Análise: mouse CoolerMaster MM711

Ultraleve não se compromete em nenhuma aspecto, nem mesmo no preço!

Já faz algum tempo que trouxemos o primeiro mouse ultraleve, com carcaça estilo colméia, para ser analisado no site. Na época o Sharkoon Light 200, com um ótimo custo x benefício. Desta vez o ultraleve cabeado da vez a passar na redação é o MM711, da CoolerMaster, uma marca mais consolidada, tanto no Brasil quanto no mundo. Mas será que vale? É o que veremos nesta análise do CoolerMaster MM711.

Esta análise só foi possível graças a uma unidade do MM711 enviada pela CoolerMaster para análise. Eles estão lendo esta resenha junto com vocês.

DESIGN E CONSTRUÇÃO – Análise CoolerMaster MM711

Os mouses ultraleves, com fio e carcaça em formato de colméia não são novidade. Várias marcas possuem uma linha do tipo e o design não muda drasticamente de marca para marca. É o caso da CoolerMaster, que segue uma identidade visual compartilhada entre outras fabricantes. Existem 2 cores disponíveis, branco e preto, cada uma com 2 acabamentos, glossy (brilhoso) e black (fosco).

O modelo enviado pela CM foi o glossy black, o famoso preto brilhante. Para o meu gosto pessoal, o matte black ou matte white seriam os escolhidos, pois o material glossy acaba deixando bem visível marcas de dedo, gordura natural das mãos e sujeira.

Seu formato neutro serve tanto para destros como para canhotos. Todas as pegadas são muito bem vindas também, ficando confortáveis claws, palm e fingertip. O detalhe em todas essas pegadas fica para o tamanho do mouse, já que o CoolerMaster MM711 fica mais para o tamanho pequeno/compacto. Pessoas de mãos grandes ou enormes vão ter dificuldades na pegada palm e claw, sendo menos impactado usuários de mão grande com pegada fingertip.

Na parte inferior do mouse temos 3 pés PTFEs, trazendo boa deslizabilidade para o MM711. O cabo do mouse é um ponto forte, sendo bastante maleável e muito leve. Aliás, somente o mouse pesa 62g e colocando o fio na bandeja junto com o mouse bate 94g. No geral, o mouse tem construção sólida, mantendo robustez mesmo utilizando basicamente plástico. O material não faz rangidos ao tensioná-lo.

Ah, fãs de RGB, o mouse atende vocês! Por padrão ele vem na cor roxa, que casa muito bem com a estética geral e com o logotipo da CoolerMaster, mas você pode alterar efeitos e cores no software MasterPlus++.

PERFORMANCE – Análise CoolerMaster MM711

O MM711 conta com sensor óptico Pixart PMW3389 de 16000 DPI. Este sensor é encontrado em outros mouses da marca e de marcas concorrentes, como o já analisado por aqui HyperX Pulsefire Surge. O 711 também conta com polling rates que podem ser escolhidas em 125Hz, 250Hz, 500Hz e 1000Hz. Os cliques dos botões principais são precisos, não sendo acionados com qualquer pressão mínima. O barulho dos cliques é satisfatório, para os que gostam.

Somando a carcaça do mouse, seus pés, cliques precisos e audíveis e seu sendo 3389, o CoolerMaster MM711 entrega ótimo desempenho, deslize e precisão. Seu peso é essencial para quem joga por longas horas, principalmente jogos de tiro em primeira pessoa competitivos. Eu jogo na maior parte do tempo livre CS, Valorant e Apex. Posso afirmar que o peso do mouse para a jogatina no geral e principalmente para os flicks casam perfeitamente com os gamers de fps competitivos.

SOFTWARE MasterPlus+ – Análise CoolerMaster MM711

O software proprietário da CM pesa 324MB antes de instalar e 873MB depois de instalado. Quase 1GB para mexer em configurações de periféricos parece um tanto elevado. Ele serve não somente para o mouse, mas sim para todos os produtos CoolerMaster compatíveis, desde periféricos até coolers, gabinetes, fontes e mais. No geral o software funciona bem e sem lentidão.

CONCLUSÃO – Análise CoolerMaster MM711

O MM711 amplia as opções de mouses ultraleves no Brasil. Segue o já tradicional design de colmeia, que infelizmente com o tempo vai acumulando (alerta de coisa nojenta) restos de pele e afins nos buraquinhos da carcaça.

O mouse não peca em nada na sua construção e design, com bom plástico empregado, bom acabamento, solidez e bom sensor. Tirando pessoas de mãos bem grandes ou gigantes, ele vai ser muito confortável de se usar com todas as pegadas.

No que importa, que é desempenho, ele alia precisão nos cliques e ótimo deslize. Serve para todos os jogos, mas os jogadores de fps competitivo devem conseguir tirar mais proveito de todas as características do mouse.

Na data de publicação desta análise, foi possível encontrar modelos do MM711 partindo de R$179,00 em lojas confiáveis. Neste preço, o mouse é um acerto em cheio para os que querem um bom periférico num preço excelente! Este preço faz com que a recomendação ganhe uma pontuação extra!

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: DIAMANTE

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo