Análise: Cities VR torna a experiência de gerenciar cidades mais imersiva!

Prepare-se para criar a metrópole de seus sonhos em Realidade Virtual!

Lançado em 2015 para computadores, Cities: Skylines revitalizou o gênero de construção e gerenciamento de cidades. Com diversas tentativas falhas da EA de trazer jogos SimCity de volta aos olhos do público, a desenvolvedora Colossal Order encontrou uma possibilidade de expandir os horizontes de sua franquia de sucesso já estabelecida: Cities In Motion.

Passam-se 7 anos, o game se consolidou como um dos melhores do gênero e recebeu diversas expansões além de ports para todos os consoles da geração atual. E com isso chegou às lojas digitais de Meta Quest 2 a versão mais imersiva já lançada do game.

Esta análise de Cities VR foi possível graças a um código cedido pela produtora. O jogo está disponível para Meta Quest 2.

Bem-vindo prefeito!

O jogo começa de maneira bastante direta, apresentando as ferramentas de jogo a partir de um tutorial dentro da localidade na qual os jogadores selecionam iniciar sua partida. Não há cutscenes, personagens ou quaisquer elementos além do chão esverdeado, montanhas e rios que cruzam sua futura cidade.

Não há muito o que falar da jogabilidade, considerando que é praticamente mais do mesmo que vimos há quase uma década, se contar apenas esta série. Podemos construir ruas, definir áreas (industrial, residencial e comercial), e conforme progredimos no número de habitantes, novas estruturas são liberadas a fim de saciar as necessidades dos habitantes em educação, saúde, segurança pública e lazer. Aliado a isso, também é necessário gerenciar os níveis de eletricidade e água, a fim de saciar as necessidades básicas da população.

Um grande problema desta nova versão do game se encontra na limitação de certos recursos, seja por conta de tempo de desenvolvimento para adaptar elementos mais avançados à experiência portátil do Meta Quest 2, ou mesmo por conta das limitações do hardware, que deixam de lado ferramentas como desastres naturais e edição de terrenos. Aspectos assim tornam visível que esta é apenas uma versão voltada para experienciar o jogo de novas maneiras, ao invés de adaptar as grandes melhorias da versão de PC em um novo dispositivo.

Um novo ponto de vista

O gênero de simulação não é o primeiro que vem à cabeça quando falamos de jogos de realidade virtual. Nestas plataformas, é de se esperar que os jogadores anseiem por experiências imersivas, colocando-nos na pele de personagens que devem explorar cenários e ver mundos fantasiosos em situações totalmente incomuns ao cotidiano. Na contramão deste pensamento, Cities VR nos posiciona em uma visão aérea, com trilhas sonoras tranquilas e nos permitindo ser deuses de um império metropolitano.

É interessantíssimo posicionar as ruas de sua primeira cidade, definir as áreas nas quais a população deve construir e começar a ver os prédios tomando forma. Assim como nas outras plataformas, é possível se aproximar das estruturas e ver cada uma das casas, empresas e habitantes que tornam este mundo mais vivo. Alternar entre uma visão aérea e terrestre é muito prático e torna toda a experiência mais divertida após definir os primeiros passos de sua cidade.

Mas como nem tudo pode ser perfeito, a experiência se mostra um pouco caótica no quesito controles. Enquanto cada uma das ferramentas está acessível utilizando os botões presentes nos controles Touch do dispositivo, a precisão das ferramentas de construção deixa muito a desejar, algo que também não é inesperado considerando que é necessário mapear ruas e regiões apenas apontando seu controle. Imagine construir cidades dependendo de Wii Motes. É basicamente este o sentimento.

Prospere nas incertezas

Cities VR proporciona uma análise da experiência de computadores, mas coloca à prova diversos elementos-base que fazem falta e tornam esta uma versão menos completa do game. No entanto, os desenvolvedores já se prontificaram a lançar atualizações que incluirão conteúdos novos gratuitos ao game, e que devem a aproximar das outras versões.

Unindo gráficos cartunescos a uma trilha sonora relaxante, não tem como não se apaixonar por esta experiência intimista de gerenciar uma cidade. Com toda a certeza, fãs de SimCity e da série Cities irão se apaixonar por estar imersos nos mundos do game, podendo construir suas cidades dos sonhos, apesar de algumas limitações, e visitá-las em primeira pessoa.

O jogo posiciona os controles para construção de cidade direto nas mãos dos jogadores e, com um pouco de prática, torna bastante fluida a experiência de gerenciar cada um dos aspectos de seus polos urbanos. Ainda conta com várias localidades diferentes que impactam outras fontes de energia e economia, dando aos jogadores a liberdade que tanto amamos neste gênero.

Análise Cities VR

Essa análise de Cities VR segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

Cities VR

Visual, ambientação e gráficos - 8
Jogabilidade - 7.5
Diversão - 7.5
Áudio e trilha-sonora - 8
Conteúdo - 6

7.4

Bom

Cities VR traz uma perspectiva bastante única e funcional do gênero de gerenciamento de cidades. Mesmo com algumas limitações, a experiência deve agradar fãs do gênero

User Rating: Be the first one !

Nicolas Togashi

Graduado em desenvolvimento de jogos e aficionado por essa mídia, perde mais tempo jogando do que efetivamente utilizando a graduação para alguma coisa. Ama RPGs, e se esforça para ser um bom aliado nos jogos online.
Botão Voltar ao topo