culta e educada, abraçando o fato de ser um povo rico e com estudos. As grandes cidades ficam sempre perto do mar, tendo portos que podem ou não serem usados para transporte.

Já os inimigos se escondem em lugares mais ermos ou então em cavernas onde conspiram contra os nobres desta terra. E por falar em conspiração, uma grande parte das missões é focada em descobrir os grupos que estão tramando contra a burguesia Bretã, buscar objetos roubados e mais.

Adicionalmente, HIGH ISLE possui diversos lugares que passam por algum tipo de maldição ou então é assombrada por espíritos. Diversas das dungeons se passarão em cidades e castelos abandonados. Por fim, faço o destaque para a ilha encontrada no meio deste grande mapa que é repleta de espíritos que vagam pelas terras. É tudo bem interessante e bonito, porém, sofri com repetidos crashes ao chegar nesta área e não pude explorá-la.

No geral, Elders Scroll Online HIGH ISLE – Legacy of the Bretons agradou bastante. Aqui temos um ambiente completamente novo e traz missões mais puxadas para o lado da política com algumas novas mecânicas. A ambientação é muito bem feita e a única observação visual que faço é que o jogo está começando a ficar datado visualmente. Afinal, estamos falando de um jogo de 8 anos de idade!

Leonardo Coimbra

Mestre supremo do Ultima Ficha, não manda nem em seus próprios posts. Embora digam que é geração PS2, é gamer desde o Atari e até hoje chora pedindo um Sonic clássico e decente. Descobriu em FF7 sua paixão por RPG que dura até hoje. Eventualmente é administrador e marketeiro quando o chefe puxa sua orelha com os prazos.
Botão Voltar ao topo