Análise: MOTHERGUNSHIP FORGE diverte com muita imersão e explosões

Prepare-se para construir armas insanas e destruir robôs na realidade virtual!

Seguindo a onda de lançar ports de jogos de PC para a realidade virtual, MOTHERGUNSHIP FORGE traz uma análise única para frenética experiência de um roguelike em primeira pessoa para os dispositivos mais imersivos do mercado. O game, que foi originalmente lançado em 2018, chegou ao Meta Quest 2 e SteamVR após 4 anos de lançamento e contém dezenas de armas que podem ser combinadas para alcançar a destruição em massa da nave-mãe.

Em uma arriscada combinação de Bullet-Hell em primeira pessoa, os jogadores deverão se provar e, aos poucos, alcançar os mais profundos níveis de calabouço enquanto destroem hordas de robôs. Enquanto a experiência original para PC e consoles teve avaliações médias, com opiniões bastante distintas, a versão para VR chegou para deixar os jogadores sem chão nas imersivas e agitadas batalhas.

Esta análise de MOTHERGUNSHIP FORGE foi possível graças a um código cedido pela produtora. O jogo está disponível para Meta Quest 2 e SteamVR.

Espaço, a fronteira final

Logo ao iniciar o game, somos imersos nas mecânicas que acompanharão nossa aventura, com pouquíssimas explicações sobre o contexto do enredo, onde estamos e porque estamos fazendo isso. A proposta do jogo é bem clara: Construa suas armas, atire, melhore suas armas e atire mais. Esta é a diversão de MOTHERGUNSHIP FORGE.

Análise MOTHERGUNSHIP FORGE

Um jogo que, logo de cara, coloca o espectador na ação, lutando contra hordas malignas de robôs e tentando sobreviver ao máximo para destruir esta entidade tecnológica que quer acabar com a sua raça. Recebemos algumas armas, somos apresentados aos controles básicos e intuitivos de construir, coletar itens e aprimorar nossas armas, e ao morrer pela primeira vez, o jogador é redirecionado ao menu principal.

Contendo diversos modos de dificuldade, além de aprimoramentos que podem ser coletados durante as partidas para iniciar os jogos seguintes com melhorias e novas armas, é simples e funcional transitar pelos menus sem quaisquer bloqueios. Isto torna a experiência ainda mais imersiva e divertida, visto que é fácil entender como progrediu, e já pular de cabeça em só mais uma partidinha.

Tiro, porrada e bomba

Como mencionado anteriormente, a ação é a estrela do jogo. Contendo dezenas de armas e aprimoramentos que dão atributos diferenciados a elas, é divertido testar desde lança-granadas a metralhadoras e até atiradores de pizzas explosivas para eliminar seus oponentes de maneira épica e satisfatória. Combinado a isso, existem diversos acessórios que podem ser acoplados às armas a fim de conceder atributos que variam entre choques elétricos, propriedades quicantes e até colas para retardar seus oponentes.

A customização das armas é um pouco confusa no início, mas torna-se bastante intuitiva conforme os jogadores progridem na aventura. Existem três principais tipos de acoplamento: Armas, soquetes e aprimoramentos. Para vincular uma arma a um de seus braços, os jogadores precisam conectá-la a um soquete, que pode ser conectado a outro soquete e por aí vai. Desta maneira, conforme se aprofunda na aventura, o jogador vai construindo um Megazord em cada uma de suas mãos.

Apesar de ser divertidíssimo atirar múltiplas armas em cada um de seus braços, a quantidade de informação acaba prejudicando visualizar os inimigos aos seus lados, principalmente se os jogadores aprimorarem suas armas verticalmente. Mas como tudo é modular, é possível parar para redefinir os acessórios presentes nos braços a qualquer momento. Só não recomendo fazer durante as batalhas.

Levante-se e lute

O jogo conta com modos de gameplay sentado e em pé. Mas mesmo no modo estacionário, os jogadores precisam se preparar para movimentar suas cabeças e braços, pois tiros vêm de todos os cantos e pode ser necessário socar inimigos enquanto as armas demoram a atirar. Por conta disso, este game não pode ser jogado sem comandos de movimento, o que pode limitar alguns jogadores que procuram experiências menos agitadas. Vale ressaltar que o jogo também possui um modo cooperativo, então é possível se juntar a um amigo para enfrentar os robôs malignos em conjunto.

Em questões estéticas, o game é bastante bonito e conta com efeitos sonoros bastante convincentes, levando os jogadores a adentrar no mundo cibernético apresentado pelo mesmo. E reitero que por conta disso, é fácil de perder a noção das coisas no mundo real (muito cuidado com móveis ao jogar sentado!).

Análise MOTHERGUNSHIP FORGE

Os chefões são bastante interessantes e é muito divertido adentrar seus covis para enfrentá-los em batalhas bastante diferentes e que exigem precisão e agilidade dos jogadores para acompanhar seus padrões de ataque, desviar dos mesmos e contra-atacar com suas armas nada convencionais.

Controle de solo para Major Tom

MOTHERGUNSHIP FORGE entrega tudo o que propõe: Um jogo repleto de ação e tiroteio para Realidade Virtual. E por conta de saber muito bem seu lugar no mercado, a experiência é extremamente satisfatória, imersiva e divertida. Obviamente, existem alguns pontos que poderiam ser um pouco mais otimizados, como a questão de certas armas acabarem atrapalhando a visão do cenário, mesmo com os aspectos modulares das armas, visto que alguns soquetes limitam-se no posicionamento de aprimoramentos.

No entanto, a diversão de coletar mais e mais acessórios, aplicar diferentes efeitos em diferentes tipos de armas, e a facilidade de entrar em uma nova partida, tornam o jogo muito envolvente. Os controles são fáceis e intuitivos, os objetivos são claros e a fórmula de Roguelike encaixa perfeitamente em toda essa construção apresentada pela Terrible Posture Games.

Apesar de ser uma revisão do jogo de 2018, o game entrega uma perspectiva única, colocando os jogadores para ficarem parados em apenas um ponto, e que remove movimentações desnecessárias e que tornariam a jogabilidade complicada. Com isso, o produto final excede as expectativas e se coloca numa ótima posição no mercado de jogos VR.

Análise MOTHERGUNSHIP FORGE

Essa análise de MOTHERGUNSHIP FORGE segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

MOTHERGUNSHIP FORGE

Visual, ambientação e gráficos - 8
Jogabilidade - 9
Diversão - 9
Áudio e trilha-sonora - 8.5
Variedade - 8

8.5

Ótimo

MOTHERGUNSHIP FORGE traz a ação frenética de um Roguelike de Bullet-Hell para os dispositivos de Realidade Virtual, adicionando uma mecânica única de construir suas próprias armas a partir de módulos. A progressão é divertida e bastante envolvente.

User Rating: Be the first one !

Nicolas Togashi

Graduado em desenvolvimento de jogos e aficionado por essa mídia, perde mais tempo jogando do que efetivamente utilizando a graduação para alguma coisa. Ama RPGs, e se esforça para ser um bom aliado nos jogos online.
Botão Voltar ao topo