Análise: The Elders Scrolls Online: High Isle

Será que esse MMORPG me convence em jogar?

Quem já me conhece pessoalmente, sabe que eu corro de jogos MMO. Eu tenho uma grande frustração com este estilo de jogo, pois a grande maioria que eu joguei te faz gastar muito do seu tempo ou dinheiro para jogar decentemente. Porém, eu adoro os jogos da série Elders Scrolls e a sua imensa lore. E quando tivemos o convite para jogar e analisar The Elders Scrolls Online : High Isle, pesei bem os dois lados e aceitei esse desafio.

Outra coisa que eu quero ressaltar é que eu sou um jogador das antigas, quase um boomer. Portanto, vocês terão uma visão de alguém que está iniciando sua jornada no mundo online de The Elders Scrolls Online: agora. Por esse motivo, algumas comparações com os jogos antigos serão citadas aqui.

E agora trago-lhes o resultado. Contudo, antes de continuar, veja o trailer de anúncio do jogo:

Esta análise só foi possível graças a uma cópia digital de The Elders Scrolls Online: High Isle Digital Collector’s Edition, gentilmente cedida pela ZeniMax, para a versão de PC (via Elders Scrolls Online).

E no princípio…

Antes de mais nada, quero salientar que eu não sou um grande jogador de MMORPG. E o grande motivo é que eles não deixam usar um nome de personagem que eu sempre quis. Será que finalmente isso acabará? Vamos ver…

NÃO ACREDITO! FINALMENTE! Então vamos jogar!

Caramba… Não foi dessa vez… Porém, vamos tentar resolver isso:

Agora sim! Personagem criada e finalmente um sonho se torna realidade! Só com isso, o jogo já merece nota 10! Porém, não é assim que a coisa funciona…

Voltando a nossa programação normal: Sobre The Elders Scrolls Online

The Elder Scrolls Online é um jogo eletrônico de MMORPG, desenvolvido pela ZeniMax Online Studios. O jogo foi lançado em 4 abril de 2014 inicialmente para PC e, posteriormente, as versões de PlayStation 4 e Xbox One foram lançadas. The Elders Scrolls Online: High Isle faz parte da franquia The Elder Scrolls, que é o primeiro jogo multijogador de mundo aberto da série.

A princípio, o jogo tem uma história bem grande e complexa, que envolve todos os jogos da série já lançados e complementadas por todas as expansões já lançadas (e possivelmente futuras). Por isso, não entrarei em detalhes da Lore do jogo. Mas vai por mim: será bem divertido descobrir a lore do jogo jogando-o.

Porém, como sempre cito, uma coisa que me chateou no jogo foi a falta do idioma português brasileiro. Como o jogo tem muitas opções a ler, muita história e diálogo, muitos itens, magias e descrições de tudo isso, a falta do idioma tupiniquim pode afastar novos jogadores brasileiros.

Agora vamos falar de High Isle

Deixarei aqui um pouco do que a expansão High Isle nos traz, mas caso queira algo mais completo, sugiro ler o nosso preview, lançado a pouco tempo atrás.

Neste capítulo de High Isle,o jogador terá uma oportunidade única de descobrir uma parte de Nirn nunca antes vista na série: a antiga ilha natal da elite bretã. Com duas áreas únicas, High Isle e Amenos, o jogador experimentará a cultura cavalheiresca do povo bretão em primeira mão, enquanto se aprofunda na ilha e seus mistérios, explora seus locais espetaculares e assume missões desafiadoras.

No enredo principal de The Elders Scrolls Online: High Isle, o jogador será encarregado de descobrir as tramas de uma ordem sinistra de cavaleiros que ameaçam a paz e a segurança de High Isle. E no meio de tudo isso, o jogador estará em volta de uma grande intriga política que pode culminar na tão desejada paz ou em uma guerra jamais vista anteriormente.

Ou seja, se preparem para muitas intrigas políticas ao invés das usuais batalhas que estamos acostumados. Mas claro, resolvendo as intrigas com violência ou então com furtividade (você escolhe).

Gráficos

A princípio, os jogadores de The Elders Scrolls Skyrim se sentirão em casa na parte gráfica. Olhando rapidamente, dá até a impressão que The Elders Scrolls Online: High Isle é finalmente The Elders Scrolls VI.

Mas, para aqueles que nunca jogaram o lendário Skyrim, verão um jogo extremamente lindo: nenhum serrilhado, cenário super detalhado. Além disso, os personagens e NPCs são fantásticos, com personalizações a níveis profundos na hora da criação do seu personagem.

Adicionalmente, o jogo dá a opção de jogar em modo primeira pessoa. E ficou sensacional! Como a visão da tela fica mais “ampla”, por ser em primeira pessoa, o nível de detalhes dos cenários ficam ainda melhores de se ver.

Uma das coisas que eu sempre gosto de ressaltar é a iluminação de um jogo. E, sinceramente, esse é um jogo que faz bem este trabalho. Dos jogos que eu já joguei na vida, The Elders Scrolls Online: High Isle só “perde” para Sonic Generations e Sherlock Holmes Chapter One (no qual, já fizemos review do jogo).

Jogabilidade

Desde já adianto que se você já jogou The Elders Scrolls Oblivion ou Skyrim, você se sentirá em casa. Aqui você poderá jogar usando o famoso combo teclado e mouse ou um controle de video game que preferir. E quem já me conhece sabe que eu sou um fã incondicional e total do uso de controles. Porém, hoje eu “pago língua” e falo a todos: joguem, se possível usando teclado e mouse. E se o teclado for mecânico, melhor ainda!

Caso você nunca tenha jogado Oblivion ou Skyrim, os controles são bem intuitivos e seguem um “padrão” de jogos: movimentar com WASD em teclados ou controle analógico em controles, atacar com o botão direito do mouse, usar magia com o botão esquerdo… O grande diferencial é o uso de teclas adicionais para atalhos de usos de habilidades. E isso agiliza demais o jogo! Infelizmente, essa agilidade é bem comprometida com o uso de controle.

Por fim, você sentirá que o jogo é super fluido e não causa problemas ao jogador. Os movimentos são lisos e o uso de magias/habilidades são fáceis.

Mas é só isso?

Para a nossa sorte, não! Quando disse que os jogadores antigos da franquia se sentiriam em casa, resumi de forma bem rápida o que podem esperar do jogo. Mas como nem todos os nossos leitores podem ter jogado os antigos jogos, ajudarei aqui no que faz The Elders Scrolls é diferenciado.

Em The Elders Scrolls Online (assim como no TES Skyrim), o personagem sobe de níveis fazendo missões e matando monstros, bem como jogos de RPG eletrônicos tradicionais. Mas a grande diferença é que o jogo tem uma mecânica “extra de experiência”, aonde o personagem fica mais proficiente em usar uma ferramenta ou uma habilidade quanto mais a usa. Ficou complexo a explicação? Então vamos lá:

Se você usar uma armadura pesada por algum tempo, a sua proficiência em armaduras pesadas fica maior, diminuindo as penalidades de usar armadura pesada. Agora, se você usar muita habilidade de subterfúgio, você ficará mais proficiente em se esconder e não ser detectado. Por fim, se você pescar muito, você se tornará proficiente em pesca e será mais fácil pescar peixes maiores e até mais rápido.

Falando assim, pode até não ser algo inovador ou criativo, mas em um jogo MMORPG, isso é uma diferença gigante, aumentando a longevidade do jogo. Afinal, se eu não quiser mais fazer as missões do jogo, posso me divertir melhorando as habilidades do personagem de outras maneiras.

Tá, mas não tem nada a mais de novo?

De jogabilidades mesmo, essa expansão não traz nada de novo. Mas agora temos a inclusão de um novo jogo de cartas: Tales of Tribune.

Olhando rapidamente o jogo, ele lembra e muito o jogo de cartas free to play The Elder Scrolls Legends. O gameplay de Tales of Tribune tem grandes diferenças, porém é inegável que houve uma inspiração vinda de Legends.

Sobre o jogo em si, eu achei bem divertido e faz um bom papel em deixar algo a mais. Não é algo que valha a pena adquirir o jogo só para jogar, porém pode trazer um alívio nas horas em que se quer jogar, mas não está afim de fazer missões e matar monstros. Em uma comparação rápida, eu analiso esse jogo como um Gwent de The Witcher 3: está lá, joga quem quer, mas quem jogar terá horas de diversão garantida.

Sonoplastia

Primeiramente, a trilha sonora do jogo é algo maravilhoso. As suas músicas são super características, dando um clima medieval quase perfeito. Em vários momentos do jogo, eu literalmente parava de jogar ,só para ouvir a música por um tempo. Contudo, não é uma trilha sonora que eu adicionaria para ouvir no Spotify ou Deezer da vida, como eu faço com algumas músicas de The Witcher 3 ou Forza Horizon.

Todavia, os efeitos sonoros do jogo não são tão chamativos como as músicas. O uso de magias, ataques com espadas e flechas e objetos quebrando são bem “comuns”. Não temos um lendário FUS RO DAH aqui, para exemplificar um efeito sonoro diferente, mas ao menos os efeitos sonoros não chegam a ser genéricos. São apenas satisfatórios mesmo.

Conclusão

The Elders Scrolls Online: High Isle não chega a ser a experiência definitiva e completa do mundo de The Elders Scrolls, mas é algo bem próximo disso. Com o avanço das temporadas e adições de conteúdos no jogo, temos aqui um mundo em constante movimento e evolução e eu vejo potencial aqui até para ter um universo tão rico quanto World of Warcraft. Longe de mim querer comparar esses dois vastos universos, mas é só para exemplificar que vejo aqui um potencial enorme, se continuar a ser tratado com o carinho que tem até hoje.

Por fim, quero dizer que The Elders Scrolls Online: High Isle me surpreendeu demais como um MMORPG. Apesar de ainda possuir muitos elementos de MMORPG mais clássicos, aqui eu não senti aquele tédio absurdo de ficar farmando monstros por horas para evoluir o meu personagem para depois “seguir em frente” no jogo. O jogo ainda possui muitas microtransações que te ajudam a evoluir mais rápido o personagem, mas pela primeira vez senti que isso é algo totalmente opcional e que eu não preciso deixar uma parte da minha alma para curtir e evoluir no jogo.

The Elders Scrolls Online: High Isle está disponível para Playstation 5, Xbox Series X|S, Playstation 4, Xbox One e PC, via launcher do próprio jogo, sendo que o jogo está disponível no Xbox Game Pass.

Essa análise de Elders Scrolls Online: High Isle segue nossas diretrizes internas. Clique aqui e confira nosso processo de avaliação.

The Elders Scrolls Online: High Isle

Visual, ambientação e gráficos - 10
Jogabilidade - 9
Diversão - 10
Áudio e trilha-sonora - 9

9.5

Excelente

The Elders Scrolls Online: High Isle é um MMORPG que faz o elo entre todos os jogos da franquia, mostrando o mundo completo de The Elders Scrolls e como ele se interliga. Como um MMORPG, é um jogo que me surpreendeu muito, ainda mais usando as excelentes mecânicas anteriormente utilizadas em jogos passados. Contudo, ainda ressalto que não ter uma localização da língua brasileira ao jogo pode ser um empecilho diferencial que traga o jogo para as terras brasileiras.

User Rating: Be the first one !

Eder DZR13

Um rapaz descontraído, engraçado, esperto e dinâmico. Esse cara não sou eu, mas eu amo jogar e viver no mundo gamer. Ainda procurando os dias de glórias porque de tanta luta, eu acho que serei a próxima DLC de Street Fighter. Detentor da 5ª Esmeralda do Caos e 3 vezes campeão da liga de Brawlhalla do condomínio. E ontem eu acertei a tela branca do Akuma.
Botão Voltar ao topo