E3 2018 Preview e Gameplay – Jump Force é uma boa ideia, mas precisa de muitos ajustes

Leonardo Coimbra

21 de junho de 2018

A Bandai anunciou seu mais novo jogo Jump Force durante a E3 2018. Nele temos a fusão de diversos mundos da JUMP (mal comparando, é a Marvel ou DC dos animes) onde já temos as franquias de Naruto, Dragon Ball e One Piece confirmadas. Também no final do trailer oficial aparece Light e Ryuk de Death Note (vi a portas fechadas sua aparição estendida, porém, sua participação no jogo ainda não foi esclarecida).

Como poderão ver abaixo, eu pude jogar algumas muitas partidas no stand da Bandai Namco e pude ter uma boa ideia do que se trata o jogo.

Diferentemente do sucesso que foi Dragon Ball FighterZ com sua luta competitiva no estilo 2.5D, a Bandai retomou a jogabilidade 3D para Jump Force. Além disso, a modelagem foi refeita e ela tenta não seguir o estilo anime que FighterZ teve. Felizmente a modelagem escolhida agrada bastante e é bem bonita. Além disso, é importante dizer que as lutas estão megalomaníacas com uma escala muito grande e cheio de efeitos de luz e partículas para todos os lados. Não só isso, mas nos foi revelado que a ideia do jogo é que alguma coisa aconteceu onde esses mundos da Jump se encontraram no mundo real. Logo, por exemplo, o campo de batalha da cidade seria Nova Iorque.

E por fim tenho que falar do gameplay. Bem, sendo sincero, tanto eu como TODOS os outros jornalistas que testaram o jogo não se sentiram muito confortável com ele, porém, após conversar com todos e os representantes da Bandai, eu entendi o problema. Para as pessoas não saírem se sentindo péssimos jogadores, o jogo foi colocado em sua dificuldade mais fácil, ou seja, a vitória era certa e rápida. Isso acabou dando uma desmotivada na hora, mas levando esse ponto em consideração, é possível visualizá-lo além deste ponto.

No geral Jump Force apresenta um sistema dinâmico de luta onde serão 3 personagens contra 3 onde todos irão dividir uma única barra de vida. Você poderá tanto trocar entre os personagens como poderá usá-los como assist no meio da luta. O jogo conta com comandos básicos como golpe leve, carregado, bloqueio e dash. Além disso, é possível carregar sua barra de energia/ki/chakra para executar diversos golpes especiais. Não somente isso, mas cada personagem terá um golpe supremo onde ele poderá ou não se transformar (Goku super sayajin por exemplo). Essa transformação poderá ou não trazer uma segunda leva de golpes nesse novo modo.

Resumidamente eu tive duas impressões muito fortes sobre o jogo. A primeira é que ele é muito bonito e gostei muito mesmo da tentativa da Bandai de fazer uma luta no estilo anime onde você tem um  cenário grande e veremos golpes absurdos assim como muitos efeitos ao longo da luta. De um outro lado, e ignorando a parte da facilidade extrema da demo, eu achei absurdamente desequilibrado o jogo. As lutas no geral acabavam bem rápidas assim que conectava uma série de golpes e especiais. Um outro problema foi que a demo não estava disponível para jogar contra um segundo jogador, somente contra o fraco PC.

Sinceramente acho que a Bandai poderia ter adiado um pouco o anuncio (ou pelo menos a demo) de Jump Force, porém, essa é uma excelente oportunidade para eles capturarem feedback da comunidade, nós jornalistas e dos gamers da feira.

Relacionados

Comentários