Análise: Samsung Odyssey G7 240Hz WQHD

Monitor traz consigo muitas características interessantes: resolução WQHD, 240Hz, painel VA (QLED), curvatura de 1000R, FreeSync Premium Pro, G-Sync Compatible e mais!

Depois de conferirmos dois monitores com 240Hz em 1080p, agora debutamos nos 240Hz WQHD (1440p). Nesta análise do Samsung Odyssey G7 240Hz WQHD iremos conferir se o monitor justifica seu preço e todas as suas características super atrativas para um monitor gamer. Se depender de features, ele será o bicho!

Esta análise só foi possível graças a uma unidade do Samsung Odyssey G7 enviada pela Samsung, por empréstimo, para análise. Eles estão lendo esta resenha junto com vocês.

Comprando o Odyssey G7 240Hz WQHD nos links abaixo, você ajuda o Última Ficha e não paga 1 centavo a mais por isso!
Magalu: https://bit.ly/3t0D9sr
Americanas: https://compre.vc/v2/14551f9b2dd
Amazon: https://amzn.to/39X2e0U

DESIGN E CONSTRUÇÃO – Análise Samsung Odyssey G7 240Hz

Quando o periférico tem um design que se encaixa tanto para um setup gamer, quanto para um ambiente de trabalho, eu sempre destaco na análise. Mas desta vez, devo dizer que este monitor não casa muito com um ambiente de trabalho, até porque seria um grande desperdício de especificações.

O Odyssey G7 é completamente revestido em plástico, inclusive os pés e o suporte. Nessa faixa de preço espera-se pelo menos pés e suporte revestidos de metal, mas pelo menos todos os polimentos, pinturas, texturas e acabamentos do monitor são ótimas.

O design em si do monitor é bem bonito e nada exagerado. Por conta da curvatura, é possível ver de lado o desenho e textura da parte traseira. Na frente temos bordas de plástico bem fininhas (bordas internas são bem visíveis) e um detalhe em cada lateral, onde ficam dois spots de iluminação RGB. São bem fraquinhos, não sendo muito visíveis em ambientes com claridade ou luzes fortes. Mas, podem casar bem caso tenha uma cor dominante nos periféricos ou no ambiente. Até mesmo com um efeito arco-íris.

Ainda no RGB, outra parte do monitor que tem luzes é o encaixe do suporte na tela. Uma espécie de arco se ilumina. Como falei acima, a iluminação frontal é muito fraquinha. E a de trás é meio inútil, pois dificilmente ela será visível para alguém. RGB é irrelevante no Odyssey G7.

O pé fica em formato de ‘V’ e tem um acabamento mais acinzentado. O suporte segue o mesmo acabamento e cor, além de funcionalidades muito úteis que todos deveriam imitar. Possui um organizador de cabos embutido, para escondê-los e centralizá-los, além de um suportezinho retrátil para headphone/headset na parte traseira. O suporte além de prático é excelente, trazendo muita firmeza para a tela na mesa, ajuste de altura, de angulação e suporta deixar o monitor no modo retrato.

Fechando, na parte de conexões temos uma tampa de plástico, para ajudar ainda mais a organizar e esconder os cabos. Centralizado, na parte interior frontal, temos o botão estilo joystick/mamilo, para mexer no menu do monitor.

CONEXÕES DE VÍDEO E OUTROS RECURSOS – Análise Samsung Odyssey G7 240Hz

O Odyssey G7 conta com 3 conexões de vídeo: duas Display Port 1.4 e uma HDMI 2.0. O VRR (taxa de atualização variável) é compatível tanto com o HDMI quanto no Display Port, porém, apenas no Display Port você vai alcançar 240Hz em 1440p 10-bit. No HDMI fica limitado a 144Hz em 8-bit e 60Hz em 10-bit.

Além de conexões de vídeo, o monitor conta com uma saída de áudio 3.5mm e duas USB-A (USB 3.2 Gen 1, 5Gbps).

Junto na caixa, a Samsung inclui, além do óbvio cabo de força e fonte de energia, um cabo HDMI e um cabo Display Port. Vale o destaque, visto que algumas fabricantes não incluem o bendito cabo Display Port em monitores gamers com alta taxa de atualização.

PAINEL WQHD 240HZ VA (QLED) – Análise Samsung Odyssey G7 240Hz

O Odyssey G7 analisado tem, na minha opinião, a relação tamanho de tela versus resolução mais confortáveis do momento para se jogar: 2560×1440 em 27 polegadas. O painel escolhido pela Samsung é o VA, mas que eles colocam em algumas ações de marketing (inclusive na caixa) como QLED, aproveitando o sucesso de sua linha QLED de televisores.

VA para mim é o meio termo, sendo TN a pior escolha, OLED a melhor, IPS a escolha a ser feita e VA entre TN e IPS. Com isso, um comportamento padrão de um painel VA é observado no G7. Temos ângulos de visões razoáveis, melhores que TN mas bem inferiores ao IPS, e uma quantidade bem forte de vazamento de luz e uniformidade em cenas escuras com algum objeto claro.

Vazamento de luz em cenas escuras com objetos claros

Os pontos fracos do painel ficam por aí. Com excelentes cores, contraste, brilho (sem HDR habilitado) e uma camada anti-reflexiva muito bem vinda, deixando o uso dele no dia a dia sem reflexos de iluminação comum, como luzes de teto e sol vindo da janela.

O recheio do bolo vem no painel super rápido e responsivo, com 1ms de atraso, 240Hz, resolução 2K, FreeSync Premium Pro, G-Sync Compatible e uma curvatura de 1000R. Essa curvatura é bem agressiva e pode ser um ame ou odeie para alguns.

Sobre o HDR, até hoje eu havia testado apenas monitores ruins e medíocres neste quesito. Aqui no Odyssey G7 o desempenho é decente, sendo possível consumir conteúdo em HDR de forma minimamente satisfatória. Fica difícil eu classificar com algo mais do que decente, pois meus olhos se calibram diariamente em um painel OLED com Dolby Vision.

CONCLUSÃO – Análise Samsung Odyssey G7 240Hz

Se você joga um mix de jogos triple A e competitivos, além de usar o monitor para algum trabalho, ele será um fit perfeito. Os 2K de resolução numa tela de 27″ deixa o uso de janelas divididas durante o trabalho bem confortáveis. Durante meu tempo com o Odyssey dividi bastante o uso de planilhas com navegador, acelerando algumas rotinas de trabalho.

Para jogar, é um excelente monitor. Para usar os 240Hz em resolução 2K, mesmo competitivos leves, você vai precisar de uma GPU razoável. Jogos triple A vão ficar belíssimos e poderão rodar em taxas perto dos 60 quadros sem problemas, graças ao G-Sync e FreeSync.

No pacote de um excelente painel, com desempenho primoroso para jogos, temos uma boa construção e um ótimo suporte, para diferentes ângulos, alturas e opções de imagem. Para quem quer plugar com PS5 ou Xbox Series, é possível usar as seguintes resoluções:

PS5

  • 4k @ 60Hz  (sim, em consoles alguns painéis 2K aceitam resolução 4K em 60Hz) 
  • 1080p @ 120Hz
  • 1080p @ 60Hz

XBOX Series

  • 4k @ 60Hz (somente no Series X)
  • 1440p @ 120Hz
  • 1440p @ 60Hz
  • 1440p @ 120Hz  
  • 1080p @ 120Hz
  • 1080p @ 60Hz

Na publicação desta análise, o monitor flutua entre R$3.500,00 e R$4.000,00. Levando em conta competidores diretos e analisando suas features e sua qualidade de imagem, o preço está justo e vale o alto investimento. Principalmente se a curvatura te agrada ou se é algo que não influencia seu julgamento!

NÍVEL DE RECOMENDAÇÃO: DIAMANTE

Pedro Nogueira

Formado em Administração e em GunZ: The Duel. Rei dos FPS e o Toretto dos jogos de corrida no site. O nerd/entusiasta do PC Master Race, responsável por análise de periféricos e hardware. Quebra um galho de streamer lá na twitch.tv/ultimaficha.
Botão Voltar ao topo